Publicidade

Estado de Minas MÚSICA E ATITUDE

Sem chance de se realizar neste ano, festival migra para a internet

Festival No Ar Coquetel Molotov, que ocorreria em outubro, no Recife, promove edição virtual com shows e oficinas a partir desta quarta (30)


postado em 30/06/2020 04:00

A pernambucana Luna Vitrolira é uma das atrações do festival, cujos shows estão programados para o próximo dia 11. Até lá, haverá oficinas, papos e festa surpresa (foto: No Ar/Divulgação)
A pernambucana Luna Vitrolira é uma das atrações do festival, cujos shows estão programados para o próximo dia 11. Até lá, haverá oficinas, papos e festa surpresa (foto: No Ar/Divulgação)
Prevista originalmente para ocorrer em 31 de outubro, em Recife, a 17ª edição do No Ar Coquetel Molotov, assim como inúmeros eventos culturais no Brasil e no mundo, tornou-se inviável no contexto da pandemia do novo coronavírus. O festival pernambucano, contudo, promete não passar batido em 2020 e realiza, de amanhã (1º) a 11 de julho, uma robusta edição on-line.

''Essa não foi uma decisão fácil, vide nossa trajetória. Desde 2004, o No Ar nunca deixou de ser realizado, mesmo em anos de crise econômica. No entanto, a segurança do público e de todos os envolvidos na realização do evento fala mais alto, razão pela qual vários outros grandes festivais pelo mundo foram adiados para o ano que vem'', afirma Ana Garcia, diretora do festival.

Famoso pela programação diversa e por apostar em nomes emergentes da cena independente nacional, o festival batizou sua edição virtual como Coquetel Molotov.EXE. A programação vai além das apresentações musicais e inclui workshops, masterclasses, oficinas e festas. Ao longo dos 11 dias de festival, o público poderá participar por meio do Zoom e do IGTV (plataforma de vídeos do Instagram).

''Desde o início da pandemia, quando começamos a perceber que não iria rolar uma edição física neste ano, ficamos atentos às novidades que estavam surgindo pela web. Assistimos a muitas lives, mas queríamos realizar um 'ao vivo' que enxergasse o público e também desse espaço para ele se expressar, não somente promover a transmissão on-line do show de um determinado artista'', comenta Ana.

OFICINA A partir daí, surgiram algumas ideias com o objetivo de inovar o universo das lives. Foi assim que nasceu a oficina de produção musical com Benke Ferraz (integrante da banda goiana Boogarins), dividida em dois “encontros”, que serão realizados nesta quarta (1º) e na sexta (3), das 15h às 17h30.

No workshop, o guitarrista e produtor fornecerá elementos para que músicos iniciantes e profissionais possam gravar músicas com os equipamentos que têm à disposição, em casa.

Na quinta (2), às 19h, a ciborgue e vo- odoo queen Alma Negrot apresenta uma oficina de maquiagem criativa com o objetivo de possibilitar a descoberta do fazer artístico voltado para o corpo. O coletivo Afrofunk realiza na sexta (3), às 20h, uma oficina que aborda o funk com um novo olhar sobre o ritmo, que questiona padrões de beleza e pretende discutir aspectos como sexualidade, hipersexualização, machismo, racismo e independência individual.

O filósofo e pesquisador Ali Prando encerra a programação de oficinas nos próximos dias 7 e 9, às 19h, com o workshop Politizando Beyoncé. O curso investiga a estética da diva pop, trazendo à tona reflexões acerca da indústria cultural e questões de raça, gênero e sexualidade.

Projeto que teve início ainda em junho, o Call Center é descrito pela organização do festival como ''um encontro semanal on-line em que diferentes convidados falam de seus trabalhos e interagem com o público em momentos inéditos de debate e fluxo crítico''.

O primeiro bate-papo está previsto para amanhã, a partir das 20h, e será comandado pela cantora carioca Letrux. Já no próximo dia 8, no mesmo horário, quem entra no ar é a artista paulistana Linn da Quebrada.  A conversa com o público será realizada na plataforma Zoom, com acesso ao público via Sympla Streaming.

Ao longo de seus dias de programação, o evento traz ainda cápsulas no IGTV falando de bem-estar e breves aulas de petiscos com cerveja pelo chef Lucas Muniz e de drinques com Luana Correia.

Todas essas atividades culminam em uma extensa programação de shows e performances ao vivo no dia 11 de julho. A maratona musical reunirá importantes nomes da cena independente do Brasil e convidados especiais, em apresentações direto de suas casas.

O festival oferecerá ao público três palcos e um lounge com atrações em salas diferentes e simultâneas dentro da plataforma Zoom, possibilitando que as pessoas possam transitar entre as apresentações.

''Esse é, talvez, o principal diferencial, porque cria a sensação de festival. O público poderá estar dentro dessa curadoria de artistas e escolher o que quer ver, sem estar condicionado a determinado show'', diz Ana. ''Além disso, estamos preparando surpresas que vão aparecer como pop-ups para quem está assistindo. Acho que, assim, teremos a sensação de estar mais próximos do artista e também dos amigos e estranhos que estão acompanhando o evento.''

A seleção de atrações traz artistas pernambucanos, como Léo da Bodega, Luna Vitrolira, Romero Ferro e Iury Andrew, bem como músicos independentes com maior projeção nacional, como Giovani Cidreira, MC Tha e Noporn, além da web-famosa Déborah dos Falsetes, que irá apresentar covers de Mariah Carey.

Natural de Santa Catarina, Gab Ferreira se apresenta no Palco Itaipava. Participante da edição 2016 do reality The voice Brasil (Globo), ela traz na bagagem o disco de estreia, Lemon squeeze (2018), no qual canta, em inglês, sobre bases bem produzidas de sintetizadores.

O mesmo “palco” recebe a paulista Tássia Reis, que lançou no ano passado o elogiado disco Próspera. Voltado para sets de música eletrônica, o Palco TNT traz Badista como headliner. Nome artístico de Rafaela Andrade, ela é a produtora responsável por alguns dos trabalhos musicalmente mais interessantes dos últimos anos, como Pajubá (2017), de Linn da Quebrada, e Corpo sem juízo (2020), da multiartista Jup do Bairro.

MINEIROS DJs da festa mineira Mientras Dura se apresentam no Palco ¼, e, ao lado de outros performers, Lázara dos Anjos realiza uma performance no intervalo das apresentações.

Diferentemente do Call Center e das oficinas, que são gratuitos, as apresentações musicais poderão ser acessadas mediante doação de, no mínimo, R$ 5. O valor arrecadado será destinado para a Ecovida Cooperativa Palha de Arroz, localizada em Recife, e formada por mulheres catadoras de materiais recicláveis.

Apesar de ser transmitido pelo Zoom, o evento será captado por meio do Twitch. Segundo Ana Garcia, a plataforma é a melhor em questões de imagem e som.

''O Instagram, por exemplo, não foi feito para as lives. Quando começamos a pensar no projeto, tivemos uma reunião com o escritório da rede social e eles nos disseram para migrar para outra plataforma. Entramos em contato com outras e chegamos à conclusão de que no Zoom funcionaria melhor'', conta.

Além disso, ela revela uma preocupação com a qualidade técnica das performances que serão realizadas pelos artistas. ''Estamos fazendo passagens de som uma semana antes dos shows. Como os artistas estão cada um em sua casa, nosso objetivo é que eles tirem o melhor dos equipamentos que têm à disposição.''

Sobre o futuro, ela ainda o encara com incerteza. Quando foi adiada, a versão física do Coquetel Molotov ainda não estava com sua programação completa, mas a venda de ingressos estava em curso. ''Agora, já estamos pensando na segunda edição on-line. Se no começo do ano já for possível, é muito provável que realizemos algo, mas ainda é muito cedo para pensar em qualquer coisa.''


OFICINAS, PAPO E SHOWS
Confira a programação do festival

    1º/7 (QUARTA)
» Cápsulas de bem-estar (IGTV*)
» Oficina de produção musical a baixo custo com Benke Ferraz –das 15h às 17h30 (Zoom)
» Call Center com Letrux –das 20h às 
21h (Zoom)

    2/7 (QUINTA)
» Oficina de maquiagem criativa com Alma Negrot – das 19h às 20h (Zoom)

    3/7 (SEXTA)
» Petiscos com cerveja, com o chef Lucas Muniz (IGTV*)
» Oficina de produção musical a baixo custo com Benke Ferraz –das 15h às 17h30 (Zoom)
» Oficina de Afrofunk com Taísa Machado (Zoom) – das 20h às 21h

    4/7 (SÁBADO)
» Festa surpresa

    6/7 (SEGUNDA)
» Cápsulas de bem-estar (IGTV*)

    7/7 (TERÇA)
» Workshop Politizando Beyoncé, com Ali Prando – das 19h às 21h (Zoom)

    8/7 (QUARTA)
» Cápsulas de bem-estar (IGTV*)
» Call Center com Linn da Quebrada  –das 20h às 21h (Zoom)

    9/7 (QUINTA)
» Workshop Politizando Beyoncé, com Ali Prando –das 19h às 21h (Zoom)

    10/7 (SEXTA)
» Petiscos com cerveja, com o chef Lucas Muniz (Cobra) (IGTV*)

    11/7 (SÁBADO)
» Drinques por Luana Correia (Mama's Bar) (IGTV*)

*Disponível no Instagram


Festival (ZOOM)

Palco Itaipava (das 17h às 23h)

Léo da Bodega (PE)
Gab Ferreira (SC)
Boogarins (GO)
Luna Vitrolira (PE)
Giovani Cidreira (BA)
Tássia Reis (SP)
Romero Ferro (PE)
MC Tha (SP)

Palco TNT (das 19h às 3h)

Tsar B (Bélgica)
Kai (PE)
Rayssa Dias (PE)
Déborah dos Falsetes (SP)
DJ Ananindeusa (PA)
DJ Cleiton Rasta (AL)
Iury Andrew (PE)
Badsista (SP)

Palco ¼ (das 22h às 5h)

Bicudo (Portugal)
Mientras Dura (MG)
Noporn (SP)
Posada (RS)
Ultra (PE)

Performances:

Alma Negrot (SP)
Kitty Kawakubo (SP)
Lázara dos Anjos (MG)
Rezm Orah (MG/Portugal)
Aun (SP)

Mais informações e ingressos em sympla.com.br/codaproducoes

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade