Publicidade

Estado de Minas

Incêndio na Pampulha compromete três galpões e um imóvel corre risco de desabar

As informações foram passadas pela Defesa Civil na tarde desta segunda-feira. Locais foram vistoriados e isolados por medidas de segurança. Casas tiveram danos leves


postado em 24/04/2017 14:11 / atualizado em 24/04/2017 15:03

Imagens mostram os danos provocados pelo incêndio(foto: Defesa Civil/Divulgação)
Imagens mostram os danos provocados pelo incêndio (foto: Defesa Civil/Divulgação)

O incêndio de grandes proporções que atingiu uma distribuidora de óleo no Bairro São Francisco, na Região da Pampulha, comprometeu a estrutura da empresa e de outros três imóveis vizinhos. Agentes da Coordenadoria Municipal de Belo Horizonte (Comdec) estiveram no local na manhã desta segunda-feira para fazer avaliações. Os técnicos indicaram a demolição de parte dos três galpões. Além disso, constatou que o estabelecimento onde o fogo começou corre o risco de desabar.



De acordo com a Comdec, a vistoria indicou que o galpão da empresa de óleo, localizada na Rua Major Delfino de Paula, 2614, teve a estrutura danificada pelo calor das chamas. “Existe risco de desabamento da estrutura. O local continua interditado. A indicação é de demolição”, explicou por meio de nota o órgão.

Outros dois galpões vizinhos, dos números 2.608 e 2.620, tiveram a estrutura comprometida. Também foi indicada a demolição das partes atingidas. As áreas dos três imóveis estão interditadas para que sejam feitas obras para mitigar os riscos.

Casas localizadas no fundo da empresa de óleo, na Rua Caldas da Rainha, também receberem a visita dos agentes da Comdec. Os imóveis, números 1917, 1929, 1941 e 1953, foram levemente afetados na parte estrutura. Por medida de segurança, a divisa com a empresa estão isoladas por causa do risco de serem atingidas caso haja desabamento dos galpões.

Ver galeria . 26 Fotos Bombeiros utilizam escada magirus para combater o incêndioSidney Lopes/EM/D.A.Press
Bombeiros utilizam escada magirus para combater o incêndio (foto: Sidney Lopes/EM/D.A.Press )


Grandes proporções

O incêndio começou por volta das 13h40 e mobilizou dezessete viaturas e 61 militares no trabalho de combate ao fogo. Um caminhão-pipa foi utilizado e, segundo estimativa, foram gastos mais de 200 mil litros de água. O fogo só foi controlado depois de aproximadamente quatro horas. As chamas ficaram altas e provocaram pânico de moradores vizinhos. Muitos retiraram os pertences pessoais dos imóveis. Donos de empresas próximas também tiraram os produtos com medo dos prejuízos. Saques chegaram a ser registrados, mas o policiamento foi reforçado e evitou os crimes.

Paredes desabaram dentro do galpão onde o incêndio começou(foto: Defesa Civil/Divulgação)
Paredes desabaram dentro do galpão onde o incêndio começou (foto: Defesa Civil/Divulgação)


A nuvem escura de fumaça que manchou o céu de Belo Horizonte deu a dimensão da gravidade do incêndio. Um quarteirão inteiro foi interditado para o combate às labaredas no galpão localizado na Rua Major Delfino de Paula. No chão, o óleo tomou conta da via. A fiação elétrica também foi muito prejudicada.

Militares do Corpo de Bombeiros continuaram, na manhã desta segunda-feira, a fazer um trabalho de rescaldo após controlarem o incêndio. A corporação afirmou que realizou a remoção do material danificado para eliminar qualquer possibilidade de um novo incêndio. "O próximo passo é o resfriamento para que, em seguida, a Defesa Civil comece o seu trabalho", afirmou o chefe da Comunicação Organizacional do 3º Batalhão dos Bombeiros, tenente Ernando Coelho da Silva.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade