Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Restaurante Soriano aposta na gastronomia da região dos Pampas

O conceito da casa, no Funcionários, nasceu de uma viagem dos sócios Frederico Curi e Wagner Salomão ao Uruguai. Carnes e até legumes são preparados na parrilla


postado em 15/03/2019 05:04

Frederico Curi e Wagner Salomão fizeram pesquisas no Uruguai antes de abrir o Soriano(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A PRESS)
Frederico Curi e Wagner Salomão fizeram pesquisas no Uruguai antes de abrir o Soriano (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A PRESS)



Soriano é um departamento uruguaio na região dos Pampas, famosa pelas planícies cobertas por campos. Abrangendo parte do Uruguai, Argentina e Brasil, essa área da América do Sul se notabiliza pela pecuária. Em uma viagem a Soriano, os empresários Wagner Salomão e Frederico Curi se encantaram com os cortes e o preparo da carne adotados lá. Encontraram nos Pampas a vocação para o restaurante que decidiram abrir em BH.

Nada mais justo que essa casa, especializada em carnes, fosse batizada de Soriano. “Fizemos uma imersão gastronômica para ver como funcionava. Fomos a Montevidéu, capital do Uruguai, e a Soriano, que é como se fosse um estado uruguaio”, conta Wagner.

De segunda-feira a domingo, a casa abre para almoço e jantar. No almoço, são oferecidos pratos executivos – um deles é o El puchero, cozido de carne de porco com legumes e feijões brancos (R$ 27,90). Outro é o arroz campeiro cozido no caldo de costela com linguiça, legumes e ovo caipira frito (R$ 29,50). Por sua vez, a costilla de cerdo vem com batatas fritas e salsa criola (R$ 41,50).

MINAS O chef Frederico Curi procurou estabelecer o diálogo entre a culinária dos Pampas e a cozinha mineira. Exemplo disso é o bife a lo pobre, corte bovino acebolado com ovo caipira, batata frita, feijão de lenha e arroz branco (R$ 32,90). “É uma casa dos Pampas com a pegada da mineiridade, com a nossa hospitalidade”, explica.

No jantar, destacam-se os cortes bovinos, suínos e aves. A casa oferece bife de chorizo (R$ 62), bife ancho (R$ 62), short ribs (R$ 89) e picanha (R$ 77), servidos com acompanhamentos – papas rústicas com molho de pimentão assado ou abóbora assada com rúcula e creme de queijo. Há também opções brasileiras: arroz branco, feijão de lenha, batatas fritas, farofa da casa e vinagrete.

Entre os cortes suínos, há picanha (R$ 48,90), costilla de cedro (R$ 48,90) e linguiça da casa (R$ 39,90). Entre as aves, um dos destaques é o galeto na parrilla (R$ 41,50).

Um diferencial da casa é a preparação. “A parrilla está presente na maioria de nosso menu de carnes e até no preparo dos legumes”, afirma Frederico. Esse jeito pampeano de assar substitui o carvão por lenha. Na parrilla, a brasa fica mais próxima à carne, fazendo com que fique grelhada, mas com o miolo vermelho. “É um cozimento diferente, muito superior ao da churrasqueira. Como usamos lenha no lugar do carvão, a carne é defumada”, explica o chef.

A casa prepara sanduíches especiais. O chivito traz carne, queijo, tomate tostado e molho especial de bacon (R$ 34,90). O choripan reúne pão com linguiça, maionese, chimichurri e picles de cebola roxa (R$ 29,50).

“Muitas pessoas vêm atrás de refeições rápidas. Uma opção são os sanduíches, que saem também no almoço”, diz Frederico. A carta de vinho conta com 60 rótulos de vários países. Soriano serve também seis opções de chope da Krug.

RESTAURANTE SORIANO
Rua Tomé de Souza, 133, Funcionários. (31) 2516-5112. Segunda-feira, das 11h30 às 15h; terça a quinta, das 11h30 às 15h e das 18h à 0h; sábado, das 11h30 à 0h; domingo, das 11h30 às 17h30.


Publicidade