Publicidade

Estado de Minas

Lobão diz que atraso em Belo Monte pode prejudicar o país


postado em 21/08/2012 09:16 / atualizado em 21/08/2012 10:02

Ministro está preocupado com cronograma das obras(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
Ministro está preocupado com cronograma das obras (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje (20) que a possível paralisação das obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte poderá prejudicar o cronograma. "Se não conseguirmos uma solução rápida, teremos esse problema grave, o que não é bom para ninguém, se perdermos a janela hidrológica e perdermos um ano na construção de Belo Monte, isso tudo custará ao povo brasileiro", disse Lobão. Na semana passada, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou a paralisação das obras por descumprimento à determinação constitucional que obriga audiências públicas com as comunidades afetadas. "Foi determinada por uma instância da Justiça e nós temos recursos a outras instâncias. É assim que se faz em um regime democrático como o nosso. Temos esperança que esse será um assunto a ser brevemente resolvido", disse Lobão. Segundo o ministro, Belo Monte tem o "menor impacto ambiental do mundo" em relação ao potencial da usina. Ele ressaltou que as comunidades indígenas do local não serão afetadas e que os ribeirinhos serão realocados. Lobão participou da assinatura dos contratos de concessão das usinas hidrelétricas Baixo Iguaçu e São Roque, que devem começar a gerar energia em 2016.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade