Publicidade

Estado de Minas

''Atirar em militar deveria ser crime hediondo, passível de prisão perpétua'', diz sargento da PM de Minas

A sargento Adriana foi vítima de uma tentativa de homicídio enquanto perseguia um jovem, apontado pela militar como traficante


postado em 30/07/2017 12:53 / atualizado em 30/07/2017 13:16

Arma apreendida será entregue à Polícia Civil, junto com o preso de 18 anos(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Arma apreendida será entregue à Polícia Civil, junto com o preso de 18 anos (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Depois da tentativa de homicídio contra uma sargento da Polícia Militar, em Matozinhos, na Região Metropolitana de BH, a  assessoria de imprensa da corporação confirmou, neste domingo, que o policiamento na cidade foi reforçado.

Em entrevista à rádio Itatiaia, também neste domingo, a sargento Adriana, da 11ª  Cia Ind da PM-  alvo dos disparos de uma arma calibre 38, nesse sábado (29)-, disse que "atirar em militar deveria ser crime hediondo, passível de prisão perpétua".

Moradora  em uma rua do Bairro São José, em Matozinhos,  vizinha, segundo ela, de uma "boca de fumo" ( local onde se comercializa drogas), a militar disse que  Lucas Cesari Rocha, 18 anos - preso em flagrante nesse sábado (29), após tentar matar a militar, é velho conhecido dela. " Moro a 150, 200 metros da 'boca de fumo'", disse a sargento ao repórter Renato Rios Neto.

De acordo com Adriana, por não se intimidar com o tráfico e, na função de militar, combatê-lo, ela acabou sendo alvo de Lucas. A militar contou ao repórter que a arma do crime foi apreendida com todas as munições deflagradas e que Lucas teria ainda recarregado a arma mais de uma vez.

A reportagem do em.com.br tentou falar com a sargento Adriana, mas não conseguiu o contato com a assessoria de imprensa da PM.

Denúncia


O confronto entre a sargento Adriana e  Lucas, apontado pela Polícia Militar como traficante desde quando ainda era menor de idade, ocorreu após uma denúncia anônima ao 190.  A sargento Adriana, ao lado do motorista, um  soldado da PM, que dirigia o carro, foi deslocada para o local.

O denunciante informou que Lucas estava em uma praça do Bairro São José com uma arma de fogo.  Com a chegada dos militares, Lucas teria fugido após disparar contra o carro, na direção da militar.

Diante do tiroteio, outras viaturas da Polícia Militar foram  deslocadas para a área de conflito. De acordo com  a assessoria de imprensa da PM, "três ou quatro carros foram para o local".

Lucas foi preso pelos militares e conduzido para a Delegacia de Plantão de Vespasiano, também localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ninguém ficou ferido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade