Publicidade

Estado de Minas Outono-Inverno

Fiel às raízes, mas nem tanto

A grife italiana Emilio Pucci lança coleção com peças mais próximas do seu DNA, mas continua introduzindo criações bem diferenciadas como fez no verão passado


11/04/2021 04:00

(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)


Para a Emilio Pucci, o Resort é um estado de espírito, um jeito de ser. O espírito Pucci, aliás, é ensolarado, mesmo em pleno inverno, esbanjando alegria, energia e otimismo no frescor das cores, no ritmo das estampas. Apesar de a marca divulgar que “tudo remonta ao próprio Emilio Pucci”, não é bem isso que vemos nos modelos criados. O visionário fundador da maison italiana, que se antecipou a tantas inovações, dá impressão de que se cansou um pouco de suas estampas psicodélicas que revolucionaram a moda e cativaram mulheres no mundo todo. Como um viajante e um homem ativo, ele traduziu suas criações e sua moda com vitalidade. Abriu a primeira boutique em Capri, mas, na verdade, começou sua carreira em 1947, nas pistas de esqui da Suíça, e adorava "Puccificar" todas as estações.
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 
 
A nova coleção outono-inverno 2021 da Emilio Pucci, idealizada por um renovado time criativo que está à frente do design há algumas temporadas, lançou um inverno ensolarado com trajes resort que vão de St Tropez a St Moritz. As cores são alegres, refinadas e audaciosas; o corpo é leve e livre, atlético, com estampas, muitas estampas em meias, segundas peles, casacos, camisas, bodies. Shorts e saias surgem com transparências revelando pernas sempre enfeitadas, nunca nuas.
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 
 
A modernidade imprime a ideia de um guarda-roupa de peças separadas, que podem ser combinadas de maneiras infinitas de acordo com as vontades individuais, criando uma infinidade de looks. Jaquetas bomber acolchoadas, blusões e shorts curtos, polos e bodysuits em jacquard de mohair, túnicas e casacos dupla face, macacões, vestidos plissados leves e vestidos de chifon com transparências, decorados com cristais e penas são os destaques de uma coleção que carrega o DNA da Emilio Pucci, acrescido de um novo DNA que vem sendo introduzido na grife e tem causado bastante estranhamento.
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 
 
A cartela de cores é composta pelos tons de marfim, amarelo, rosa, laranja, nude e petróleo. Os mesmos tons caracterizam as estampas Cervinia, Cortina d'Ampezzo, Specchi, Clessidra, Nuages e Nappine: prints e desenhos icônicos, direto dos arquivos da Pucci, foram atualizados e dessaturados.
O clima invernal pede peças acolchoadas e com cara de edredom e a Emilio Pucci traduziu esse conforto em jaquetas bomber e em shorts em seda ou veludo técnico, com preenchimentos sustentáveis feitos de fibras de seda natural e de garrafas R-PET. Um casaco longo, acolchoado remete aos antigos robes da década de 1960, muito usado pelas mulheres, em casa: uma preciosidade. O tecido dos macacões de esqui também é feito de náilon reciclado, em alinhamento com o compromisso da Pucci em dar ênfase à questão da sustentabilidade em suas coleções. Destaque também para casacos lisos estruturados, em uma modelagem futurista, para serem usados sobre os bodies estampados.
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 
 
Um exercício de cor e estampa que atualiza o legado da maison italiana, espalhando os desejados prints em lugares inesperados e levando requinte e alegria por todos os lados. Uma coleção que incorpora o estilo moderno da Emilio Pucci.
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 
 
(foto: Pucci Divulgação)
(foto: Pucci Divulgação)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade