Publicidade

Estado de Minas

Bruno: um sedutor até o fim


postado em 08/03/2013 07:52 / atualizado em 24/02/2017 09:48

Ingrid Oliveira, esposa: casamento na prisão(foto: Euler Junior/EM/D.A Press)
Ingrid Oliveira, esposa: casamento na prisão (foto: Euler Junior/EM/D.A Press)
Um dos raros momentos de descontração do goleiro Bruno Fernandes durante o seu julgamento pelo sequestro e morte de Eliza Samudio foi quando ele sorriu ao ouvir o promotor Henry Wagner Vasconcelos ler trechos de uma carta escrita pelo ex-capitão do Flamengo a sua ex-namorada, Fernanda Gomes de Castro. Na carta, enviada da Penitenciária Nelson Hungria, onde está preso, Bruno, já noivo da dentista Ingrid Oliveira, com quem mais tarde se casaria, confessou seu amor por Fernanda e até prometeu se casar com ela.

"Estou com vontade de ficar com você... de fazer amor com você... Estou com o coração explodindo", disse o goleiro na correspondência, reafirmando o seu poder de sedução sobre as mulheres, algo que veio à tona desde o início das investigações da trama que resultou no assassinato de Eliza. Na ocasião, quando a polícia divulgou a participação de Fernanda e de Dayanne Rodrigues de Souza, ex-esposa de Bruno, no caso, ficou patente que o atleta sempre viveu cercado de mulheres e que envolveu três delas no desaparecimento de Eliza.

Fernanda Gomes de Castro, a ex-namorada(foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press - 20/07/2010)
Fernanda Gomes de Castro, a ex-namorada (foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press - 20/07/2010)
Hoje, passados quase três anos, os destinos dessas três mulheres permanecem presos a Bruno, de uma maneira ou de outra. Fernanda, julgada em novembro pelo sequestro de Eliza Samudio e de Bruninho, foi condenada a cinco anos em regime aberto. Seus advogados recorreram da sentença, mas o recurso ainda não foi julgado. Morando no Rio de Janeiro, Fernanda não mais retornou a Belo Horizonte depois do julgamento e procurou se afastar do noticiário.

Dayanne, que dividiu o banco dos réus com Bruno, é mãe das duas filhas do goleiro e teve sua absolvição pedida pelo promotor, num acordo para que ela falasse mais a respeito da participação do policial aposentado José Lauriano de Assis Filho, o Zezé, no sequestro e morte de Eliza. Dayanne atendeu o pedido e contou aos jurados ter recebido vários telefonemas do ex-policial, alegando se sentir ameaçada por ele.

Dayanne Rodrigues de Souza, a ex-esposa(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Dayanne Rodrigues de Souza, a ex-esposa (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Quanto a Ingrid, acompanhou o julgamento sempre com a esperança de que Bruno fosse absolvido, procurando, o tempo todo, mostrar que seu marido não tinha envolvimento com a morte de Eliza. Os dois se casaram no Dia dos Namorados do ano passado, na Nelson Hungria. Evangélica, a dentista carioca é apontada como a responsável pela conversão de Bruno, segundo informaram alguns dos advogados que atuaram na defesa do goleiro desde 2010. Ela é apontada também como uma mulher de personalidade forte, que teria proibido a presença de Dayanne na penitenciária para acompanhar as filhas de Bruno nas visitas ao pai. Hoje, depois de seu veto, as crianças são levadas ao presídio por um advogado.

SEM ACUSAÇÕES
Fernanda, Dayanne e Ingrid também têm em comum o silêncio que mantêm com relação à participação de Bruno na morte de Eliza. Fernanda em momento algum acusou o goleiro de envolvimento no crime. Ingrid acredita piamente na inocência de Bruno, e Dayanne, mesmo pressionada pelo promotor e pelos jurados, procurou atribuir a responsabilidade pelo homicídio a Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, melhor amigo e braço direito do ex-ídolo rubro-negro, condenado em novembro a 15 anos de prisão.

Frases do goleiro

 

"Quem nunca brigou ou até saiu na mão com a mulher?"

"Gostaria de dizer a todos que fui mal interpretado e não sei se utilizei o termo correto. Tenho mulher e duas filhas que um dia vão crescer. Todas as mulheres do Brasil merecem respeito e carinho"

 

"Uma festa para os meus amigos se tornou uma confusão... essa história acabou com o meu casamento"

 

"Eu ainda vou rir muito desse caso"

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade