Publicidade

Estado de Minas

Parque da Serra do Curral festeja um ano de sucesso com visitantes

Local ainda aguarda a obra de contenção em encosta da Serra do Curral, que terá início em 2014


postado em 09/09/2013 06:00 / atualizado em 09/09/2013 06:51

Área verde tem recebido em média 500 visitantes nos fins de semana e conta com oito mirantes
Área verde tem recebido em média 500 visitantes nos fins de semana e conta com oito mirantes

Obras para a recuperação da Serra do Curral, símbolo de Belo Horizonte, terão início somente no ano que vem, com previsão de terminar em 2017, mas isso não vai impedir a festa em torno do parque que leva o nome do símbolo de Belo Horizonte. Em fevereiro, houve alargamento de uma fenda na encosta da montanha e deslizamento de terra na área próxima à cava de mineração desativada situada atrás do maciço. Até a correção dos problemas, o Parque Serra do Curral, no Bairro Mangabeiras, Região Centro-Sul, que ontem completou um ano de inauguração, continua com a trilha sobre a crista da montanha parcialmente fechada, por causa do risco de desmoronamento próximo ao fim do percurso.

“Desde 1992 existe essa fenda, que se agravou no início do ano. É uma obra enorme, que vai durar três anos”, afirma a gerente da área verde, Marta Amélia Moreira. O risco geológico levou à interdição de dois dos 10 mirantes do percurso Travessia da Serra, principal atração do parque. Antes, os visitantes podiam cruzar a montanha de ponta a ponta, da Praça Estado de Israel ao Parque das Mangabeiras.

Apesar do incidente, o clima na área verde é de otimismo e festa. As comemorações de um ano do parque, aberto depois de quase 20 anos de espera, ocorrem no dia 22, quando haverá a primeira apresentação musical no espaço, com show do Músicas do Espinhaço, às 17h. Também será inaugurada uma cascata na Praça Carlos Drummond de Andrade, pensada especialmente para os pássaros que habitam a região.

Travessia

Outra novidade é a Ilha do Pensamento, espaço bucólico em meio às árvores, destinado à leitura de poesias de Drummond. A administração estuda ainda a construção de quiosques de alimentação. Sucesso de público, a área verde tem recebido em média 500 visitantes aos fins de semana. Para fazer a travessia completa, é necessário reservar pelo site www.parqueserradocurral.com.br, pois há limite de quatro grupos de 10 pessoas por dia.

Quem vai não se arrepende. “Temos uma visão de 360 graus aqui de cima e podemos ver tanto a cidade quanto o conjunto de montanhas”, observa a analista de sistemas Daniela Pereira de Miranda, de 41 anos, encantada com a beleza. A advogada Greycielle Amaral, de 40, esteve na área verde na época da inauguração e ontem voltou à reserva ecológica com os filhos Isabela, de 14, e Lucas, de 8. “No aniversário do parque, desejo que ele continue atraindo visitantes, para conhecerem melhor a nossa cidade, com essa vista maravilhosa”, diz Isabela.

Memória
Símbolo de BH

A Serra do Curral del Rei, antes Serra de Congonhas, foi tombada em 1960 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Em 1991, o alinhamento das montanhas também foi incluído como bem tombado para fins de preservação. Seis anos depois, Belo Horizonte elegeu a montanha como símbolo da cidade. Seu alinhamento faz divisa com os municípios de Belo Horizonte, Sabará, Nova Lima, Brumadinho e Ibirité. Há mais de 20 anos, lutava-se pela criação de um parque que compreendesse a Serra do Curral. Apenas em 2002 houve o início da implantação da área verde, inicialmente batizada de Paredão da Serra do Curral. As obras de infraestrutura começaram em 2008 e, depois do anúncio de sete datas de inauguração, o parque foi aberto ao público em 8 de setembro de 2012. O parque apresenta altitudes médias variando de 1.200 a 1.380 metros, situado numa área de transição entre mata atlântica e cerrado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade