Publicidade

Estado de Minas

Exposição de Vicente de Mello reúne fotos de ambientes atemporais

Mostra na dorART Galeria pode ser vista a partir deste sábado (26)


postado em 25/10/2019 04:00 / atualizado em 23/10/2019 13:46

Fernanda Gomes*

Em sua nova exposição, Vicente de Mello apresenta fotografias de ambientes que considera atemporais. Por meio de alterações químicas, coloca nelas uma película vermelha, “a cor do tempo”, afirma. A série Op. VT, que ficará exposta a partir deste sábado (26) na dotART Galeria, procura mostrar ambientes “que existem e devem existir até o futuro”, diz o fotógrafo.

Fotos passaram por processo químico que acrescentou película colorida à imagem em preto e branco(foto: Vicente de Mello/Divulgação)
Fotos passaram por processo químico que acrescentou película colorida à imagem em preto e branco (foto: Vicente de Mello/Divulgação)

“O homem está destruindo os recursos naturais. Quando fotografo uma folha, quero que ela esteja lá no futuro”, ressalta Vicente. Ele prefere registrar ambientes que não serão afetados pela passagem do tempo. Sendo assim, podem ser revisitados de 10 em 10 anos, sem sofrer mudanças significativas. Por isso, o fotógrafo segue uma regra: não incluir a figura humana em sua obra. “Se tem alguma pessoa, espero-a sair para depois fotografar”.
Vicente tenta criar um certo distanciamento em suas fotos. O homem não consegue se encaixar nas paisagens registradas por ele, “como se não houvesse ninguém no planeta Terra.” Apaixonado desde criança pela arte de capturar imagens, ele procura um olhar não convencional sobre as coisas, registrando anomalias de formas e tamanhos. Torna-se difícil para o espectador avaliar se algo é grande ou pequeno, por exemplo.

Op. VT é a junção de quatro trabalhos da série Opere (Op) com três obras do projeto Vermelhos telúrios (VT). Ele usou filme preto e branco, além da câmera Rolleiflex, que o acompanha em toda sua carreira.

A inspiração para atribuir a cor vermelha ao tempo veio das tonalidades adquiridas por fotos registradas por câmeras analógicas. Com o passar dos anos, elas vão se tornando avermelhadas. “Quanto mais vejo, mais fotografias faço”, revela Vicente, ao explicar seu método de trabalho. Primeiro, ele fotografa livremente; depois, no estúdio, agrupa as imagens em séries.

* Estagiária sob supervisão do subeditor Marcílio de Moraes

OP. TV
Trabalhos de Vicente de Mello. dotART Galeria. Rua Bernardo Guimarães, 911, Savassi, (31) 3261-3910. A mostra será aberta neste sábado (26), das 11h às 16h. O artista vai comandar visita guiada às 15h. O espaço funciona de segunda a sexta, das 10h às 19h, e aos sábados, das 10h às 13h. Até 30 de novembro.
 


Publicidade