Publicidade

Estado de Minas

Marcha das Vadias vai discutir a legalização do aborto em evento pelas ruas de BH

Manifestação acontece neste sábado; grupo vai partir da Praça da Liberdade e seguir em direção à Rua Guaicurus, no Centro da capital


postado em 15/06/2015 16:19 / atualizado em 15/06/2015 16:35

Na edição de 2014, o mote principal foi o fim da violência contra as mulheres e o direito ao próprio corpo(foto: Gladyston Rodrigues/ EM/D.A.Press)
Na edição de 2014, o mote principal foi o fim da violência contra as mulheres e o direito ao próprio corpo (foto: Gladyston Rodrigues/ EM/D.A.Press)

A capital mineira recebe neste sábado mais uma edição da Marcha das Vadias, evento que ocorre em várias cidades ao redor do mundo desde 2011 e discute, entre outras coisas, a violência contra a mulher e a necessidade de políticas de combate à opressão de gênero. No encontro deste ano em Belo Horizonte, a pauta será a legalização do aborto no Brasil.

Em um manifesto divulgado por meio da página oficial do evento no Facebook, os organizadores falam sobre a razão de se falar abertamente sobre um tema ainda polêmico no país. “Tanto a falta de informação e acesso a métodos anticoncepcionais, quanto a impossibilidade de recorrer à interrupção voluntária de uma gravidez indesejada de forma legal e segura, tem levado muitas mulheres a serem burladas, aterrorizadas , arriscado sua saúde e vidas ao recorrerem a abortos clandestinos inseguros. (...) Marchamos para que nenhuma mulher morra em função de aborto inseguro e que nenhuma mulher sofra violência ou tenha danos à saúde”, argumenta o manifesto.

Cerca de 4,5 mil pessoas já confirmaram presença na marcha por meio da rede social. O grupo vai se concentrar às 13h, na Praça da Liberdade, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de BH. De lá, vão descer até a Rua Guaicurus, no Hipercentro da capital. Como parte do protesto, os manifestantes prometem pintar a pele e carregar cartazes com mensagens sobre aborto e a autonomia das mulheres em relação ao próprio corpo.


Publicidade