UAI
Publicidade

Estado de Minas FOLIA VIRTUAL

Mercado Central vira 'sambódromo' de carnaval temporão on-line

Integrantes do Samba Queixinho, Havayanas Usadas e de blocos cariocas e paulistas participam de live comandada por Nenel, especialista em comida de rua


19/09/2021 04:00 - atualizado 19/09/2021 08:24

Heleno Augusto, do bloco Havayanas Usadas, Gustavo Caetano, do Samba Queixinho, e Nenel, especialista em comida de rua, prometem tarde de domingo animada
Heleno Augusto, do bloco Havayanas Usadas, Gustavo Caetano, do Samba Queixinho, e Nenel, especialista em comida de rua, prometem tarde de domingo animada (foto: Fotos: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Entre rodas de samba, dicas gastronômicas e debates sobre a democracia da festa de rua mais famosa do Brasil, o evento “Carnaval tá on” chega às telas dos dispositivos digitais com a proposta de matar um pouquinho da saudade da folia de Belo Horizonte, que vem conquistando multidões nos últimos anos.

Realizada no Mercado Central, a festa virtual deste domingo (19/9) terá shows com representantes dos blocos de rua da cidade, especialistas em folia cariocas e paulistas, curtas-metragens sobre carnaval e bate-papo sobre a culinária da capital.

Seguindo os protocolos de segurança impostos pela pandemia, o evento on-line será transmitido hoje, das 13h30 às 17h, no YouTube, por meio do canal TV Baixa Gastronomia por Nenel.

None

"A rua não tem corda, não tem separação, é o espaço mais inclusivo possível. No evento on-line, você perde um pouco isso, mas acho que a questão da internet tem dois lados. Neste momento, é a forma que a gente tem de manter a chama do carnaval acesa"

Gustavo Caetano, fundador do Samba Queixinho

ESTACIONAMENTO

Idealizador do “Carnaval tá on”, o mineiro Gustavo Caetano, um dos fundadores do bloco Unidos do Samba Queixinho, garante: “Estaremos todos vacinados e testados. Tudo ocorrerá no estacionamento, em espaço fechado.” Além disso, ressalta, a transmissão será iniciada às 13h, quando já se encerrou o funcionamento do Mercado Central de BH.

O “Carnaval tá on”' será comandado pelo jornalista Daniel Neto, o Nenel, especialista em comida de rua. Ele vai mostrar os bares e as rodinhas de samba do Mercado, além de entrevistar os convidados – blogueiros, carnavalescos e gestores do setor de turismo da capital.

“O Mercado Central tem tudo a ver com a nossa proposta. É onde a galera se encontra. Quando vem alguém de fora, é o primeiro lugar que a gente quer mostrar. Ali você encontra um pouco de tudo o que há em Minas, os queijos, os doces, as carnes e as cervejas”, comenta Nenel.

O convite ao jornalista para apresentar a live veio de Gustavo Caetano, que viabilizou o evento por meio de edital da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur).

Convidados de outros estados desembarcarão em BH. A carioca Rita Fernandes integra a Sebastiana – Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua do Rio de Janeiro, escreveu o livro “Meu bloco na rua” e é coordenadora de conteúdos sobre a folia do canal de notícias Globo News.

A contribuição paulista virá do instrumentista Marcelo Azevedo, um dos fundadores da Orquestra Voadora e integrante do Bloco 442; de José Cury, coordenador do Fórum de Blocos de Carnaval de Rua de São Paulo; e do músico Pedro Keiner, participante do bloco Filhos de Gil.

“A gente não pensa o carnaval como quatro dias apenas”, diz Gustavo Caetano, referindo-se à agenda foliã, que, antes da COVID-19, se estendia por vários meses em BH.

“Ficamos parados por quase dois anos. A nossa chance de botar a cara de novo, fazendo tudo com segurança, surgiu quando veio a oportunidade com o edital da Belotur”, afirma.

As rodinhas de samba, marca registrada da cultura de rua belo-horizontina e também do Mercado Central, estarão representadas em três shows, de 30 a 60 minutos, distribuídos ao longo da programação.

Além de Gustavo Caetano, vão se apresentar os representantes dos blocos paulistas Orquestra Voadora e Filhos de Gil, além do mineiro Havayanas Usadas.

Heleno Augusto, cantor do Havayanas, diz que a live deste domingo é a continuação da ocupação de Belo Horizonte promovida por movimentos culturais e blocos de rua nesta década, o que transformou a capital mineira em fenômeno do carnaval brasileiro.

“A cultura de BH não pode ficar relegada neste momento (de pandemia). Por isso, os blocos daqui trabalharam muito pensando em alternativas para continuar o movimento dos últimos anos”, destaca Heleno.

Tanto o cantor do Havayanas quanto o fundador do Queixinho deixam claro que persiste a preocupação com o novo coronavírus, tanto é que apenas um representante de cada bloco participa do “Carnaval tá on”.

None


"O Mercado Central tem tudo a ver com a nossa proposta. É onde a galera se encontra. Quando vem alguém de fora, é o primeiro lugar que a gente quer mostrar. Ali você encontra um pouco de tudo o que há em Minas"

Nenel, jornalista especializado em gastronomia


UNESCO

Entre um show e outro, o apresentador Nenel vai falar sobre Belo Horizonte como destino gastronômico recomendado pela Unesco. O jornalista e Virgínia Sasdelli, administradora do canal @bhdicas, contarão casos e revelarão curiosidades sobre as várias faces da folia de rua na capital mineira.

O futuro do carnaval, sobretudo após a pandemia, será tema de debate com convidados e o representante da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur). Também serão exibidos curtas-metragens relacionados à folia.

Manter no evento on-line o caráter democrático do carnaval – que está entre as maiores festas de rua do mundo – é um desafio, afirma o músico Gustavo Caetano, lembrando que essa manifestação clama por aglomeração e pelo contato físico.

“A rua não tem corda, não tem separação, é o espaço mais inclusivo possível. No evento on-line, você perde um pouco isso, mas acho que a questão da internet tem dois lados. Neste momento, é a forma que a gente tem de manter a chama do carnaval acesa. E é também um jeito de fugir da nossa bolha, de mostrar o carnaval de BH para outras pessoas. Isso também é uma forma de inclusão”, defende o fundador do Samba Queixinho.

None

"A cultura de BH não pode ficar relegada neste momento (de pandemia). Por isso, os blocos daqui trabalharam muito pensando em alternativas para continuar o movimento dos últimos anos''

Heleno Augusto, cantor do bloco Havayanas Usadas

ACESSO

A “democracia on-line” não é tão democrática assim, mas o idealizador do “Carnaval tá on” se esforça para liberar a festa no ambiente virtual.

“Infelizmente, muita gente não tem acesso à internet. Por isso, vamos deixar a live gravada no YouTube. Um dia, quem sabe, todo mundo poderá ter acesso a ela”, espera Gustavo Caetano.

* Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria

“CARNAVAL TÁ ON”

Neste domingo (19/9), das 13h30 às 17h. Transmissão pelo canal TV Baixa Gastronomia por Nenel, no YouTube.

PROGRAMAÇÃO

. 13h30
Abertura com Nenel.

. 13h45
Exibição do curta “Grito de carnaval”.

. 13h47
Show de integrantes dos blocos Unidos do Samba Queixinho, Orquestra Voadora, Havayanas Usadas e Filhos de Gil.

. 14h45
Exibição de curtas sobre a gastronomia 
de BH.

. 14h47
Bate-papo com Nenel.

. 15h
Show de integrantes dos blocos Unidos do Samba Queixinho, Orquestra Voadora, Havayanas Usadas e Filhos de Gil.

. 16h
Bate-papo com Nenel.

. 16h18
Nenel e convidados conversam sobre o futuro da folia e do turismo em BH no cenário pós-pandemia.

. 16h30
Show de integrantes dos blocos Unidos do Samba Queixinho, Orquestra Voadora, Havayanas Usadas e Filhos de Gil.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade