Publicidade

Estado de Minas

Saiba mais sobre a trajetória do goleiro Bruno Fernandes

Vida do atleta foi marcada por infância pobre e persistência para entrar no mundo do futebol, mas gênio explosivo o colocou no olho do furacão dentro e fora de campo


postado em 08/03/2013 07:34 / atualizado em 24/02/2017 09:51

O jogador fez 59 partidas pelo Atlético entre 2005 e 2006. Negociado, seguiu para o Flamengo, onde foi campeão brasileiro em 2009(foto: AUREMAR DE CASTRO/EM/D.A PRESS - 27/11/05)
O jogador fez 59 partidas pelo Atlético entre 2005 e 2006. Negociado, seguiu para o Flamengo, onde foi campeão brasileiro em 2009 (foto: AUREMAR DE CASTRO/EM/D.A PRESS - 27/11/05)


Bruno Fernandes das Dores de Souza não era diferente da maioria dos garotos, pobres ou ricos. O sonho era se tornar celebridade do futebol. Da infância cheia de dramas na favela onde cresceu, em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte, até chegar ao Atlético e atingir o auge no Flamengo, o ex-goleiro uniu sorte à competência para ganhar a vaga de titular nos grandes clubes. Conquistava finalmente o status de ídolo. Mas de camarote assistiu a sua vida mudar em três tempos. Trocou o glamour momentâneo que o esporte lhe proporcionou por um cela na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH.

Bruno deu os primeiros chutes na bola nos campos de várzea da capital. Aos 17 anos, depois de breves passagens por Tombense e Cruzeiro, o aspirante a goleiro juntou-se aos juniores do Atlético em 2001. Mas só estreou como profissional em 2005. Terceiro goleiro na ocasião, aproveitou a suspensão de Danrlei e as várias convocações de Diego para a Seleção Sub-20 para se firmar com a camisa 1. Em 12 de junho, assumiu o gol no empate por 1 a 1 com o Internacional, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro. Agarrou com unhas e dentes as oportunidades e foi um dos destaques da competição, apesar do rebaixamento do time naquela temporada.

Valorizado, foi negociado com o grupo de investimentos MSI, que obteve 81% dos seus direitos econômicos, e repassado ao Corinthians em meados de 2006. Não teve chances no Timão. Então com 21 anos, Bruno nem sequer entrou em campo e deixou o clube paulista menos de três semanas depois de faltar ao primeiro treino sem comunicar a comissão técnica então comandada por Emerson Leão. O treinador havia chegado para fazer uma renovação após a saída do fundo parceiro e dispensou o defensor por indisciplina. Após dois meses de inatividade, foi emprestado ao Flamengo, com o qual deu início à curta e conturbada carreira de glórias.

O rubro-negro foi um divisor de águas na carreira do goleiro. Com uma lesão do então titular, Diego, Bruno assumiu a vaga no fim daquele ano e não largou mais a posição. Ganhou o status de ídolo quando defendeu dois pênaltis na decisão do Estadual carioca contra o Botafogo, em 2007. No ano seguinte, a cúpula carioca investiu pesado no jogador, comprando 90% dos seus direitos por cerca de 3 milhões de euros. Foi um dos melhores investimentos do Fla. Em 2008, Bruno ajudaria o clube a conquistar mais um título estadual.

No ano seguinte, a história de 2007 se repetiria. Ele foi o grande responsável pela conquista do tricampeonato carioca, ao defender uma penalidade no tempo regulamentar e duas na disputa por pênaltis na decisão contra o mesmo Botafogo.

CAPITÃO E bem ou mal, o temperamento forte rendeu a ele a braçadeira de capitão com a aposentadoria de Fábio Luciano e o primeiro e único título nacional da carreira em 2009. O defensor, que já estampava as páginas policiais por causa de envolvimento em polêmicas com mulheres e amigos boleiros, fora um dos destaque do rubro-negro no triunfo sobre o Grêmio por 2 a 1, no Maracanã, que rendeu ao rubro-negro o sexto caneco do Campeonato Brasileiro.

Linha do tempo

1996
Começa na Escolinha de Futebol Palmeiras. Depois tem passagens pelo Democrata de Sete Lagoas, Venda Nova, Tombense e Cruzeiro

No Atlético
2001
Entra para os juniores

2004
Promovido ao profissional

12/6/05
Estreia
Internacional 1 x 1 Atlético
Campeonato Brasileiro
7ª rodada
Beira-Rio

29/7/06
Último jogo no Galo
Atlético 2 x 1 Portuguesa
Campeonato Brasileiro
14ª rodada
Mineirão

59 jogos
67 gols sofridos
24 vitórias
18 empates
17 derrotas

Julho de 2006
Vendido ao grupo MSI e repassado ao Corinthians

Setembro de 2006
Negociado com o Flamengo

2/9/06
Estreia
Flamengo 1 x 2 Internacional
Maracanã
22ª rodada
6/7/07
Defende dois pênaltis na decisão do Carioca contra o Botafogo no Maracanã e vira ídolo

Início de 2008
Flamengo compra o passe de Bruno por cerca de 3 milhões de euros

4/5/08
Conquista mais um título carioca no triunfo do Flamengo sobre o Botafogo por 3 a 1 no Maracanã

3/5/09
Defende duas penalidades (uma no tempo normal e outra na disputa de pênaltis) contra o Botafogo e é campeão carioca com o Flamengo mais uma vez

6/12/09
Flamengo vence o Grêmio por 2 a 1 no Maracanã e Bruno é campeão brasileiro pela primeira vez. É eleito melhor goleiro do campeonato

5/6/10
Último jogo
Flamengo 1 x 2 Goiás
Campeonato Brasileiro
Maracanã
7ª rodada

234 jogos
291 gols sofridos
4 gols marcados

Títulos

Campeão carioca
2007, 2008, 2009
Campeão brasileiro – 2009

24/6/10
A polícia recebe denúncias anônimas de que Eliza Samudio havia sido espancada e morta por Bruno e dois amigos no sítio de propriedade do jogador, em Esmeraldas

7/7/10
Bruno se entrega à polícia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade