Publicidade

Estado de Minas CARREIRA

Profissionais que geram inovação têm mercado garantido

Em 21 de abril, 50 cidades em todo o Brasil terão uma programação aberta ao público para celebrar o Dia Mundial da Criatividade. Em sua quarta edição, o objetivo é fomentar e contribuir para uma agenda de modernização e desenvolvimento sustentável


postado em 03/04/2019 09:00 / atualizado em 03/04/2019 11:30

(foto: ColiN00B/Pixabay)
(foto: ColiN00B/Pixabay)


As pessoas nascem criativas ou se tornam criativas? É possível aprender? Em plena Era Digital, o perfil do profissional inovador e criativo torna-se o mais disputado pelo mercado de trabalho. Em 21 abril, 50 cidades em todo o Brasil, inclusive Belo Horizonte, terão uma programação aberta ao público para celebrar o World Creativity Day (Dia Mundial da Criatividade). O evento que está em sua quarta edição ganha em 2019 uma edição também em Portugal, nas cidades de Lisboa, Porto e Entroncamento. A data que entrou para o calendário oficial das Nações Unidas em 2017 tem como objetivo fomentar e contribuir para uma agenda de inovação e desenvolvimento sustentável.

No Brasil, a criatividade começou a ser celebrada alguns anos antes, pelas mãos do paulistano, Lucas Foster. Em 2014, Lucas, que é fundador da ProjectHub e idealizador do Prêmio Brasil Criativo, uma das principais referências em economia criativa do país, teve a ideia de comemorar a criatividade com um evento gratuito que apresentasse a importância da inovação. “Nossa intenção é democratizar e desmistificar a criatividade, encorajando as pessoas a usarem seu potencial criativo, buscando novas maneiras de lidar com antigas e novas questões, gerando recursos e soluções.”

Pelo segundo ano consecutivo na Avenida Paulista, o evento com realização do LabCriativo contará com atrações sobre inovação, arte, tecnologia, diversidade, e impacto social em toda a extensão da Avenida, da Praça dos Arcos ao Centro Cultural São Paulo. As ações ocorrerão de forma aberta e gratuita, em diversos espaços como Reserva Cultural, Livraria Cultura, Casa das Rosas, WeWork, entre outros. A estimativa é que o evento impacte um público de mais 65 mil pessoas no Brasil, com palestras, mesas e oficinas, tendo a criatividade com enfoques variados como arte, inovação, economia, tecnologia, educação, negócios, entre outros.

Cada uma das 53 cidades anfitriãs no Brasil e Portugal tem líderes locais selecionados pela plataforma ProjectHub. “Desta forma conseguimos ter acesso a iniciativas e pessoas incríveis que geram inovação em todos os cantos desses países, e assim podemos compartilhar essas histórias e experiências no Dia Mundial da Criatividade, para que os brasileiros e portugueses possam conhecer, aprender e se inspirar”, explica Lucas.

Para Lucas Foster, fundador da ProjectHub e idealizador do Prêmio Brasil Criativo, criatividade tem a ver com escolhas, trabalho diário, estudo e conhecimento do tema em que se quer desenvolver um projeto
Para Lucas Foster, fundador da ProjectHub e idealizador do Prêmio Brasil Criativo, criatividade tem a ver com escolhas, trabalho diário, estudo e conhecimento do tema em que se quer desenvolver um projeto


Lucas Foster define criatividade como a “capacidade humana de utilizar um determinado conjunto de repertórios (memórias, conhecimentos, habilidades) de maneira individual ou coletiva em uma determinada situação presente seja para resolver um problema de curto, médio ou longo prazos. O problema pode estar relacionado com aspectos de busca de prazer (ex: um novo destino turístico) ou de redução de riscos, desperdícios e danos (ex: uma inovação para acabar com inundações em uma área da cidade). É importante destacar que criatividade não precisa, necessariamente, ser aplicada para resolver um problema externo, mas pode servir para satisfazer em algum grau o indivíduo que cria. Como no caso das artes, da música ou até mesmo como um exercício intelectual”.

A pessoa nasce criativa ou se torna criativa? Esta questão sempre vem à tona. Para Lucas Foster, as pessoas nascem com o potencial criativo. “Um ser humano que nasce com suas funções cognitivas e neurológicas preservadas é capaz de utilizar seu repertório em diferentes estágios da vida para solucionar problemas de ordem pessoal ou profissional. No entanto, ao longo do tempo, e de acordo com o contexto em que esse indivíduo se desenvolve, ele pode ampliar esse repertório e ter mais liberdade e flexibilidade interna e externa para propor e agir de maneira criativa em seu dia a dia.” Ele destaca que o exercício da criatividade se dá na relação de um indivíduo com ele mesmo e na interação dele com outras pessoas e com o ambiente externo. “É fundamental que o indivíduo tenha uma percepção positiva sobre si mesmo e que tenha desenvolvido uma capacidade de interagir de maneira curiosa e horizontal com o mundo à sua volta.”

ECONOMIA CRIATIVA


A economia criativa é uma conceito que define um conjunto de setores em que a criatividade é fundamental para a geração de valor, renda, emprego e para o Produto Interno Bruto (PIB) do país. “Ela cresce no mundo todo, está muito relacionada com as novas tecnologias, com essa mudança no mundo do trabalho e com a geração millennials e de novos profissionais do mercado de trabalho que atuam principalmente com inovação e criatividade. Então, setores como moda, design, gastronomia, arquitetura indústria de games, cinema e audiovisual são indústrias criativas que ajudam a agregar valor para indústrias tradicionais”, explica Lucas Foster.

O Prêmio Brasil Criativo tem propósito é incentivar e valorizar a criatividade presente na alma de todo brasileiro: seja na criação da famosa gambiarra, fazendo muito com pouco, seja na explosão de startups, patentes e descobertas em centros de pesquisa e inovação espalhados por todo o país

Lucas Foster, fundador da ProjectHub e idealizador do prêmio

Neste universo, é seguro pensar que o brasileiro está mais do que inserido, já que é apontado como um dos povos mais criativos. Será mesmo? Lucas Foster enfatiza que “todos os indivíduos, seja qual for a sua nacionalidade, têm um potencial criativo. No entanto, historicamente, o brasileiro teve durante o processo de desenvolvimento cultural do país a criatividade reprimida dentro de suas instituições formais como a escola, o trabalho e a família. Em muitas situações, ela foi exercida em situações mais associadas ao tempo livre, como o lazer, o esporte, a cultura, a gastronomia e menos relacionada à inovação de bens, produtos e serviços. Sendo assim, a criatividade brasileira, marginalizada historicamente em diversas situações, foi ganhando características inusitadas, que em muitas vezes, foi classificada como gambiarra”.

Portanto, segundo Foster, foi a falta de apoio e incentivo formal das instituições historicamente no Brasil, que foram incapazes de acolher e transformar criatividade em inovação, que levou as pessoas no Brasil a expressarem sua criatividade no tempo livre ou de maneira inusitada, trazendo uma diferenciação muito grande do país em algumas áreas de pouco valor agregado, mas de muita repercussão cultural.
Nos tempos de hoje, a criatividade se tornou um bem incomensurável. E, mais ainda nos dias de crise, ela é fundamental e nasce, na maioria das vezes, da escassez, da pressão, da adversidade e do aperto? Para Lucas Foster, não necessariamente. “Há caso que sim, o uso da criatividade serve para alavancar negócios (e vidas) que passam por situações de escassez. Mas há muitos outros no Brasil e no mundo em que pessoas criativas surfam em ondas de negócios extremamente abundantes e, por este motivo, só aumentam seus lucros/ negócios, por meio do uso da criatividade. Não à toa, países como Holanda, Dinamarca e Suíça são grandes polos de criatividade e inovação.”

(foto: adonyig/Pixabay )
(foto: adonyig/Pixabay )


PRÊMIO BRASIL CRIATIVO


Um dos idealizadores e fundadores, Lucas Foster conta que o Prêmio Brasil Criativo é a premiação oficial da economia criativa brasileira. “O propósito é incentivar e valorizar a criatividade presente na alma de todo brasileiro: seja na criação da famosa gambiarra, fazendo muito com pouco, seja na explosão de startups, patentes e descobertas em centros de pesquisa e inovação espalhados por todo o país. É uma iniciativa que nasceu em 2014 com o endosso do Ministério da Cultura e, desde então, tem muitas histórias e uma comunidade vibrante para apresentar”. Para saber mais basta acessar:  
http://www.premiobrasilcriativo.com.br/
Para ser um vencedor do prêmio é necessário explorar todo o seu potencial criativo, colocá-lo para fora. Conforme Lucas Foster, a criatividade é o exercício intelectual humano para pensar, propor e construir o novo. “Muitas vezes, o novo é temido ou reprimido e com isso, a criatividade passa a ser desestimulada pelo próprio indivíduo. Frases como “mas sempre foi assim”, “isso nunca vai dar certo” ou “você está completamente equivocado” são usadas em situações de diálogo, no qual a repressão ocupa um lugar na disputa de poder. Por isso, estimular a escuta e o interesse genuíno na ideia da pessoa é fundamental. Para isso, é preciso valorizar a curiosidade, conhecimento, esforço, desempenho e outras atitudes cotidianas necessárias para o florescimento da criatividade.”

(foto: stokpic/Pixabay )
(foto: stokpic/Pixabay )


Assim, é fácil perceber que a criatividade também tem a ver com autoconhecimento: “Mas não só. Quanto mais a pessoa se conhece, se empenha mais ela é capaz de usar suas capacidades para o desenvolvimento de algum projeto. Criatividade tem a ver ainda com escolhas, trabalho diário, estudo, conhecimento do tema em que se quer desenvolver um projeto. Mas, sim, uma pessoa com autoconhecimento é capaz de identificar melhor suas potencialidades e suas fraquezas e, com isso, administrar melhor os perseguidores e medos que, muitas vezes, são os principais repressores da criatividade ou da expressão de criatividade de uma pessoa em ambientes coletivos.”
No mercado de trabalho, muitos colegas apontam os profissionais mais criativos como especiais. O que talvez possa retrair outros colaboradores a também expressar seu potencial criativo: “Se partimos do princípio que todas as pessoas são criativas, todas são especiais em algum grau. O que existe de especial nas pessoas criativas é que elas tiveram a liberdade para acreditar em suas ideias e expressá-las em algum momento.”

AS CIDADES

Confira as cidades brasileiras participantes do Dia Mundial da Criatividade, que também estará presente em Portugal, contemplando Lisboa, Porto e Entrocamento:

SUDESTE
Assis (SP)
Belo Horizonte (MG)
Campinas (SP)
Cariacica (ES)
Cuiabá (MT)
Duque de Caxias (RJ)
Guarulhos (SP)
Itaquaquecetuba (SP)
Ituiutaba (MG)
Lagoa Santa (MG)
Montes Claros (MG)
Niterói (RJ)
Petrópolis (RJ)
Ribeirão das Neves (SP)
Ribeirão Pires (SP)
Rio de Janeiro (RJ)
Santo André (SP)
São Paulo (SP)
Serra (ES)
Uberlândia (MG)
Valença (RJ)
Valinhos (SP)
Vitoria (ES)
Volta Redonda (RJ)

SUL
Caxias do Sul (RS)
Curitiba (PR)
Florianópolis (SC)
Imbituba (SC)
Irati (PR)
Ivoti (RS)
Joinville (SC)
Lajeado (RS)
Maringá (PR)
Novo Hamburgo (RS)
Porto Alegre (RS)
Rio do Sul (SC)
São José (SC)

NORDESTE
Caruaru (PE)
Feira de Santana (BA)
Fortaleza (CE)
Imperatriz (MA)
Maceió (AL)
Natal (RN)
Recife (PE)
Salvador (BA)
São Luís (MA)
Teresina (PI)

CENTRO-OESTE
Brasília (DF)
Campo Grande (MS)
Goiânia (GO)

NORTE
Porto Velho (RO)

AS CATEGORIAS

Patrimônio
 – Patrimônio material
 – Patrimônio imaterial
 – Arquivos
 – Museus

Expressões culturais
 – Artesanato
– Culturas populares
– Culturas indígenas
– Culturas afro-brasileiras
– Artes Visuais
– Arte digital

Artes de espetáculo
– Dança
– Música
– Circo
– Teatro

Audiovisual/Do livro à leitura e à literatura
– Cinema e vídeo
– Publicações e mídias impressas
– Publicações e mídias digitais

Criações culturais e funcionais
– Moda
– Design
– Arquitetura
– Games
– Gastronomia

Homenagem
– Reconhecimento por trabalho consagrado

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade