Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Os mais vendidos

Já com os pedidos em mãos para iniciar a produção da próxima coleção, marcas de BH apontam as peças que mais encantaram os lojistas no salão de negócios do Minas Trend


postado em 28/04/2019 05:08

Arte Sacra
Arte Sacra

É sempre uma surpresa descobrir o que vai agradar aos clientes. Muitas vezes, os estilistas apostam em uma roupa, mas são outras que se destacam nas prateleiras. Encerrado o salão de negócios do Minas Trend, as marcas já podem dizer o que mais chamou a atenção dos compradores. A partir desse levantamento, apontamos as peças-desejo que estarão disponíveis em lojas de todo o Brasil a partir de outubro, quando serão apresentados aos consumidores os lançamentos para a primavera/verão 2020.

Entre os clientes da Victordzenk, foi unanimidade a kafefã com estampa geométrica que une amarelo, preto e branco. Para criar essa padronagem, o estilista à frente da marca se baseou em um dos quadros do artista Rodrigo de Castro, que inspira toda a coleção. “Fiquei impressionado porque achei que, por ser filho do Amilcar de Castro, o trabalho dele seria monocromático, mas me deparei com um universo supercolorido”, comenta Victor Dzenk.

Feita em chiffon com toque de seda, a kafefã tem uma leve transparência e pode ser usada por cima de maiô ou biquíni ou com uma combinação por baixo. As linhas que dividem as cores no quadro de Castro, que está no seu ateliê em São Paulo, se transforma em vivos coloridos na peça.

Curiosamente, em meio a uma coleção com muitas cores e estampas, inspirada no clima da cidade de Fez, no Norte do Marrocos, a peça mais pedida na Unity Seven é da cor off white. O vestido acinturado no comprimento mídi tem bojo no formato de corselet e saia evasê. “Hoje, a mulher brasileira aprendeu a ser sensual sem mostrar muito o corpo”, comenta o estilista Fernando Silva, apontando para o exemplar de tecido alfaiataria que mistura crepe, viscose e elastano.

Versátil, o vestido pode ser usado com ou sem o cinto de fivela de resina na cor âmbar desenhada pelo próprio estilista. Outra sugestão de Fernando é combinar a peça com um casaco do mesmo tecido que tem bordados de flores encontradas no Marrocos, como as hortênsias.

No estande da Arte Sacra, venceu o vestido todo de tule, que se apresenta como uma alternativa para fugir dos bordados. A peça tem drapeados na parte de cima e saia godê em camadas. O shape representa bem a proposta das estilistas Carolina e Marcela Malloy, que querem, com a coleção “Nosso Tempo”, resgatar o romance do passado, mas com um novo olhar. A cor blush foi a mais vendida. “É o novo nome para o nude, um clássico que traz elegância e realça a beleza da mulher”, pontuam as irmãs.

Não pense que o tricô fica de fora do verão. Além de desenvolver tramas que resultam em roupas mais leves, frescas e fluidas para a temporada de calor, Natalia Pessoa investiu muito em decotes. Tanto que o vestido mais vendido tem uma abertura até a cintura que valoriza o colo da mulher. A estampa é um quadriculado com tons variados de azul e off white. “A inspiração vem do cobogó, elemento da arquitetura criado no Nordeste para iluminar e ventilar as casas”, conta a estilista que dá nome à marca.

As roupas de couro também se transformam para que não fiquem esquecidas no verão. No estande da Bella Pelle, chamou mais a atenção dos compradores o vestido rosa-claro com rendas e vazados na barra, pensado justamente para os dias de sol.

A Marrô, segunda marca da M.Rodarte, acertou ao misturar zibeline e tule estampado. Os clientes aprovaram a estratégia de deixar os vestidos de festa mais leves e incluíram em todos os pedidos o de alcinha e saia rodada. “Inspirados no Meatpacking District, em Nova York, onde existem muitas galerias de arte, criamos estampas exclusivas que parecem pintura”, destaca Larissa Villanova. Segundo a estilista, a aposta é nos florais em fundo preto para mostrar que o verão não precisa ser óbvio.

BALI O linho atraiu mais os olhares dos compradores nas araras da Fedra, que faz parte do Grupo Fátima Scofield. Talvez por ter sido explorado ao máximo na coleção que convida as mulheres a uma viagem a Bali. O campeão de vendas foi o vestido de comprimento midi, mangas bufantes, bolsos e fechamento com botões na cor azul-claro, uma opção para substituir o nude.

Pensando em tudo o que a mulher gostaria de usar, a equipe da Anne Fernandes sempre apresenta uma coleção bem eclética. Entre tantas opções, que passam por cetim, lese, linho com fios metalizados e telas bordadas, os lojistas elegeram como queridinho o conjunto de calça de alfaiataria ajustada ao corpo na cor bege e blusa branca de malha com detalhes em renda. “A mistura de tecidos e texturas criou um equilíbrio perfeito no look”, observa Luciana Fernandes.

A Maracujá continua a criar roupas de festa que surpreendem. O macacão com pernas plissadas e aberturas laterais na cintura agradou por trazer uma proposta moderna, mas quem disparou no ranking de vendas foi o vestido com duas texturas de crepe estampado. O corpo tem plissados, enquanto a saia se forma através de várias camadas de babados. Já no estande da Kalandra, que buscou referências nas obras e paisagismo de Inhotim para criar a sua coleção, o vestido verde, com saia mais curta na frente, que revela uma saia vermelha por dentro, promete ser sucesso nas lojas.


Publicidade