Publicidade

Estado de Minas

Servidores do Judiciário protestam em apoio à família do oficial de Justiça encontrado morto

Trabalhadores reinvidicam melhores condições de trabalho


postado em 30/05/2012 16:40 / atualizado em 30/05/2012 21:29

(foto: Juarez Rodrigues/EM/DA PRESS)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/DA PRESS)
Servidores da Justiça do Trabalho, Justiça Federal e Justiça Estadual se reuniram na tarde desta quarta-feira em uma manifestação em solidariedade à família do oficial de Justiça Daniel da Cunha, de 54 anos, encontrado morto nessa segunda-feira, após ficar cinco dias desaparecido. Os funcionários também pediram melhores condições de trabalho. De acordo com o presidente da Associação dos Oficiais de Justiça, Wellington Gonçalves, cerca de 150 pessoas participaram do protesto em frente ao prédio da Justiça Federal.

Mesmo sem descartar nenhuma hipótese sobre a morte de Daniel, a Polícia Civil já tem indícios de que o assassinato não tem relação com a sua atividade profissional. A hipótese mais provável é que ele tenha sido vítima de latrocínio (roubo seguido de morte). Mas os colegas de trabalho afirmam que o risco de vida é constante na profissão. “Para cumprir um mandado, em princípio tem que se virar. No máximo tem um colega para acompanhar e correr o risco junto com você. Não tem um mapeamento para saber a periculosidade das áreas da cidade para onde estamos nos dirigindo.” explica Wellington. De acordo com ele, “nunca se sabe quem vai abrir a porta. Já teve caso do carro do oficial ser depredado".

Para trabalhar com mais segurança, alguns servidores reivindicam porte de arma, mas não há um consenso, explicou Wellington Gonçalves. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade