Publicidade

Estado de Minas

Conheça 'Vis a vis', a série espanhola que vem conquistando o público

Contando com atrizes e idealizadores de 'La Casa de Papel', atração da Netflix aposta nas tensões de um presídio feminino


postado em 02/08/2019 04:08

Maggie Civantos é Macarena, a jovem presa por engano em Vis a vis(foto: Netflix/divulgação)
Maggie Civantos é Macarena, a jovem presa por engano em Vis a vis (foto: Netflix/divulgação)

 
– E você, por que está aqui, querida? Roubo, tráfico, prostituição? – pergunta Anabel.
– Não, foi um engano, de verdade. Preciso de um advogado, mas falaram que só na quarta – responde Macarena.

– Posso conseguir um – diz Anabel

– Sério?

– Primeira regra da prisão: não peça favores. Certo, Anabel? – intercede Sole.

A cena do primeiro episódio de Vis a vis apresenta o contexto que norteia a série espanhola, disponível no catálogo da Netflix desde maio. Lançada em 2015 pela emissora Antena 3, ela vem conquistando popularidade mundial no serviço de streaming, talvez pela relação com dois outros fenômenos da TV. A trama tem muito a ver com a popular Orange is the new black – também se desenrola dentro de um presídio feminino. Além disso, foi criada por Álex Pina e Esther Martínez, dupla responsável por La Casa de Papel, com atores comuns a ambos os elencos.

A carismática Alba Flores (Nairóbi, da gangue que assalta a Casa da Moeda na outra trama) é Saray, detenta de origem cigana rejeitada pela família por ser lésbica e aliada de Zulema, a presidiária mais perigosa da história (Najwa Nimri). Essa atriz espanhola de origem jordaniana entrou na terceira temporada de La Casa de Papel.

Porém, a protagonista de Vis a vis é Macarena Ferreiro (Maggie Civantos), a jovem de boa família que foi parar no presídio de segurança máxima Cruz Del Sur depois de ser vítima de um golpe. Ingênua e indefesa, “Maca” logo é alvo das mentes perversas. Anabel (Inma Cuevas), por exemplo, dissimuladamente oferece-lhe ajuda e um advogado para exigir favores complicados em troca.

Embora conte com certa proteção da generosa Sole (María Isabel Díaz), “Maca” se mete em um perigoso jogo de poder, em meio a abusos físicos e psicológicos. Colocando a própria família em risco, sobretudo quando seu caminho cruza com o de Zulema.

À medida que Macarena vai se fortalecendo, obstinada em provar sua inocência, a trama se torna um drama policial intenso, violento em alguns momentos, com reviravoltas e exageros, norteado pelas relações complexas entre detentas, agentes penitenciários e o mundo lá fora.

As duas primeiras temporadas de Vis a vis estão disponíveis na Netflix. A terceira começa em 30 de agosto. A data de estreia da quarta, já exibida na TV espanhola, ainda não foi anunciada.





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade