UAI
Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

BH Soul Blues Festival volta a ser realizado, agora espalhado pela cidade

Suspenso nos últimos dois anos e atingido pela perda de seu bar-sede, que fechou durante a pandemia, evento se reformulou e recomeça neste sábado (14/4)


14/05/2022 04:00 - atualizado 13/05/2022 22:59

As integrantes da Ablusadas posam juntas no Café com Letras
Ao lado da Audergang, a banda Ablusadas é atração da abertura do festival, hoje, no Bairro Aparecida. As apresentações vão até o próximo dia 28, às quartas e sábados (foto: Iana Domingos/Divulgação)

O BH Soul Blues Festival volta a ser realizado em Belo Horizonte a partir deste sábado (14/5), após dois anos suspenso devido à pandemia da COVID-19. Pela primeira vez, o evento, que ocorre também em 18, 21, 25 e 28 de maio, será realizado em diferentes espaços da cidade, como o Museu de Artes e Ofícios e a Praça José Mendes Júnior. Eles servirão de palco para a apresentação de atrações musicais nacionais e internacionais.

"O BH Soul Blues Festival nasceu em 2012, fruto de uma parceria nossa com o Stonehenge Rock Bar, que comprou a nossa ideia. Naquela época, pouca gente aceitava o blues como música comercial. Fizemos o primeiro e foi um sucesso”, diz Auder Júnior, um dos idealizadores do evento.

“Com o passar dos anos, nós realizamos uma série de outras edições, sem o incentivo do poder público. Como o nosso parceiro sucumbiu à pandemia, nós recorremos à ajuda de uma produtora especializada em eventos e a partir daí alinhamos um projeto para ser submetido a um edital da prefeitura", conta o músico. 

O Stonehenge Rock Bar fechou as portas definitivamente em abril de 2021, sem ter conseguido superar o tremendo impacto da crise sanitária no setor. Privado de sua antiga sede, o BH Soul Blues Festival realiza sua 14ª edição propondo uma programação que se espalha pela cidade, nos bairros Anchieta, Centro, Carlos Prates e Savassi.

"Uma das condições do edital da prefeitura era que a gente mostrasse a cidade. Fosse inclusivo em relação às diferentes regiões. Nós decidimos abraçar essa ideia como uma forma também de homenagear Belo Horizonte. Na cidade, existem espaços que são bastante atraentes para os fãs de música", afirma Auder.

vestidos de azul, em paisagem ao ar livre, os integrantes da Happy Feet Jazz Band sorriem para a câmera
A Happy Feet Jazz Band se apresenta no próximo sábado (21/5), no Museu de Artes e Ofícios (foto: Thais Moreira/divulgação)


RODA DE BLUES 

Um deles é o Clã Espaço Cultural, localizado no Bairro Aparecida, na Região Noroeste da capital. É nele que será dado o pontapé inicial do evento, a partir das 16h de hoje, com a apresentação dos grupos Auder Jr. & Blues Friends e Ablusadas. Na ocasião, será apresentada a Roda de Blues, projeto desenvolvido em 2016 por Auder Júnior, inspirado nas tradicionais rodas de samba.

"A Roda de Blues é feita nos moldes das rodas de samba. Os músicos tocam em torno de uma mesa, com o som mais baixinho, e o público fica em volta", ele explica. 

"O samba e o blues têm várias convergências. Tecnicamente, são gêneros muito parecidos, principalmente em termos de harmonia. Historicamente, eles também são semelhantes. São estilos que vieram da cultura negra e, neles, há muito espaço para o improviso."

A programação continua na próxima quarta-feira (18/5), a partir das 19h, no XBK Rock Pub, localizado no Bairro Anchieta. Quem se apresenta nessa ocasião é a banda Little Butter, cujo show é uma jam session de jump blues. Além de músicas autorais, o grupo mostrará diferentes variações do gênero, com ênfase nas vertentes que ajudaram a dar origem ao rock, como o boogie-woogie.

Em 21 de maio, o festival desembarca no Museu de Artes e Ofícios, dentro da programação que marca os 100 anos do Edifício da Estação Ferroviária e da Praça da Estação. Batizada de "Winne & beer soul jazz station", a noite terá apresentações das bandas Happy Feet Jazz Band e Thunder Blues, além da performance do dançarino de soul Machado Brown e set do DJ Alex C.

Já em 25 de maio, a banda Audergang realiza ensaio aberto no Quintal da Play, espaço localizado no Bairro Carlos Prates que tem unidades do bar Bitaca da Capetinha, da Drinkeria Jangalito, da Pizzaria Confraria 269 e do Empório Quintal da Roça.

De óculos escuros e cabeça baixa, Luca Giordano segura sua guitarra com a mão direita
O italiano radicado em Chicago Luca Giordano é convidado para o show de encerramento (foto: Francesco Scipioni/Divulgação )


FESTA 

Toda essa programação culmina na festa de encerramento do festival, programada para 28 de maio, um sábado, na Praça José Mendes Júnior, na Savassi. Entre as atrações confirmadas estão os grupos Audergang, Alexandre da Mata & The Black Dogs e Black Machine, além do vocalista e guitarrista Cláudio Venturini, um dos criadores do grupo 14 Bis; do guitarrista italiano Luca Giordano e do guitarrista paulistano Netto Rockfeller.

"Essa edição do BH Soul Blues Festival é marcada pela diversidade nas atrações. Escalamos artistas tanto da nova quanto da velha geração do blues. Todos eles têm a qualidade técnica em comum, apresentam esse tipo de excelência. Ao chamar esses artistas para esta edição, nosso objetivo era mesmo mesclar diferentes vertentes e mostrar como o blues tem representantes em diferentes lugares e áreas, que seguem várias tendências", explica Auder.

Ele aponta a performance de Luca Giordano como a grande expectativa do BH Soul Blues Festival 2022. Residente em Chicago, nos Estados Unidos, o artista tocou com pioneiros do estilo, como Mighty Mo Rodgers, Bob Stroger, Billy Branch, Eddie C. Campbell (1939-2018), Jimmy Burns e Chris Cain.

"O Luca Giordano faz parte do circuito tradicional do blues europeu, mas ele tem uma pegada muito influenciada por Chicago, onde o blues foi eletrificado", comenta. Outro destaque é Netto Rockfeller. O músico é considerado um dos mais importantes guitarristas de blues do país. Com mais de 15 anos de carreira, ele já dividiu palco e gravou com outros expoentes do gênero, como Solon Fishbone, Danny Vincent e Blues Etílicos. 

"Ele é um cara muito bom, influenciado pelo blues californiano, ao mesmo tempo em que mistura referências de Chicago", diz Auder.

Com uma década de estrada e 14 edições na bagagem, o BH Soul Blues Festival assistiu a diferentes momentos do gênero em Minas Gerais e, mais especificamente, em Belo Horizonte. Agora, vê que o estilo está consolidado para artistas e público.

"Sem falsa modéstia, eu enxergo o nosso festival como um divisor de águas para o blues no estado. Sempre tivemos uma divulgação muito boa, trouxemos bandas e artistas solo de fora, uma coisa que não acontecia antes. Isso gera expectativa e também ajuda a fomentar a cena e o mercado locais. Hoje, Belo Horizonte tem artistas de blues de muita qualidade, que têm espaços para se apresentar", afirma Auder. 

BH SOUL BLUES FESTIVAL
A partir deste sábado (14/5) e em 18/5, 21/5, 25/5 e 28/5. Apresentações no Clã Espaço Cultural, XBK Rock Pub, Museu de Artes e Ofícios, Quintal da Play e Praça José Mendes Junior. Entrada gratuita, com retirada de ingressos por meio da plataforma Sympla e do site Go Free.


EDIÇÃO 2022
Confira a programação completa do evento

SÁBADO (14/5)
» 16h – Auder Jr. & Blues Friends e Ablusadas (Clã Espaço Cultural – Rua Bernardo Cisneiros, 12, Aparecida)

QUARTA (18/5)
» 19h – Jam session com a banda Little Butter (XBK Rock Pub – Rua Vitório Marçola, 184, Anchieta)

SÁBADO (21/5)
» 19h – Happy Feet Jazz Band, Thunder Blues, Machado Brown e DJ Alex C. (Museu de Artes e Ofícios – Praça Rui Barbosa, 600, Centro)

QUARTA (25/5)
» 19h – Audergang (Quintal da Play – Rua Perdões, 269, Carlos Prates)

SÁBADO (28/5)
» 12h – Alexandre da Mata & The Black Dogs, Black Machine, Audergang, Cláudio Venturini, Luca Giordano, Netto Rockfeller e DJ Cateb (Praça José Mendes Junior, Savassi)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade