Publicidade

Estado de Minas

Presos chefes de quadrilha de saidinha de banco que arrecadou mais de R$ 1 milhão em assaltos

Criminosos usavam o dinheiro para comprar carros de luxo, roupas de marca e fazer viagens. Um dos presos estava construindo uma casa de alto padrão em Contagem


postado em 05/06/2013 18:05 / atualizado em 05/06/2013 18:35

A quadrilha agia em municípios da Grande BH e em bairros nobres de Belo Horizonte(foto: Beto Magalhães/EM/D.A.Press)
A quadrilha agia em municípios da Grande BH e em bairros nobres de Belo Horizonte (foto: Beto Magalhães/EM/D.A.Press)

Dois integrantes de uma quadrilha especializada em saidinha de banco, golpe recorrente em Belo Horizonte, foram presos e apresentados na tarde desta quarta-feira pela Polícia Civil. Davi Antunes Batista, de 32 anos, e Ricardo Alexandre dos Santos Costa, 23, são apontados como os líderes de uma organização criminosa que, segundo as investigações, arrecadou mais de R$ 1 milhão com os assaltos. Os alvos do bando são pessoas que realizam grandes saques na Região Metropolitana de Belo Horizonte e em áreas nobres da capital mineira.

As investigações para prender os criminosos começaram em janeiro de 2012, quando foi realizada a Operação Olheiros, que terminou com 19 pessoas presas. A dupla conseguiu escapar da ação da polícia na ocasião. Davi chegou a se mudar para o Espírito Santo com a família e continuou praticando a mesma modalidade de crime no Estado, juntamente com a mulher e uma quadrilha de mineiros que atuava na região. Após a companheira ser presa, ele voltou para BH.

Na última terça-feira, Davi foi detido em um shopping do Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte. Ele já estava sendo monitorado por policiais civis e não reagiu à abordagem. Já Ricardo, que também era vigiado, foi detido em um carro na Praça Raul Soares, no Centro de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha era bem articulada e cada pessoa tinham uma função no grupo. “Os autores do crime se dividiam em olheiros - ficam dentro dos bancos para passar informações dos clientes -;  tomador - executam o roubo -; o piloto - dirige o veículo na fuga -; e o resgate -motorista do veículo que faz a escolta dos criminosos na moto e pega o dinheiro no caminho”, explica a delegada Larrissa Maçal, responsável pelas investigações.

Entre os crimes praticados pela quadrilha está o roubo de R$ 100 mil de um homem que havia sacado o dinheiro em um banco no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A vítima chegou a se esconder em um estacionamento, mas acabou rendida por um dos criminosos.

As investigações apontaram que os assaltantes usavam o dinheiro arrecadado nos roubos para comprar carros de luxo, roupas de marcas e fazer viagens. Segundo a polícia, Davi estava construindo uma casa de alto padrão no Bairro Jardim Riacho, em Contagem, na Grande BH.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade