Publicidade

Estado de Minas

Mônica Martelli promete 'terapia de grupo' no Sesc Palladium

Atriz volta a BH com 'Minha vida em marte'. Às voltas com a crise no casamento, a personagem Fernanda encara as próprias inseguranças. 'Por meio ela, eu me conheço cada vez mais', diz Mônica


postado em 08/11/2019 04:00

Fernanda Gomes*

“A Fernanda é de uma geração de mulheres que aturam até demais para manter o casamento. Mas ela não é assim”, garante Mônica Martelli sobre a personagem do monólogo escrito e protagonizado por ela. Minha vida em Marte volta a BH no sábado (9), com duas sessões no Sesc Palladium. “Será uma terapia em grupo. Todo mundo vai rir, se emocionar e refletir”, promete a atriz.

A peça é a continuação de outro espetáculo: Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou, que ficou em cartaz por 12 anos. Desta vez, a protagonista Fernanda está casada há oito anos, tem uma filha pequena e enfrenta um relacionamento em crise. “Ela sempre questiona seus sentimentos e suas certezas. Luta para manter o casamento, mas não aceita tudo”, afirma a atriz.

Para criar Fernanda, Mônica se baseou em seus próprios questionamentos, loucuras e inseguranças. Conta que enquanto escreve, percebe coisas sobre si mesma às quais antes não dava atenção. “Por meio da Fernanda, eu me conheço cada vez mais”, revela.

A personagem vive situações pelas quais muitas pessoas passam. Porém, o diferencial, diz Mônica, é o olhar de Fernanda sobre a vida “A gente cresce e amadurece se relacionando, e ela amadurece comigo”, observa. “Antes, a cada homem que ela encontrava, achava que era o amor de sua vida. Agora mais madura, percebe que pode ser feliz sem um relacionamento.”

Presente nos palcos, no cinema e em novelas, Mônica conta que deve seu sucesso a Fernanda. “Tive reconhecimento profissional por meio da personagem inspirada em mim”, comemora. Aliás, Fernanda já rendeu quatro temporadas da série Os homens são de Marte... no canal GNT, dois filmes e duas peças.

“A única coisa que não quero que a Fernanda perca, porque também não quero perder, é a capacidade de amar. Sem isso, eu murcharia para a vida”, diz Mônica, que é dirigida pela irmã, Susana Garcia, em Minha vida em Marte.

É a segunda vez que a atriz traz a peça a BH, onde tem família. “Já vou pra aí pensando no que vou comer”, brinca. “O público belo-horizontino é muito caloroso”, elogia.

* Estagiária sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria

MINHA VIDA EM MARTE
Dramaturgia e atuação: Mônica Martelli. Direção: Susana Garcia. Sesc Palladium. Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. Sábado (9), às 19h e às 21h30. Inteira: R$ 140 (plateia 1), R$ 120 (plateia 2) e R$ 75 (plateia 3). Meia-entrada na forma da lei.


Publicidade