Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Efeito camuflagem

Dermopigmentação faz com que as estrias, formadas quando há destruição de fibras da pele, fiquem praticamente imperceptíveis. Método garante resultado de até 90% de redução das cicatrizes


postado em 23/12/2018 05:02

Procedimento é parecido com a tatuagem, mas menos agressivo, atingindo a camada mais superficial da pele, e dura até um ano e meio, com possibilidade de retoque(foto: Daniel de Paula Pontes/Divulgação )
Procedimento é parecido com a tatuagem, mas menos agressivo, atingindo a camada mais superficial da pele, e dura até um ano e meio, com possibilidade de retoque (foto: Daniel de Paula Pontes/Divulgação )

 

 

 

 








Estar em paz com o corpo que é possível é a busca mais genuína tanto de mulheres (sempre mais pressionadas) quanto dos homens. Agora, aceitá-lo como é não significa deixar de cuidar ou querer melhorá-lo. Entre as preocupações estéticas estão as estrias, cicatrizes que se formam quando há estiramento da pele, rompendo as fibras elásticas e o colágeno. Aline Santana, esteticista e cosmetóloga da Pierre – Clínica de Estética e Instituto de Beleza, explica que elas aparecem quando alguma região do corpo passa por crescimento acelerado, comum na adolescência, ou em ganho de peso repentino. Sendo assim, muitas vezes, acaba ocorrendo o estiramento da pele.”

Para quem se incomoda, há uma saída para amenizar as estrias. Aline Santana, com 15 anos de experiência, afirma que esse tratamento é a dermopigmentação. “É um procedimento estético parecido com a tatuagem, porém, menos agressivo, atingindo a camada mais superficial da pele, especificamente na epiderme. Ele é semipermanente, com durabilidade de até um ano e meio. No caso das estrias, a dermopigmentação vai atuar como camuflagem, usando um pigmento cor de pele e cobrindo cada estria, de maneira a deixá-la com o tom da pele.”

Nem todo mundo tem estrias, há grupos com maior tendência. Aline Santana aponta os adolescentes em fase de crescimento, mulheres grávidas, pessoas com ganho de peso e os praticantes de esportes com foco no ganho de massa muscular sem orientação. “No último caso, o que ocorre em relação às estrias é o crescimento repentino dos músculos e o estiramento da pele, rompendo fibras elásticas”.

A esteticista e cosmetóloga avisa que há contraindicação para a dermopigmentação para quem teve câncer há menos de cinco anos, tem queloide e para os diabéticos. “No caso das pessoas que já tiveram câncer, elas ainda fazem acompanhamento e o paciente não é liberado para fazer esse tipo de procedimento. Já em quem tem queloide, pode ocorrer cicatriz hipertrófica, piorando o aspecto das estrias. E as pessoas com diabetes não são autorizadas, por causa da dificuldade de cicatrização. As grávidas também não podem se submeter à dermopigmentação.”

CARNE DE PORCO

Aline Santana conta que o procedimento é feito por sessão e o tempo dependerá da quantidade de estrias por área tratada. Em média, dura de duas a três horas. “São necessários 30 dias entre as sessões para que haja cicatrização. Depois do procedimento, é preciso evitar se expor ao sol, piscina e praia durante os 30 dias decorrentes. Antes, é indicado que a pessoa não faça nenhum tipo de bronzeamento. É importante também que alimentos condimentados, como pimenta e carne de porco, sejam evitados durante o período de cicatrização, pois podem tornar o processo mais lento.” Ela revela que o custo do procedimento varia de R$ 390 a R$ 600, de acordo com a extensão da área tratada e o número de sessões.

Como a dermopigmentação dura de um ano a um ano e meio, após esse período, pode ser feito um retoque, caso necessário. Aline Santana destaca que há tipos e diferentes estágios da estria. “São dois tipos: as vermelhas e as brancas. As estrias recentes são vermelhas (mais fáceis de se tratar) e, posteriormente, evoluem para a tonalidade esbranquiçada e tendem a chamar mais a atenção e marcar a pele. As brancas são ideais para camuflar, porque recebem melhor a pigmentação.”



. Cuidados após o tratamento:
» Manter a pele sempre hidratada
» Não comer carne de porco, pimenta, frutos do mar, principalmente camarão, durante o período de cicatrização
» Não entrar na piscina, sauna e não ir para a praia por 30 dias
» Não fazer atividade física por sete dias
» Não tomar sol
» Não tomar banho em água quente


palavra de especialista

Joyce Estefânia Rodrigues
advogada



Sem dor e com resultado


“Tenho estrias nos seios. Elas são antigas e bem branquinhas. Sempre tive seios fartos, mas, em um determinado período, emagreci, e foi quando surgiram as estrias. Estou fazendo o tratamento e vou para a minha segunda sessão de dermopigmentação. Estou gostando muito do resultado, camuflou bastante e vejo que deu aspecto mais saudável. Não doeu, porque, antes do procedimento, foi passado um anestésico. É tranquilo. Foi a primeira vez que fiz um tratamento voltado para estria. Quis fazer porque me incomodava, o aspecto é feio. Colocava um biquíni e sentia vergonha. Esteticamente não é algo bonito. Sei que há um prazo de validade, então, se for necessário, faço o procedimento novamente. E, claro, o indico, pois o resultado é excelente. Gostei e vale o investimento.”


"É importante que os alimentos condimentados, como pimenta e carne de porco, sejam evitados durante o período de cicatrização"


. Aline Santana,

esteticista e cosmetóloga

 

 


Publicidade