Publicidade

Estado de Minas MUCHO AMOR

Chega à Netflix 'Ligue djá', documentário sobre Walter Mercado

Astrólogo morto no ano passado se tornou famoso por suas previsões na TV nos anos 1970 e hoje é uma espécie de rei dos memes na internet


postado em 11/07/2020 04:00

Entre as imagens de arquivo exibidas pelo documentário está uma entrevista de Walter Mercado para a apresentadora brasileira Marilia Gabriela na qual ele fala sobre sua sexualidade(foto: Fotos Netflix/Divulgação)
Entre as imagens de arquivo exibidas pelo documentário está uma entrevista de Walter Mercado para a apresentadora brasileira Marilia Gabriela na qual ele fala sobre sua sexualidade (foto: Fotos Netflix/Divulgação)

"Eu faço sexo com a vida"

Walter Mercado, em Ligue djá

Captar a figura de Walter Mercado (1932-2019) não é uma tarefa simples. Vidente, milagreiro, profeta, extraterrestre, astrólogo e rei dos memes. Todas essas são facetas da excêntrica personalidade do porto-riquenho que ganhou fama na década de 1970 com suas emblemáticas aparições na TV e no rádio.

Naquela época, milhões de famílias da América Latina e, posteriormente, de diversas outras partes do mundo, se sentavam diante do aparelho de televisão e esperavam pela previsão astrológica, prontas para absorver a orientação positiva e cheia de trejeitos dada por Mercado, até que ele encerrasse com seu clássico bordão de despedida: “Mucho, mucho, mucho amor”. Ligue djá é outra de suas expressões incorporadas à linguagem coloquial daquela época.

SUMIÇO  
Depois de algumas décadas fascinando os espectadores, o ícone latino desapareceu da mídia e uma série de teorias surgiram em torno do sumiço repentino. Produzido pela Netflix, o documentário Ligue djá: O lendário Walter Mercado traz as respostas.

Embora o personagem principal dessa trama tenha morrido em novembro do ano passado, em decorrência de uma falência renal, Walter Mercado viveu o bastante para contar a própria história diante das câmeras dos diretores Cristina Costantini e Kareem Tabsch.

O documentário, exibido pela primeira vez em janeiro passado no Festival de Sundance, nos Estados Unidos, chegou nesta semana à Netflix. O título recupera a história do que foi o fenômeno Walter Mercado e expõe a batalha judicial que o astrólogo travou contra seu ex-agente Bill Bakula pela propriedade de sua persona.

Depois de cortar laços comerciais com a empresa de entretenimento Bart Enterprises International, Mercado queria controle total sobre seu nome. A batalha legal durou anos, até que ele ganhou os direitos de volta em 2011.

No filme, Walter Mercado e Bill contam seus respectivos lados da história. A relação que os dois tinham antes do imbróglio é descrita, inclusive, como tendo sido bastante carinhosa.

Outras personalidades também aparecem no documentário dando depoimentos ou se encontrando com Mercado, como é o caso do ator, cantor e compositor Lin Manuel Miranda. Criador do musical Hamilton, o maior sucesso da Broadway nos últimos anos, Miranda é hoje o artista de origem porto-riquenha mais conhecido e mais bem-sucedido dos Estados Unidos.

No auge de sua fama, Mercado fora visto por mais de 120 milhões de espectadores. Muitos projetavam em sua imagem a figura de um amigo, um mentor que poderia levá-los na direção certa, a despeito do fato de que, nos anos 1970, sua figura fosse bastante incomum e extravagante até para os ícones televisivos.

Com trajes vibrantes, maquiado, adornado com anéis e colares e com um inconfundível penteado, Walter Mercado não se limitava a um padrão de masculinidade e o filme usa disso para abordar as hoje muito em voga questões de gênero e sexualidade.

Ná época em que ganhou fama, o astrólogo enfrentou a homofobia e o conservadorismo, tanto dos colegas na TV como de parcela dos espectadores, que não se conformavam com sua figura espalhafatosa. Ligue djá mostra que especulações sobre sua sexualidade eram frequentes.

Em uma entrevista para a apresentadora brasileira Marília Gabriela, que comandava um programa matinal de bastante audiência, o astrólogo fala sobre ser confundido com uma mulher. Seu amigo e assistente inseparável Willie Acosta o define como um ser andrógino.

Apesar da intensa curiosidade e das especulações sobre sua intimidade o rondarem, Walter afirma não se preocupar em ser chamado de gay. O documentário da Netflix inclui declarações dele sobre ser casado com seu público.
Walter Mercado e o cantor e ator de origem porto-riquenha Lin Manuel Miranda em cena do longa
Walter Mercado e o cantor e ator de origem porto-riquenha Lin Manuel Miranda em cena do longa

FORMATO 
O filme também explora como Walter Mercado rompeu fronteiras e fez grande sucesso em países da América Latina e da Europa, além dos Estados Unidos. No auge da carreira, ele comandava um quadro no Primeiro impacto, do canal Univision, programa cujo formato foi adaptado pelo SBT/Alterosa e é exibido hoje em dia.

O título internacional do documentário é Mucho, mucho amor, mas, no Brasil, ele entrou na plataforma de streaming com o bordão do astrólogo que se tornou mais popular por aqui. Ligue djá era o convite que ele fazia aos telespectadores para se consultarem com ele, via chamadas de telefone.

Atualmente, o visual andrógino, as poses exóticas e as frases motivacionais que repetia para anunciar as previsões para seu público popularizaram Walter Mercado nas redes sociais sob a forma de memes.

Ligue djá reserva atenção especial para esse assunto e destaca a relação das novas gerações com o astrólogo porto-riquenho, mostrando que sua mensagem de amor e paz permanece viva.

LIGUE DJÁ: O LENDÁRIO WALTER MERCADO
De Cristina Costantini e Kareem Tabsch
96 minutos
Disponível na Netflix


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade