Publicidade

Estado de Minas

Brincadeira com pó de mico intoxica 100 estudantes em escola no Sul de Minas

Três garotos responsáveis pelo ato serão punidos. Estudantes que tiveram reação com o pó receberam atendimento no hospital e já tiveram alta


postado em 14/03/2013 16:43 / atualizado em 14/03/2013 17:49

Três amigos, com idade entre 13 e 14 anos, não imaginavam que uma brincadeira iria causar tantos transtornos em uma escola de Ibiraci, na Região Sul de Minas. Os garotos seguiam para a aula, no turno da tarde, quando tiveram a ideia de misturar algumas plantas e sementes que, em contato com a pele, causam uma leve irritação. Quando chegaram à Escola Estadual da cidade, jogaram o produto em alguns colegas. Em poucos minutos, aproximadamente 100 alunos tiveram de ser levados para o hospital com intoxicação.

A "brincadeira' aconteceu na tarde dessa quarta-feira. Hoje, os estudantes voltaram as aulas normalmente. Nesta sexta-feira, os alunos responsáveis pelo caso serão chamados juntamente com os pais para uma reunião. “O conselho tutelar também estará presente para traçarmos uma punição para esses garotos”, afirma a diretora da escola, Simone Faleiros Nascimento Paulino.

De acordo com Simone, a coceira começou por volta das 13h30, quando as aulas se iniciaram. “Os três garotos moram próximos uns dos outros e dizem que já sabiam que a mistura causava coceira. Quando chegaram na aula, resolveram jogar em outros colegas. Foi uma brincadeira de mau gosto. Graças a deus ninguém teve problemas graves”, conta.

Devido ao grande número de pessoas atingidas, uma força tarefa teve de ser montada rapidamente para encaminhar todos ao hospital. “Algumas crianças apresentaram vermelhidão e alergia, todos receberam atendimento rápido. As aulas também foram suspensas devido ao ocorrido”, diz a diretora.

Quem estava no Hospital Municipal da cidade também ficou impressionado. “Foi um transtorno. Nunca vi tanto garotos e professores juntos no hospital. Foi um episódio que ninguém esperava. Onde você olhava havia uma criança se coçando. Parecia com um grupo de pinguin que você vê na televisão”, revela o recepcionista Walter Camargo.

De acordo com o hospital, enfermeiros de outros setores e médicos plantonistas foram empenhados no atendimento. Todas as crianças foram medicadas e orientadas a tomar banho e lavar as roupas atingidas pelo pó. Ninguém ficou internado.


Publicidade