Publicidade

Estado de Minas SÉRIE

Diego Luna estende a mesa em 'Pão e circo'

Diretor e ator mexicano discute pandemia, violência, feminicídio e racismo, enquanto compartilha refeições com seus convidados. Atração da Amazon Prime Video estreia nesta sexta (7)


07/08/2020 04:00

O ator e diretor mexicano Diego Luna comanda a série Pão e circo, que estreia hoje no Brasil(foto: AMAZON PRIME VIDEO/DIVULGAÇÃO)
O ator e diretor mexicano Diego Luna comanda a série Pão e circo, que estreia hoje no Brasil (foto: AMAZON PRIME VIDEO/DIVULGAÇÃO)

À mesa, com uma boa refeição, as conversas tendem a ser mais francas e as pessoas, mais receptivas. Logo de cara, Pão e circo, série em sete episódios que será lançada nesta sexta (7), na Amazon Prime Video, deixa isso bem claro.

Criada e conduzida pelo ator e diretor mexicano Diego Luna (de Narcos: México e Rogue One: Uma história Star Wars), a produção trata de muitos temas – violência, feminicídio, crise climática, descriminalização do aborto, racismo, legalização das drogas, imigração. Cada tema busca uma integração com a alimentação.


DEBATE

A premissa é simples, mas sua realização é engenhosa. Nos sete episódios, Luna e convidados – jornalistas, artistas, políticos, cientistas e ativistas – compartilham a refeição enquanto debatem questões que afetam não somente o México, como o mundo em geral.

A ideia é falar da própria aldeia para conversar com o mundo. Em diferentes locações (a série viaja pelas regiões da Baixa Califórnia, Puebla e Quintana Roo, além da Cidade do México), Luna recebe o ator Gael García Bernal (seu sócio na produtora La Corriente Del Golfo, que realizou Pão e circo); a secretária do Interior do governo do México, Olga Sánchez Cordero; o ex-presidente da Colômbia Juan Manuel Santos; a atriz Ana de la Reguera; o músico e ativista Rubén Albarrán; e a ativista do meio ambiente Julia Caravias.

Todos os episódios começam na cozinha, onde Luna e o chef convidado – os responsáveis pela refeição são sempre nomes conhecidos da gastronomia de seu país – iniciam as discussões. O chef também participa da conversa. A escolha não foi aleatória. Eles devem ter alguma relação com o tema do programa.

No primeiro episódio, que trata de violência de gênero, a chef Alexander Suastegui, da região de Sinaloa, dominada pelo temido cartel de mesmo nome, dá início à conversa comentando como a violência contra a mulher se dá nos ambientes de restaurantes.

Luna sabe conduzir os encontros com leveza. As seis mulheres participantes do primeiro episódio têm que deixar os celulares guardados. O ator fala o necessário. Ouvinte atento e atencioso, deixa um clima leve no bate-papo.

A edição, rápida, elenca os melhores momentos do encontro, que durou entre duas e três horas – os episódios têm de 40 a 50 minutos. Colorindo cada programa, há imagens recentes de fatos que ocorreram no México. O primeiro episódio é aberto com cenas de protestos realizados na capital mexicana, em fevereiro, motivados pelo assassinato de uma jovem pelo companheiro.

Como série que se propõe a discutir temas atuais no México e no mundo, Pão e circo já nasceria velha não fosse o último episódio. Diante da pandemia, foi criado o capítulo que encerra a primeira temporada, o único realizado durante a quarentena.

Não havia como ser diferente, ainda mais porque os dois filhos do ator, de 9 e 11 anos, contraíram a COVID-19 em março. Com imagens da Cidade do México, uma das mais populosas do mundo, às moscas, o ator dá início ao último episódio falando sobre ausências e solidão.

De lá a câmera abre para sua casa e a de seus convidados. Todos receberam uma caixa com as guloseimas (sopa e lasanha preparadas pelo próprio Luna) para compartilhar durante a teleconferência que serviu de base para o episódio. Com um grupo diverso de interlocutores – uma cientista, uma ativista, um escritor e um chef, entre outros –, o ator conduz a conversa sobre temas caros a todos nestes dias.

A gravação ocorreu em maio. Os convidados falam da mudança de rotina em suas casas, da presença agora intensa da vida em família, da dificuldade de prever o futuro. Intercalados com as falas desses convidados surgem participantes dos episódios anteriores.

Fala-se do crescimento da violência doméstica na quarentena, enquanto surge a imagem do presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, dizendo que os índices não haviam crescido durante a pandemia.

CIÊNCIA

O descompasso entre ciência e política fica latente no decorrer do episódio. Várias situações vividas no México nos últimos tempos se repetiram no Brasil. 
     
 Pão e circo termina sua temporada inicial com o caminho aberto para a próxima. Misto de programa de entrevistas, entretenimento e uma pitada de jornalismo, a série, apoiada no carisma sem afetação de Luna, traz mais perguntas do que respostas. O que, no cenário atual, já é mais do que suficiente.


PÃO E CIRCO
l Série com sete episódios
l Amazon Prime Video
l Estreia nesta sexta (7). Hoje serão lançados os três primeiros episódios. Dois novos capítulos serão lançados nas duas sextas-feiras seguintes


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade