Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas FIQUE DE OLHO

Os golpes com o PIX: como não cair em ciladas e como resolver

Infelizmente a gente tem visto que a ocorrência de golpes financeiros aumentou durante a pandemia. Veja como se precaver no caso do PIX


02/06/2021 06:00 - atualizado 01/06/2021 19:10

(foto: Pexels/Reprodução )
(foto: Pexels/Reprodução )
Se ganhar dinheiro e mantê-lo até o final do mês já é complicado, imagina perder parte da grana sofrendo golpes financeiros? Além de ser revoltante, essa é uma situação que se traduz em dados alarmantes: de acordo com a Federação Brasileira de Bancos, entre janeiro e fevereiro de 2021, golpes e fraudes por e-mail e telefone, incluindo golpes com o Pix, aumentaram em 100%. 


Isso tem acontecido porque estamos em um período em que as pessoas passam mais tempo no celular e computador fazendo compras e transações bancárias, e os golpistas se aproveitam da situação para praticar esse tipo de crime. Como o Pix é algo relativamente novo e rápido de fazer, tem sido artifício para esses golpes. 

Mas é importante lembrar: tenha em mente que o Pix é um meio de pagamento seguro do Banco Central e não aplica golpes em ninguém. O problema é que criminosos têm utilizado o nome “Pix” para roubar os cidadãos. Entenda como funciona e saiba como se precaver!

Os principais tipos de golpes envolvendo o Pix


Os crimes do tipo phishing estão cada vez mais sofisticados e, muitas vezes, até as pessoas mais antenadas e esclarecidas caem em fraudes assim. O phishing se resume em atrair as pessoas para acessar links falsos na internet e para obter dados e, consequentemente, o dinheiro delas. 

Por meio do phishing, muita gente cai no golpe do Pix. São utilizados, por exemplo, e-mails falsos para pedir ao cliente para atualizar a conta do Pix. Veja outros tipos de golpes praticados.

Golpe da engenharia social no WhatsApp


Como funciona: o criminoso pega uma foto sua, que pode ser a que você utiliza nas suas redes sociais ou até mesmo do WhatsApp, e cria uma conta no WhatsApp utilizando essa foto. Nesse caso, ele não chega a clonar seu telefone, apenas cria um perfil no app de mensagens como se fosse seu.

De forma engenhosa e principalmente com a ajuda das redes sociais, esses criminosos conseguem contatos da sua rede de relacionamentos, como pais, irmãos e amigos.

A partir disso, eles começam a mandar mensagens para os seus contatos pedindo dinheiro, como se fosse você. Com isso, informam que o número está diferente porque “você trocou de número”. 
Como a vítima acredita que é você quem está do outro lado da linha e pretende te ajudar, ela acaba caindo no golpe e faz o depósito do dinheiro na conta do Pix indicada pelo criminoso. Mais adiante, vamos dar dicas de como você pode evitar esse tipo de golpe, mas aqui vai uma prévia: evite deixar sua foto do WhatsApp no modo público.

Clonagem do WhatsApp


Esse é um dos golpes mais praticados. Sempre nos deparamos com o vazamento de dados de milhares de brasileiros pela internet, tornando ainda mais fácil o acesso às informações das pessoas sem que elas nem saibam.

Como funciona: os golpistas ligam para as vítimas se passando por funcionários do banco e informam que elas precisam ativar seu Pix. Com isso, eles tentam acessar o WhatsApp delas, mas como o sistema pede a confirmação de um código, os criminosos pedem que o cliente informe o código que chegou via SMS.

Ao informar o número, o cliente permite, sem perceber, que o WhatsApp seja ativado em outro telefone. Com isso, os golpistas têm acesso a toda a sua agenda e passam a pedir dinheiro para parentes e amigos.

Como resolver se você caiu em golpes com o Pix?


Ainda que muitas pessoas tenham uma certa descrença na eficácia do Boletim de Ocorrência, é preciso registrar um BO do ocorrido na delegacia de polícia. O registro ajuda a entender como os bandidos têm agido, quais recursos utilizam e, em certos casos, a rastrear o endereço do criminoso.

Como se proteger desse tipo de fraude?


A principal medida você já está adotando, que é buscar informação e ler sobre os tipos de golpes mais praticados utilizando o Pix. Porém, não deixe de ter os seguintes cuidados:

Proteja seu telefone e suas contas bancárias


Um dos lados positivos do uso da tecnologia é que quanto mais a gente utiliza, mais as empresas que criam os apps analisam formas de tornar essas ferramentas mais seguras.

Já reparou que o WhatsApp tem uma ferramenta que se chama “Confirmação em duas etapas”? Essa é uma forma de adicionar uma camada extra de proteção no seu app e, consequentemente, nos seus dados, pois ali estão armazenadas informações pessoais.

Veja como é fácil ativar esse recurso no seu celular:

  • Abra o WhatsApp e clique nos três pontinhos que ficam no canto superior direito da tela;
  • Clique em “Configurações” e vá em “Conta”;
  • Procure por “Confirmação em duas etapas”, leia a descrição e clique em “Ativar”;
  • Crie um Pin de seis números, digite-o e depois confirme esse Pin;
  • Digite o seu e-mail para caso seja necessário redefinir o Pin se você esquecer;
  • Confirme o endereço de e-mail e clique em “Salvar”. A confirmação em duas etapas já está ativa!

Também é possível adicionar mais segurança ao seu telefone e às suas contas bancárias, ativando o acesso com a impressão digital, caso o app do banco e o celular ofereçam esse recurso.

Proteja suas redes sociais


É inegável o aumento do acesso às redes sociais nos últimos anos, especialmente no contexto da pandemia. Porém, evite se expor demais informando seus contatos pessoais, principalmente telefone.
Além disso, prefira deixar suas contas no modo privado, pois assim só seus amigos e familiares terão acesso ao que você posta e como interage. Sabia que muitos criminosos utilizam os comentários para identificar relações próximas? Então, todo cuidado é pouco.

Desconfie da situação


Sempre que receber ligação ou mensagem de alguém pedindo dinheiro com urgência, desconfie. Principalmente nos casos em que a pessoa não costuma pedir emprestado. Além disso, jamais forneça seus dados e códigos por telefone, pois os bancos nunca ligam para fazer esse tipo de solicitação. 

Você pode, por exemplo, fazer um combinado com as pessoas mais próximas: sempre que alguém estiver enfrentando problemas, sejam eles quais forem, tenham um código específico para se comunicar, podendo ser uma palavra ou uma frase específica.

Por fim, uma dica extra: evite cadastrar o seu número de celular como chave do Pix, pois ele é mais fácil de descobrir e isso aumenta sua vulnerabilidade a esse tipo de crime. Ao entender como os golpes com o Pix funcionam, reveja a segurança do seu celular e invista nas nossas dicas. Afinal, o golpe tá ai, cai quem não tem informação, concorda?

Gostou do conteúdo e das dicas? Talvez você também queira conferir como é possível bloquear ligações de telemarketing!
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade