Publicidade

Estado de Minas

No palco do rock cabem até clássicos de Beethoven

Apresentação no Sesiminas vai reunir orquestra e banda em live com arranjos especiais no fim de semana


20/09/2020 04:00

O cantor Bauxita é um dos participantes de O clássico é rock 98, que 'levará' também Beethoven ao palco do Sesiminas (foto: Vinicius Silva/Divulgação)
O cantor Bauxita é um dos participantes de O clássico é rock 98, que 'levará' também Beethoven ao palco do Sesiminas (foto: Vinicius Silva/Divulgação)
Misturar música clássica com o velho rock and roll não é nenhuma novidade. Porém, é algo que agrada a muita gente. Partindo dessa premissa, a Orquestra Sesiminas Musicoop, sob a regência do maestro e diretor artístico Felipe Magalhães, promove neste domingo (20), às 19h, a sua primeira live concerto O clássico é rock 98, que traz hits de ícones como Chuck Berry, Beatles, Led Zeppelin, Queen e Barão Vermelho

Com realização do Sesiminas e da Rádio 98FM, a apresentação será transmitida diretamente do Teatro Sesiminas. Foram convidados os cantores Bauxita, que interpretará Don’t let me down (Beatles) e Starway to heaven (Led Zeppelin), Marcelo Dai com Roll over Beethoven (Chuck Berry) e Another brick in the wall (Pink Floyd), Nat Rodrigues com Miss you (Rolling Stones) e Pro dia nascer feliz (Barão Vermelho).

Já as canções Love of my life (Queen) e She loves you (Beatles) serão interpretadas pelo cantor Dom, da dupla sertaneja Dom & Juan, que mostra seu lado roqueiro. Além dos integrantes da Musicoop, foram convidados os músicos Rodrigo Garcia (guitarra), Neto Bellotto (baixo elétrico), Pablo Castro (teclados) e André Godoy (bateria). Magalhães explica que a orquestra tocará um arranjo estruturado a partir dos quatro movimentos da Nona sinfonia de Beethoven (1770/1827).

A proposta inicial era fazer clássicos do rock com a orquestra e alguns convidados. “Então, tive a ideia de fazer uma homenagem a Beethoven, que está completando 250 anos de nascimento. Um show na estrutura sinfônica. Ou seja, em vez de fazermos várias músicas separadas, as unimos em movimentos, como ocorre em uma sinfonia”, detalha Magalhães.

SINFONIA 
Ele ressalta que uma sinfonia clássica costuma ter quatro movimentos e por isso resolveu elaborar o espetáculo dessa forma. Os arranjos são dos músicos Christiano Caldas e Neto Bellotto. “'Compraram' minha ideia. Vamos fazer os arranjos de forma que juntamos as músicas e as aglutinamos em movimentos orquestrais”, conta o diretor, observando que uma das particularidades da Nona sinfonia de Beethoven é ter o terceiro movimento lento, quando isso tradicionalmente se dá no segundo.”

Isso o inspirou a abrir o terceiro movimento com Love of my life. “O show começa com a Nona, que tem uma transição da qual passamos para o rock, mais longo, com Chuck Berry e Beatles. E tem o segundo movimento que, no caso de Beethoven, é o scherzo, gênero musical inventado por ele a partir do minueto, no qual colocamos a canção dos Stones.”

O maestro conta que o arranjo da sinfonia já está organizado com a banda, com bateria, baixo, guitarra e teclados. “Temos uma transição. Então, dá-se uma impressão de fusão de música clássica com rock. Os arranjos ficaram interessantes, benfeitos. Christiano e Neto são competentes. São complementares”, avalia. “Cada um tem uma forma de escrever distinta. O Neto, como chefe de naipes de contrabaixo da Filarmônica, tem uma vivência de dentro da música orquestral. Consegue pegar ideias de compositores eruditos e colocá-las nos arranjos. Os de Christiano são mais enxutos, mas conservam muito bom gosto.”

Uma sugestão 
e uma surpresa

Para o cantor Bauxita, será uma grande honra poder participar da live e cantar acompanhado por uma orquestra sinfônica. “Recebi o convite do Rodrigo Carneiro, da Rádio 98 FM. Sempre gostei dessa questão de misturar o clássico com o rock, o que não é algo inovador, mas sempre é interessante. Tem essa questão de uma orquestra se misturar com as guitarras, com músicas que são, fundamentalmente, com baixo, bateria e guitarra, principalmente no rock.”

Conversando com o maestro, Bauxita deixou a critério do próprio Magalhães escolher as músicas que ele cantaria. “Numa grata surpresa, ele me veio com Don’t let me down e Starway to heaven. Quando conversamos pela primeira vez, ele falou da questão do projeto ser com canções do rock. Virei e disse: ‘Se é rock, não pode deixar de ter um Led Zeppelin’. Led, para mim, foi um divisor de águas em minha carreira”.

Sobre Don’t let me down, ele promete uma pegada pessoal. “Um pouco diferente, colocando um drive na voz”, detalha. E enche de elogios outros participantes. Classifica Dom como uma das melhores vozes da música sertaneja. Já a cantora Nat, vê como grata surpresa da nova geração. “Tem um timbre de voz diferente, muito legal. É uma menina que canta muito bem, é muito ligada na questão da black music”. E trata Marcelo Dai como a maior revelação brasileira atual. “Além de ótimo cantor, é baterista, pianista, contrabaixista, enfim, um multi-instrumentista de primeira linha”. O que ele espera? “Um espetáculo imperdível e histórico.”

LIVE CONCERTO
O clássico é Rock 98, domingo (20), às 19h, com transmissão pelo YouTube, Facebook e Instagram da Rádio 98 FM



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade