Publicidade

Estado de Minas

Prefeito de Mariana diz que Samarco errou em plano emergencial após rompimento de barragem

Duarte Júnior falou que a empresa deveria ter uma sirene ou um botão de pânico para a situação de emergência


postado em 07/11/2015 14:31 / atualizado em 07/11/2015 15:16

Dois dias depois que uma onda de lama e destroços varreu o distrito de Bento Rodrigues, o prefeito de Mariana, Duarte Júnior, disse que houve erro da Samarco no momento da emergência. "Deveria ter uma sirene ou um botão de pânico para avisar a população", argumentou. A empresa contou que, no momento de perigo, fez ligações telefônicas para moradores e líderes comunitários pedindo para que deixassem suas residências. Os moradores contestam a ação e alegam não ter sido comunicados pela empresa.

Questionada sobre o plano de evacuação em coletiva de imprensa, na tarde desta sexta-feira, a Samarco disse que agiu como previa a estratégia para o momento. O presidente da empresa Ricardo Vescovi e o gerente-geral de projetos e coordenador do projeto de ações emergenciais Germano Silva Lopes garantiram que todos os procedimentos do plano de emergência foram adotados e que o programa foi aprovado por todos os órgãos competentes.

Pelo menos 13 funcionários da mineradora Samarco e seis moradores da região, em um total de 19 pessoas, ainda estão desaparecidas e estão sendo procuradas por equipes de resgate. No encontro com a imprensa, o comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Gualberto, não descartou que mais pessoas possam estar perdidos no lamaçal. " Estamos fazendo cadastramento das famílias desabrigadas que chegam e levantando quem está faltando", disse.


Publicidade