Publicidade

Estado de Minas

Comunidade dos Arturos terá inventário cultural

Trabalho deve fundamentar um processo de registro estadual dos Arturos como patrimônio imaterial


postado em 02/07/2012 10:54 / atualizado em 02/07/2012 10:59

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) e a Prefeitura de Contagem assinam na terça-feira um Termo de Cooperação Técnica para o inventário cultural da tradicional Comunidade dos Arturos. O trabalho conjunto deve fundamentar um processo de registro estadual dos Arturos como patrimônio imaterial, solicitado ao Iepha tanto pela própria comunidade, quanto pela prefeitura, que há algum tempo já faz o acompanhamento do grupo de descendentes de quilombolas.

A ideia é que, com a conclusão do inventário, ambas as instituições possam realizar o registro do bem cultural simultaneamente, garantindo sua proteção em nível municipal e estadual ao mesmo tempo.

A comunidade é composta por descendentes de um antigo escravo de nome Artur; daí o nome Arturos. O grupo preserva e recria várias tradições da cultura brasileira e mineira como o batuque, a Folia de Reis, o Candombe, o Reinado de Nossa Senhora do Rosário e a Festa da Abolição. Os sons e ritmos são constantes em todos os eventos e nos quintais das casas, e as antigas práticas dos saberes relacionados às raízes e plantas também permanecem.

Além disso, na comunidade está presente o saber das benzeduras, da confecção de instrumentos e indumentárias, da culinária e outros. De acordo com a justificativa do projeto para o inventário, todo esse acervo tornou a Comunidade dos Arturos um lugar de reconhecida referência cultural, que preserva uma herança cultural já desaparecida em outros.

(Com Agência Minas)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade