Publicidade

Estado de Minas

Copasa reforça campanha para reduzir gasto de água em 30%


postado em 27/06/2015 06:00 / atualizado em 27/06/2015 07:25

Água desapareceu do vertedouro do Reservatório Serra Azul(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press 6/4/15)
Água desapareceu do vertedouro do Reservatório Serra Azul (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press 6/4/15)

O racionamento de água poderá alcançar as torneiras de Belo Horizonte e região metropolitana em um mês. Em solenidade na Prefeitura de Betim, o diretor de Operação Metropolitana da Copasa, Rômulo Perilli, admitiu que, diante do nível do Sistema Paraopeba (36%), o fornecimento terá alterações caso a população não atinja os 30% de redução no consumo. Ele ainda afirmou que a empresa irar intensificar a campanha de conscientização feita pela companhia. Apesar de previstas as presenças dos 10 prefeitos do chamado Vetor Oeste, o evento contou apenas com o prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa, e de Igarapé, José Carlos. “A possibilidade de racionamento é muito grande. O nível dos reservatórios do Sistema Paraopeba está em 36%. No mesmo dia do ano passado, estava em 61%. Como vamos entrar em um período de escassez de chuva, é muito provável a existência do racionamento”, afirmou Perilli.

Igarapé, Ibirité, Juatuba, Mateus Leme, Mário Campos, São Joaquim de Bicas, Sarzedo, Betim, Contagem e a capital compõem o chamado Vetor Oeste. O diretor da Copasa informou que ainda não é possível dizer se houve redução em relação aos 40% de perda de água tratada, ocasionada, inclusive, por vazamento no sistema da empresa. No entanto, Perilli disse que o tempo que as equipes levavam para chegar aos locais de vazamento para reparar o problema reduziu de 9 horas para 4 horas e meia. “As reclamações dos consumidores diminuíram. É uma coisa complicada redução de perda. No mundo inteiro, isso é difícil. Temos exemplos internacionais, como Lisboa, que reduziu de 40% para 8% em mais de 20 anos de ação contínua”, garantiu. As mudanças para o recuo nas perdas envolvem desde a troca de hidrômetros, com a melhoria do parque tecnológico da Copasa. Outra medida é colocar em prática o plano de manejo da represa Vargem das Flores, cujo investimento é de R$ 1 milhão.

Segundo Perilli, a campanha de mobilização estará mais próxima da população. Juntamente com as peças que são veiculadas no rádio e na TV, será intensificada nos bairros com cartazes e carros de sons. Essa é a aposta da Copasa para que haja uma mudança de comportamento e a população economize os 30%. No entanto, desde quando foi anunciada a redução nos níveis dos reservatórios, do início do ano até o momento, a economia média foi de 15%. Em março, a redução foi de 16% no consumo nos imóveis da região metropolitana em comparação com o mesmo período do ano passado. Em abril, 15%, e em maio, 14,5%. O diretor acredita que, em setembro, será possível a transferência de cerca de 250 litros por segundo do Rio das Velhas para o Rio Paraopeba.

ROYALTIES

Carlaile informou que a economia em Betim foi de 16,5%. Segundo ele, a campanha de mobilização será intensificada, principalmente junto às escolas do município. “Podemos com muito trabalho reduzir os 30%. Mas é um desafio muito grande”, admitiu o prefeito.

O prefeito José Carlos chamou atenção para a proposta de repasse de royalties aos municípios onde ficam os principais reservatórios, como é o caso de Igarapé. “Meu município fornece 40% da água do Sistema Serra Azul. É preciso ter royalties para água potável. Para energia, já existe. Com os municípios pequenos, com baixa arrecadação, podem fazer o trabalho de preservação?”questionou. A proposta foi apresentada em 2011 no Congresso Nacional, mas foi arquivada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade