Publicidade

Estado de Minas SÉRIE

Segunda temporada de 'The spanish princess' mostra rainha desesperada

Catarina de Aragão luta para manter o amor do rei, que se apaixona por outra, e o poder nos novos episódios, que estreiam neste domingo (11)


09/10/2020 04:00 - atualizado 09/10/2020 08:38

Catarina de Aragão (Charlotte Hope) e Henrique VIII (Ruairi O%u2019Connor) em cena da segunda temporada da série sobre a rainha, que luta pelo amor e pelo poder(foto: STARZPLAY/DIVULGAÇÃO)
Catarina de Aragão (Charlotte Hope) e Henrique VIII (Ruairi O%u2019Connor) em cena da segunda temporada da série sobre a rainha, que luta pelo amor e pelo poder (foto: STARZPLAY/DIVULGAÇÃO)

Catarina de Aragão (1485-1536) passou para a história como a princesa espanhola que se casou com dois irmãos Tudor – Artur, príncipe de Gales (1486-1502), e Henrique VIII (1491-1547). Tornou-se rainha da Inglaterra com o segundo casamento

Como não deu um herdeiro homem ao rei, teve o matrimônio forçosamente anulado por ele. Amada pelos ingleses, Catarina terminou a vida exilada, mas acabou fazendo de sua herdeira, Maria I (1516-1558), rainha.

The spanish princess, série da Starzplay que dá continuidade aos dramas históricos The white queen (2013) e The white princess (2017), foi lançada no ano passado, mostrando as origens da personagem, com sua partida da Espanha, chegada à Inglaterra, primeiro e segundo casamentos. Neste domingo (11), a plataforma lança a segunda parte da produção, com oito novos episódios.

“A primeira temporada foi romântica, leve, rodada no verão. Eu praticamente ficava caminhando com vestidos bonitos. Agora é sobre uma mulher tentando, desesperadamente, manter o amor e o poder. Chorei basicamente todos os dias, já que a personagem sofre três abortos, tem um bebê morto e o marido cai de amores por outra (no caso, Ana Bolena). Sei que há atrizes que conseguem ligar e desligar, mas eu não. Como queria mostrar a tristeza de Catarina de forma real, a única maneira que encontrei foi eu mesma ficar triste por muito tempo”, comenta a atriz Charlotte Hope.

A série foi criada pelo casal Emma Hope e Matthew Graham. Essa segunda leva de episódios não chega até o fim da vida de Catarina. “Não quero dar spoiler, mas o que posso dizer é que contamos a história de Catarina até o momento em que o público vai reconhecê-la, seja dos livros ou das pinturas. Concluímos tudo de importante que ela viveu com Henrique VIII”, comenta Emma. Fundador da Igreja Anglicana, o rei, vale dizer, teve seis mulheres e mandou matar algumas delas. 

BEATA 

Ainda que seja Catarina a protagonista, The spanish princess é também uma série sobre outras mulheres de seu tempo, como Meg Tudor (papel de Georgie Henley), rainha da Escócia e irmã de Henrique VIII (Ruairi O’Connor) e Maggie Pole (vivida por Laura Carmichael), nobre inglesa, executada a mando do rei e que foi tornada beata no século 19.

 “É uma série que mostra como mulheres que foram colocadas em ‘caixas’ e se frustraram com isso tentam se libertar dos valores da época”, diz Georgie. “A maior parte das produções históricas é apresentada sob a perspectiva dos homens brancos. Então, foi importante para mim participar desta produção”, acrescenta Charlotte. 

“Mesmo tratando de uma história que se passou tanto tempo atrás em um mundo totalmente diferente, podemos relacionar alguns aspectos com o tempo de hoje”, afirma Laura. A atriz, que ficou conhecida como Lady Edith de Downton Abbey, diz que emplacar uma nova produção de época foi circunstancial

“Não é que eu fique pensando ‘quando vai ser a próxima produção do gênero’, mas é um prazer quando séries assim chegam. Quando você faz uma série histórica, atua com um exército de pessoas para que tudo fique perfeito.”

FICÇÃO 

O que mais chama a atenção em The spanish princess é o aspecto visual, com rica constituição de época (há locações históricas) e figurinos de encher os olhos. Todos os episódios foram dirigidos por mulheres. Os criadores partiram dos livros A princesa leal (Record) e The king’s curse (não publicado no Brasil), da autora britânica Philippa Gregory.

A narrativa, obviamente, é bastante romantizada. “Ao misturar ficção e história, você tem que ver o que é viável e se permitir licenças artísticas para dar mais dramaticidade à narrativa. Um bom exemplo do que fizemos na série foi mostrar Catarina grávida comandando um exército que vai para a Escócia. Na realidade, e as pesquisas históricas comprovam isso, ela não lutou, apenas foi com ele. Mas, honestamente, como escritores, achamos que não haveria sentido em só mostrá-la caminhando com o exército e a colocamos grávida lutando”, afirma  Matthew Graham. “A personagem não aparece como uma Mulher-Maravilha, mas ela luta e por isso fica mais envolvida com a cena”, conclui. 

>> THE SPANISH PRINCESS
A segunda parte da série, com oito episódios, será lançada neste domingo (11), na Starzplay. A cada domingo será lançado um novo episódio.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade