UAI
Publicidade

Estado de Minas

Furto de imagem revolta fiéis da Igreja de São Cristóvão


postado em 25/04/2016 06:00 / atualizado em 25/04/2016 11:51

Padre Sebastião Diogo mostra a pedra usada pelo ladrão para descolar a imagem de Nossa Senhora das Graças do pedestal de mármore (foto: Paulo Filgueiras/EM )
Padre Sebastião Diogo mostra a pedra usada pelo ladrão para descolar a imagem de Nossa Senhora das Graças do pedestal de mármore (foto: Paulo Filgueiras/EM )
O furto da imagem de Nossa Senhora das Graças, que ficava havia 40 anos no jardim da Igreja de São Cristóvão, no bairro de mesmo nome, na Região Noroeste de Belo Horizonte, revolta moradores e católicos que residiram nas proximidades do templo. Ao ficar sabendo do ocorrido, os irmãos Roberto Pereira, de 59 anos, e Joaquim de Souza, de 63, moradores do Bairro Jardim dos Comerciários, em Venda Nova, foram ao local e ficaram indignados ao ver o pedestal de mármore branco sem a peça de bronze. “Morei aqui durante 45 anos e sempre vi a imagem nesse local. O pior é que fica perto de uma delegacia”, disse Joaquim, apontando o prédio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Vida, que está em reforma e teve as atividades transferidas para o vizinho Bairro Bonfim.

Segundo o titular da paróquia, padre Sebastião Diogo de Melo, a imagem de cerca de 50 centímetros de altura foi levada na madrugada de sábado, exatamente às 4h18, conforme registrou a câmera de segurança instalada na fachada da igreja. A gravação mostra um homem de boné caminhando pela lateral esquerda do templo, indo até debaixo de um pé frondoso de fícus e deixando uma sacola preta. Na sequência, pula a grade de frente e depois uma menor até chegar ao gramado onde fica o pedestal de 2 metros de altura.

Depois de subir na estrutura, o invasor bate na peça com uma pedra, balança até arrancá-la para, em seguida, refazer o trajeto e passar o objeto por baixo do portão. Sem se importar com a movimentação na Avenida Antônio Carlos e ruas próximas, o suspeito, tranquilamente, pega uma sacola, embrulha a imagem e foge. O crime só foi descoberto na manhã de sábado, quando funcionários da igreja chegaram ao local. A Polícia Militar registrou o boletim de ocorrência e o encaminhou para a 4ª Delegacia Noroeste, responsável pela área. Segundo a Polícia Civil, um inquérito será aberto hoje e os responsáveis pelo local serão ouvidos.

PEDRA Na manhã de ontem, padre Diogo mostrou a pedra usada para bater na imagem que se encontrava chumbada no mármore. “Ele bate com força na base da peça para, enfim, retirá-la”, afirmou. Ele lembrou que não se trata de uma escultura de valor histórico, apenas religioso. Nas duas missas celebradas ontem de manhã, o pároco informou que está colocando a segurança nas mãos de Deus. “Certamente, o responsável precisa de tantas graças, que necessitou levar a peça. Esperamos que ele a devolva”, acrescentou. Uma das suspeitas é que a peça possa ser vendida e o dinheiro usado para compra de drogas.

Preocupado com a situação, padre Diogo disse que, só este ano, a igreja foi assaltada cinco vezes. “Tivemos que fechar, com alvenaria, uma porta de ventilação. Além disso, a igreja está cercada de grades”, mostrou. Ao lado, as irmãs Silmara Gonçalves Silva, de 29, operadora de telemarketing, e Taís Gonçalves, de 26, enfermeira, frequentadoras da paróquia, ficaram igualmente tristes com a situação. “Fiquei surpresa, pois, depois de tantos anos, ninguém nunca mexeu na imagem”, disse Silmara. Para Taís, o furto foi um absurdo, por se tratar de uma agressão ao patrimônio de uma igreja.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade