Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

DEPOIS DE SOLTASBRUXA, VEM RASGACABEZA


postado em 23/03/2019 05:09

(foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação)
(foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação)

Uma das bandas mais originais da atualidade, o quinteto Francisco, El Hombre – Juliana Strassacapa (vocal e percussão), Mateo Piracés-Ugarte e Sebastián Piracés-Ugarte (vocais, violões e percussão), Andrei Martinez Kozyreff (guitarra) e Rafael Gomes (baixo) – chega ao seu segundo álbum. Rasgacabeza soa caótico nos primeiros momentos, sensação que diminui à medida em que o álbum evolui.

A ideia geral das oito canções é de término e recomeço, mas um término que pede o caos. “O que penso mais é em não me acomodar com situação alguma, já que estamos vivendo um caos em várias esferas da vida”, afirma Rafael Gomes. “O fogo é ritual/É reação/Pulsão de vida” são os versos que abrem o trabalho (na faixa Chama adrenalina). “Esse fogo que chama, é mais um fogo para despertar do que para destruir”, diz o baixista.

Grupo que mistura rock, música latina (os irmãos Piracés-Ugarte são mexicanos naturalizados brasileiros) e música brasileira, Francisco, El Hombre levou um ano para fazer o trabalho. “Soltasbruxa (2016) foi um trabalho mais racional. Neste, procuramos não discorrer sobre um tema, mas levantar um sentimento que não é só nosso”, acrescenta Gomes.

ELETRÔNICA O processo de feitura foi conjunto, com várias ideias sendo levantadas ao mesmo tempo. “Trabalhamos de maneira mais eletrônica e depois é que as letras foram se desenvolvendo”, conta o baixista. Por eletrônica, vale dizer que eles utilizaram vários samples, tanto de suas próprias gravações quanto de vídeos pouquíssimo vistos no YouTube.

Se na primeira metade – com Chama adrenalina, Chão teto parede, Travou e Encaldeirando – o grupo chama para o ataque por meio de uma sonoridade pesada, por vezes industrial, a partir de Parafuso solto o clima arrefece. Essa faixa, com pegada folk, tem um formato de canção. O tempo é sua morada, com bela interpretação de Juliana, traz instrumentação mais elaborada, com cordas e metais. Já na parte final – Manda bala fogo e Se hoje tá assim – o grupo volta ao clima inicial, quase apocalíptico. “Se hoje tá assim/Imagina o amanhã” é a mensagem.

Francisco, El Hombre está assistindo à primeira semana do lançamento de Rasgacabeza de longe. Com bom trânsito no cenário independente latino-americano, o grupo fez nesta semana em Havana, Cuba, o primeiro show da nova turnê. Da ilha caribenha a banda vai para o México, para quatro apresentações. Depois retorna ao Brasil. “Esta conexão (com outros países) foi criada desde o início da banda. Já vivemos no Brasil, um país que é um continente. Então viajamos pela América Latina com a mesma perspectiva. Temos todos uma história muito parecida, mas cada lugar é diferente do outro.”


Rasgacabeza
• Francisco, El Hombre
• Natura Musical
• Disponível nas plataformas digitais


Publicidade