Publicidade

Estado de Minas EFEITO PANDEMIA

Pandemia leva à segunda onda de cancelamentos no setor cultural

Grandes festivais de música e cinema, assim como estreia de blockbuster remanejam suas datas ou suspendem suas edições deste ano


23/01/2021 04:00 - atualizado 23/01/2021 07:32

O Festival de Glastonbury, que costuma reunir os maiores nomes da música mundial no Reino Unido, suspendeu sua realização pelo segundo ano consecutivo. Na foto, público assiste ao show da edição de 2019(foto: Oli SCARFF /AFP)
O Festival de Glastonbury, que costuma reunir os maiores nomes da música mundial no Reino Unido, suspendeu sua realização pelo segundo ano consecutivo. Na foto, público assiste ao show da edição de 2019 (foto: Oli SCARFF /AFP)
A segunda onda da COVID-19 trouxe também uma nova onda de adiamentos e cancelamentos no setor cultural, que segue amplamente impactado pela pandemia do novo coronavírus. Um dos maiores e mais tradicionais festivais de música do mundo, o de Glastonbury, no Reino Unido, foi cancelado pelo segundo ano consecutivo.  

"Apesar dos nossos esforços para mover céus e terra, ficou claro que simplesmente não poderemos organizar o festival este ano", afirmaram Michael e Emily Eavis em comunicado divulgado no Twitter. O evento recebe anualmente 200 mil espectadores para grandes shows.

Atualmente, o país mais castigado da Europa pela pandemia, com mais de 93 mil mortes confirmadas pelo novo coronavírus, o Reino Unido viu sua potente indústria musical colapsar devido aos confinamentos sucessivos e à proibição de organizar grandes eventos.

O setor, que em 2019 contribuiu para a economia britânica com 5,8 bilhões de libras (US$ 7,7 bilhões de dólares), teve a temporada 2020 "varrida" pelo vírus, segundo relatório da associação setorial UK Music publicado no início do mês.
O Festival de Cannes teve sua edição 2020 cancelada, num momento em que a França lidava com um surto de COVID-19 e agora estuda realizar a de 2021 em julho, e não no ensolarado mês de maio na Côte d%u2019Azur, como é a sua tradição(foto: Valery HACHE/AFP)
O Festival de Cannes teve sua edição 2020 cancelada, num momento em que a França lidava com um surto de COVID-19 e agora estuda realizar a de 2021 em julho, e não no ensolarado mês de maio na Côte d%u2019Azur, como é a sua tradição (foto: Valery HACHE/AFP)

COACHELLA

Outro evento do gênero que está ameaçado é o Coachella, em Indio, Califórnia. O festival também não teve edição em 2020. A de 2021 está marcada para os fins de semana de 9 a 18 de abril. No entanto, reportagem da Rolling Stone americana destacou que “a 21ª edição do festival de música popular será adiada pela terceira vez, para outubro de 2021”. 

Segundo uma fonte ouvida pela revista, foi o fundador do Coachella, Paul Tollett, quem afirmou que a nova data será em outubro. Ainda de acordo com a revista, as três primeiras semanas de outubro estão sendo consideradas como intervalo para a realização do festival, porque nem todos os artistas escaladosconfirmaram disponibilidade com uma possível mudança de datas. 

Para este 2021, o Coachella confirmou os nomes de Rage Against the Machine, Frank Ocean, Lana Del Rey e Thom York. Anitta e Pabllo Vittar também foram escaladas.

Já o South by Southwest, em Austin, no Texas, desde setembro do ano passado confirmou uma edição on-line para 16 a 20 de março próximo. Uma edição presencial ainda não foi descartada

O cinema segue na mesma toada. O Festival de Cannes, tradicionalmente realizado em maio, teve sua edição 2020 cancelada. Até o momento, segue com a data de 11 a 22 de maio para a edição 2021. Mas é provável que a mostra francesa seja adiada para o fim de junho ou julho. O principal festival de cinema do mundo ainda levará um tempo para "avaliar a situação", afirmou uma porta-voz.
Sem tempo para morrer, o último filme da franquia 007 com Daniel Craig como James Bond, sofreu seu terceiro adiamento e agora estreará em outubro. Na foto, cartaz do filme em Bangcoc (Tailândia), em setembro passado(foto: Mladen ANTONOV/AFP)
Sem tempo para morrer, o último filme da franquia 007 com Daniel Craig como James Bond, sofreu seu terceiro adiamento e agora estreará em outubro. Na foto, cartaz do filme em Bangcoc (Tailândia), em setembro passado (foto: Mladen ANTONOV/AFP)

MUDANÇAS

Outros eventos internacionais de cinema que são realizados no primeiro semestre manterão suas edições, mas com modificações. O de Sundance, em Park City, Utah, tem início na próxima quinta-feira (28/1), com ênfase na programação on-line, um número de dias e de produções reduzido.

O Festival de Roterdã, na Holanda, será exclusivamente digital, de 1º a 7 de fevereiro. E o Festival de Berlim, regularmente realizado em fevereiro, foi transferido para março, também com formato reduzido e virtual – de 1º a 5.

As salas de cinema, que seguem parcialmente fechadas em boa parte do mundo, só deverão apresentar grandes novidades no segundo semestre. A série de adiamentos dos lançamentos da indústria vista em 2020 prossegue neste início de ano. 

O novo filme de James Bond, 007 – Sem tempo para morrer, sofreu seu terceiro adiamento. A produção estrelada por Daniel Craig agora tem sua chegada aos cinemas prevista para 8 de outubro, um ano e meio após a data de lançamento original. 

O agente secreto britânico é sempre um grande ímã para o público, mas desta vez ele vem com um arsenal extra: é o último filme de Daniel Craig como Bond. Billie Eilish assinou a edição da trilha sonora, Ana de Armas e Rami Malek estão no elenco, e Cary Joji Fukunaga é diretor do filme.

Este novo adiamento coloca mais uma vez em evidência os questionamentos sobre o calendário de lançamentos para este ano em Hollywood, que estava confiante de que depois de 2020 os cinemas voltariam a uma relativa normalidade.

O anúncio do 007 gerou um efeito dominó, com outros filmes também postergando sua chegada às telas. Anônimo, filme de ação com Bob Odenkirk (de Better call Saul), marcado para fevereiro, foi para abril. Noite passada em Soho, de Edgar Wright, trocou a data de maio para outubro. Cinderella passou de fevereiro para julho. Ghostbusters – Mais além deixou junho e deve ir para novembro. A adaptação do game Uncharted, com Tom Holland, ficou para fevereiro de 2022. Novas mudanças de data deverão ser anunciadas em breve.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade