Publicidade

Estado de Minas

Começa processo de beatificação da madre Tereza de Três Pontas

Três Pontas recebe representantes do Vaticano que orientam pesquisa sobre a vida de Tereza Margarida do Coração de Maria


postado em 05/03/2012 06:25

O processo de beatificação da madre Tereza Margarida do Coração de Maria (1915-2005), carinhosamente chamada de Nossa Mãe, foi lançado oficialmente em Três Pontas, no Sul de Minas, que na tarde de ontem se mobilizou para o traslado dos restos mortais da religiosa, seguido de missa. Ela foi fundadora do Carmelo de São José, em 1962, no município, onde vivem hoje 19 carmelitas da Ordem da Bem-Aventurada Virgem Maria de Monte Carmelo. Por enquanto, não há milagres ou curas atribuídas a madre Tereza Margarida, mas sim o princípio de “uma vida santa”.

“Muita gente na cidade comenta que alcançou graças por causa da madre. Ela era uma pessoa muito santa, muito carinhosa. Não escolhia com quem conversar. Atendia a todos que viessem”, diz Patrícia Silvestre Tavares, que conviveu com madre Tereza no Carmelo São José. Segundo ela, moradores da cidade se mobilizaram durante o fim de semana, em clima de alegria e oração em homenagem à possível futura santa.

Em julho do ano passado, a Diocese de Campanha entrou com pedido de abertura do processo de beatificação, que foi liberado recentemente pelo Vaticano. Dois representantes da sede da religião católica estão em Três Pontas e têm a missão de orientar nos trabalhos de pesquisa. O bispo da diocese, Diamantino Prata de Carvalho, nomeou uma comissão responsável para fazer todo o levantamento de documentos pessoais e de toda a história da madre. Serão ouvidas testemunhas importantes sobre a vida e trabalho da religiosa. Alguns dizem ter alcançado graças por sua intercessão. Numa próxima etapa, a documentação será encaminhada ao Vaticano.

No domingo da semana passada, o corpo da madre Tereza Margarida foi exumado e seus restos mortais, colocados ontem na capela do Carmelo de São José. Antes do sepultamento, houve uma procissão que saiu do mosteiro em direção à Igreja Matriz de Nossa Senhora D’Ajuda, para celebração de uma missa presidida por dom Diamantino.

Tereza Margarida do Coração de Maria nasceu em Borda da Mata, no Sul de Minas, em 24 de dezembro de 1915, e morreu em 14 de novembro de 2005, aos 89 anos, em Três Pontas, município onde viveu por 43 anos. Era irmã de dom João Resende Costa (1910-2007), arcebispo metropolitano de Belo Horizonte no período de 1967 a 1986. O nome de batismo de madre Tereza era Maria Luisa Resende Marques, que entrou para a vida religiosa aos 21 anos.

CAUSAS DE MINEIROS
O postulador da causa de beatificação da religiosa é o italiano Paolo Vilotta. A sugestão para o nome Tereza Margarida foi feita pelo também italiano Paolo Lombado, que cuida da causa do padre Vítor (1827-1905), natural de Campanha, mas residente muitos anos em Três Pontas, sendo chamado de “anjo tutelar da cidade”. O processo de beatificação do padre começou em 1993 e ele já recebeu o título de servo de Deus. Além de madre Tereza Margarida do Coração de Maria, outros religiosos mineiros têm processo de beatificação em andamento, entre eles irmã Benigna, natural de Diamantina e falecida em Belo Horizonte; monsenhor Alderije, de Santa Rita de Caldas; Nhá Chica, de Baependi; e irmã carmelita madre Maria Imaculada, fundadora do Carmelo da Sagrada Família, de Pouso Alegre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade