Publicidade

Estado de Minas

Morre, aos 82 anos, o músico cavaquinista Waldir Silva

Instrumentista se consagrou tocando cavaquinho em serestas por todo o mundo


postado em 01/09/2013 14:00 / atualizado em 01/09/2013 15:54

Waldir chegou mais de 6 milhões de cópias no Brasil e no mundo(foto: Divulgação)
Waldir chegou mais de 6 milhões de cópias no Brasil e no mundo (foto: Divulgação)
Morreu na manhã deste domingo em Belo Horizonte, aos 82 anos, o músico Waldir Silva, que levou o som de seu cavaquinho aos cinco continentes. Acometido por uma doença degenerativa, ele estava internado, com pneumonia, desde o último dia 22 no Hospital Biocor. O enterro, que ainda não tem hora definida, será nesta segunda-feira no Cemitério do Bonfim.

Presença constante nas serestas ao pé da Serra do Curral e em mais de cem cidades mineiras, Waldir Silva era acompanhado pelo Conjunto Musical, do qual o irmão e empresário, Mauro Silva, é vocalista, e comandava o projeto Minas ao Luar. Nascido em 28 de maio de 1931 em Bom Despacho, no Centro-Oeste mineiro, ele começou a tocar cavaquinho quando tinha apenas 7 anos e, desde então, se aperfeiçoou cada vez mais na arte musical.

“Telegrama Musical” foi a canção que projetou Waldir Silva no cenário da música brasileira. A música tem relação direta com o outro ofício do mineiro. Aos 16 anos ele passou em um concurso público da Rede Mineira de Viação e se tornou telegrafista. Mas a música foi sempre sua maior paixão. Ao longo de sua carreira, Waldir gravou 29 LPs e nove CDs, além de centenas de sucessos.

Confira entrevista em que o músico fala sobre a carreira e a paixão pelo cavaquinho


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade