Publicidade

Estado de Minas

Presépios multiculturais são montados em Belo Horizonte

Arquidiocese de BH monta cenário do nascimento de Jesus em terreno da catedral e faz exposição na Serra da Piedade


postado em 23/11/2012 06:00 / atualizado em 23/11/2012 06:50

Exemplar em cerâmica feita por índios de Rondônia compõe a mostra(foto: MARCOS MICHELIN/EM/D.A PRESS)
Exemplar em cerâmica feita por índios de Rondônia compõe a mostra (foto: MARCOS MICHELIN/EM/D.A PRESS)

Em ritmo de Natal, tradições e celebração da fé. Começa hoje a montagem do presépio da Arquidiocese de Belo Horizonte no terreno da Catedral Cristo Rei, na Avenida Cristiano Machado, no Bairro Juliana, Região Norte da capital. Na manhã de ontem, foi feita a limpeza da área, onde já existe uma cruz iluminada e a pedra fundamental, lançada há um ano. A inauguração do cenário do nascimento de Jesus, o primeiro no local, será domingo, às 16h, em cerimônia presidida pelo arcebispo metropolitano dom Walmor Oliveira de Azevedo e participação de coral formado por 140 crianças assistidas pelas obras sociais da Paróquia São Marcos, do Bairro Maria Goretti, Região Nordeste de BH.

De acordo com a arquidiocese, hoje será construída a estrutura de madeira e bambu para abrigar as peças sacras. Será preparado também o caminho a ser percorrido pelos fiéis que visitarem o presépio – o percurso terá imagens de anjos. A obra singela tem o objetivo de reviver, no terreno da Catedral Cristo Rei, a antiga tradição dos presépios, instituída, em 1223, por São Francisco de Assis. Naquele ano, na cidade de Greccio (Itália), ele decidiu celebrar a missa de Natal entre o boi e o jumento, pois queria ver, “com os olhos do corpo”, de acordo com os estudiosos, como o Menino Jesus, escolhendo a humilhação, foi deitado na manjedoura. Esse acontecimento foi a inspiração para, mais tarde, o Natal ser representado dessa forma.

No domingo, em seguida à inauguração do presépio, várias comunidades religiosas vão fazer, no local, a novena de Natal. Na oportunidade, serão arrecadados alimentos e outros donativos para a Casa de Apoio Nossa Senhora da Conceição, instituição da Arquidiocese de Belo Horizonte que acolhe pessoas com HIV. Como ocorre tradicionalmente, serão abertos também à visitação pública os presépios do Palácio Cristo Rei, na Praça da Liberdade, na Região Centro-Sul da capital, e do Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na região metropolitana da capital. Quem visitar a Serra da Piedade a partir de amanhã poderá ver a tradicional exposição de presépios de vários países, incluindo um feito pelos índios ianomâmis, de Roraima, informa o reitor do santuário, padre Nédio Lacerda. O presépio começou a ser montado na tarde de ontem no espaço Virgílio Resi, próximo à capela onde fica a padroeira de Minas.

CONSTRUÇÃO O arcebispo lembra que “dezembro é tempo de reviver a antiga tradição com grande força educativa, capaz de cultivar no coração de adultos e crianças, homens e mulheres, o significado nobre do gesto de Deus, que se fez homem para habitar entre nós (Jo 1,14)”. Portanto, assegura, nas igrejas, praças e, sobretudo, nas casas, é momento de juntar a família para criar e contemplar os presépios. Simples ou complexos, eles ensinam o verdadeiro sentido do Natal, transmitindo de geração a geração os fundamentos da fé cristã. Dom Walmor explica que, atualmente, estão em andamento os trabalhos de metodologia para a edificação da catedral projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. As três primeiras etapas serão feitas em 12 meses, com início em fevereiro. A Cúria já tem em caixa 17% dos R$ 100 milhões necessários para as seis etapas. “Precisamos das doações e do envolvimento das pessoas em todo o processo de construção.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade