Publicidade

Estado de Minas

Festa celebra 300 anos do Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas


postado em 06/12/2014 06:00 / atualizado em 06/12/2014 08:35

(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)
(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

Três dias de festa para celebrar 300 anos de história. De hoje a segunda-feira, com missas em latim, procissão, palestras e atividades culturais, o Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, em Santa Luzia, na Grande BH, recebe moradores e visitantes para comemorar uma trajetória de fé iniciada em 1714 com a construção de uma ermida. À frente, estava o ermitão Félix da Costa, que veio de Alagoas com o firme propósito de erguer um recolhimento feminino – e encontrou terreno fértil no encontro dos rios das Velhas e Vermelho. O ponto alto da festa será segunda-feira, com cerimônia cívica, inauguração de marco do tricentenário e missa celebrada pelo arcebispo metropolitano de BH, dom Walmor Oliveira de Azevedo (veja a programação).

Conhecido como Convento de Macaúbas, o imponente prédio colonial onde vivem, em regime de clausura, 16 freiras concepcionistas, foi todo pintado recentemente a partir de uma campanha que envolveu diversos setores da sociedade. E também ganhou um jardim novo. Encarregada das obras de restauro e organização dos festejos, está a irmã Maria Imaculada de Jesus Hóstia, que se mostra feliz com o resultado e agradecida com a participação dos beneméritos. A celebração terá lançamento de livros sobre o convento, na segunda-feira, às 14h30, na Casa de Retiro Santa Beatriz. Nos três séculos, Macaúbas teve três fases: recolhimento, colégio e Mosteiro da Ordem da Imaculada Conceição.

Conhecer o convento, principalmente nesses dias de festa, será oportunidade única. Na entrada principal, onde se lê a palavra clausura, vê-se em destaque a pintura de Félix da Costa, que deixou Penedo (AL) em 1708. Demorou três anos para chegar a Santa Luzia, onde construiu a capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição, de quem era devoto.

VISÃO Mas antes de chegar a Santa Luzia, bem no encontro das águas do Velho Chico com o Rio das Velhas, em Barra do Guaicuí, em Várzea da Palma, no Norte de Minas, ele teve a visão de um monge com hábito branco, escapulário, manto azul e chapéu caído nas costas. “Ele se viu ali. Foi o ponto de partida para a fundação do Recolhimento de Macaúbas”, recordou a irmã Maria Imaculada.
PROGRAMAÇÃO

  Hoje

10h30 –
Missa em latim presidida por monsenhor Raul Motta de Oliveira, emérito da Catedral de Caratinga

18h às 21h –Hora santa. Adoração ao Santíssimo Sacramento

  Amanhã

10h30 –
Missa presidida pelo cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo, arcebispo emérito de Belo Horizonte

  Segunda-feira

10h –
Cerimônia cívica

10h30 – Missa presidida pelo arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo

15h30 –Missa presidida por frei Adilson Corrêa da Silva e padres franciscanos e frei Sebastião Lázaro de Oliveira e padres capuchinhos

16h30 –Procissão da Imaculada Conceição e Santa Beatriz


Publicidade