Publicidade

Estado de Minas

Defesa de Bruno prepara recursos contra julgamento em júri popular


postado em 17/02/2011 08:43 / atualizado em 17/02/2011 08:51

O advogado Cláudio Dalledone, responsável pela defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes, prepara um recurso contra a decisão da juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, da Vara do Tribunal do Júri de Contagem, que mandou o acusado a júri popular. O ex-atleta é acusado de envolvimento na morte e desaparecimento de Eliza Samudio. Até meados da próxima semana o recurso será entregue no Fórum de Contagem, na Região Metropolitana de BH. O defensor sustenta que não teve a oportunidade de conversar com Bruno sem a presença de agentes penitenciários, que fazem permanente monitoramento dentro da Penitenciária Nelson Hungria.

Segundo a assessoria do advogado, Dalledone tenta ainda demonstrar aos desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) a ausência de materialidade do crime, o que deveria impedir a ida do réu a júri.

Bruno Fernades, o amigo do jogador, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e o primo do ex-goleiro, Sérgio Rosa Sales, foram pronunciados por homicídio triplamente qualificado, seqüestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, será julgado pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver. Já a ex-mulher do goleiro, Dayanne de Souza, Elenílson Vitor da Silva e Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, vão responder por sequestro e cárcere privado do filho de Eliza. Fernanda Gomes Castro, ex-amante de Bruno, vai responder por sequestro e cárcere privado de Eliza e do bebê. A juíza mandou soltar esses quatro réus, que respondem ao processo em liberdade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade