Publicidade

Estado de Minas FESTIVAL

Fenac é adiado para 2021


postado em 24/03/2020 04:00

Músicos se apresentam no Festival Nacional da Canção, em 2019: coronavírus fez edição comemorativa dos 50 anos do Fenac ser cancelada(foto: FENAC/Divulgação)
Músicos se apresentam no Festival Nacional da Canção, em 2019: coronavírus fez edição comemorativa dos 50 anos do Fenac ser cancelada (foto: FENAC/Divulgação)

A pandemia causada pelo coronavírus vem fazendo com que inúmeros eventos sejam cancelados ou adiados. Desta vez quem também resolveu mudar a data foram os organizadores do Festival Nacional da Canção (Fenac), que este ano está comemorando 50 anos. Criado em 1971, é a primeira vez que isso ocorre em todos os anos de realização do evento. Antes de ser adiado, o Fenac já havia recebido mais de 100 inscrições de músicas do Brasil e exterior.

De acordo com o fundador do Fenac, Gleizer Naves, tudo já estava pronto para que o festival fosse realizado de julho a setembro, nas cidades mineiras de Perdões, São Thomé das Letras, Barroso, Coqueiral, Nepomuceno, Três Pontas e Boa Esperança. Além do troféu Lamartine Babo dado ao vencedor, seriam distribuídos R$ 250 mil em prêmios.

Visando colaborar com o bem-estar e segurança de todos e de comum acordo com as prefeituras, o Fenac preferiu transferir a edição cinquentenária para 2021, nas mesmas cidades, com a promessa dos organizadores em preparar um evento histórico. Naves lamenta que, embora tudo já estivesse em andamento, muita coisa teve de ser cancelada, inclusive os diversos contratos já assinados. “Estávamos com os projetos aprovados pela Lei de Incentivo, com as inscrições abertas, prevendo cerca de até 3 mil canções inscritas.”

Ele ressalta que, após reunião com os organizadores, todos chegaram à conclusão de que o melhor mesmo seria adiar o Fenac para 2021. “Isto depois de observarmos que, nesse momento, embora tenhamos estudado várias opções, inclusive a de fazer o festival inteiramente on-line, sem público, com a presença das bandas, mas com transmissão pela internet, em um local fechado, o melhor era mesmo adiá-lo.”

Naves ressalta que neste momento de pandemia o investimento de todo o dinheiro público ou não tem que ser canalizado para a população, para a área de saúde. “Então, adiamos para o ano que vem, quando voltaremos a todo vapor. Achamos que essa decisão foi a mais sensata.”

O fundador do Fenac lembra outras opções que foram estudadas com as prefeituras, inclusive a possibilidade de adiá-lo para o final deste ano – em novembro e dezembro. “Porém, analisamos todas as perspectivas e chegamos à conclusão de que, mesmo se essa epidemia diminuir, a economia estará um caos.”

INSCRIÇÕES
Ele acredita que, de todas as formas de olhar o futuro, a melhor foi mesmo adiar o Fenac para o ano que vem, para o mesmo período em que ele sempre foi realizado. “Temos de fazer esse evento no ano que vem e assim ficou decidido. Cancelamos as inscrições e avisamos para aqueles que já tinham feito que eles têm a opção de deixarem valendo para o ano que vem ou então receber o dinheiro de volta.”

Naves ressalta que já havia pedido vários artistas plásticos e fotógrafos que fizessem uma obra que caracterizasse cada música vencedora, que são 49 ao todo. “Fernando Pacheco fez dois quadros belíssimos, representando músicas que já ganharam o Fenac. Assim, já estamos com essa galeria praticamente pronta, que são 49 obras representando música vencedora. Assim, continuamos animados e, no próximo ano, com certeza faremos uma festa ainda maior, comemorando os 50 anos do festival.”


Publicidade