Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Jornada Solidária suspende Torneio Empresarial de Tênis, por prevenção ao coronavírus

Vigésima quarta edição do evento estava em andamento. Organização e patrocinadores foram unânimes na decisão


postado em 18/03/2020 04:00

Equipes que disputavam o torneio devem retomar a disputa depois que o perigo de disseminação do vírus passar(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Equipes que disputavam o torneio devem retomar a disputa depois que o perigo de disseminação do vírus passar (foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)

 

Em decorrência das medidas de precaução contra a disseminação do coronavírus, a Jornada Solidária suspendeu o 24º Torneio Empresarial de Tênis Estado de Minas. Os jogos, que já estavam ocorrendo desde 11 de março, foram suspensos ontem, terça-feira (17). O maior campeonato amador social do país retomará as disputas assim que passar o risco da pandemia do Covid-19. Essa medida destina-se a proteger tanto os jogadores quanto os profissionais que trabalham no evento em benefício das obras da Jornada Solidária. As medidas foram discutidas com o comitê executivo do torneio, que aprovou por unanimidade a suspensão, com apoio de todos os patrocinadores. O Torneio Empresarial de Tênis tem o patrocínio máster do Banco Mercantil do Brasil e do Instituto MRV, e conta com o copatrocínio de Anuar Donato Consultoria Imobiliária, Bob's, Bordeaux Peugeot, Canopus, Carmo Couri Engenharia, Castor Construtora, Cerâmicas Braúnas, Hermes Pardini, Jam Engenharia de Ar Condicionado e Patrimar. Os apoiadores são Central Press, Krug Bier, Forno de Minas, água Florença, Buffet Célia Soutto Mayor, Café Beloto e Casa Nicolau Café. A coordenação técnica é da Wildmann Tênis, em parceria com a Casalechi.

Dúvidas
Avanço tecnológico

Em anos de progresso tecnológico, a ciência conseguiu inventar artefatos bélicos do tipo de bombas nucleares que podem destruir o mundo e matar milhões de pessoas em poucas horas. Conseguiu também mandar o homem passear na Lua e enviar artefatos para pesquisas no planeta Marte e redutos intergaláticos. Criou o computador e uma rede de comunicação eletrônica dos humanos que funciona estupendamente, ligando em poucos segundos entre si pontos distantes do planeta. Pois bem. Mesmo com essa invencionice toda, basta aparecer um vírus qualquer por aí, seres invisíveis que surgem do nada, para acabar com a alegria geral da galera. Em resumo, o homem é o todo-poderoso dono do universo, mas não vale um vintém de mel coado quando tem pela frente essas manifestações microscópicas que podem mandar para o cemitério qualquer cidadão que não se comporte de acordo. Hoje, o Napoleão do planeta Terra é o coronavírus. Deve ser derrotado de qualquer maneira.

Vamos em frente
Restaurante no A.C.

Com vista a tempos melhores, continuam a pleno vapor as obras, no Salão de Música do Automóvel Clube, do restaurante que o chef Léo Paixão instalará no local. Até agora, os trabalhos não sofreram solução de continuidade. Só a inauguração é que poderá ser adiada, caso continue a crise provocada pelo chatíssimo Covid-19.
 
Endividados
Medida simpática

O coronavírus está fazendo milagres. Vejam vocês que a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) anunciou ontem que os principais bancos do país estão estudando com simpatia a possibilidade de prorrogar por um prazo de 60 dias o vencimento das dívidas de seus clientes, principalmente de pessoas físicas e de micro e pequenas empresas. Há, também, fatos já ventilados pelo governo, como a facilitação da concessão de crédito e a redução de juros para esses mesmos setores. Outra medida surpreendente é a da renegociação de dívidas para empresas e famílias de boa ficha bancária que atingiriam um total incrível de R$ 3,4 trilhões.
 
Circuito cultural
Kaput total

O cerco está apertando. Ontem, a Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais anunciou o fechamento pelos próximos 30 dias de todos os equipamentos culturais a ela vinculados. O prazo poderá ser prorrogado. Essa e várias outras medidas foram adotadas pela Secult com o objetivo de evitar a disseminação do coronavírus. Aqueles que tiverem ingressos para espetáculos cancelados ou adiados poderão pedir reembolso dos valores. É claro que se trata de uma suspensão temporária, à espera de tempos melhores.
 
Energisa
Balanço simpático

A Energisa, empresa mineira de distribuição de energia, fundada em Cataguases há 115 anos, controlada pela família Botelho, apresentou um balanço do ano de 2019 dos mais 
atraentes, no meio de tantas notícias discretas no setor. O grupo registrou um lucro líquido de R$ 527,2 milhões para uma receita bruta de R$ 29,3 bilhões. A Energisa é formada por 18 empresas, sendo a grande maioria delas de distribuição de energia elétrica. Atende uma população de 16 milhões de pessoas. Seu presidente é Ricardo Perez Botelho. 
 
Bolsa de Valores
Fechar para balanço

Entidades que comandam as bolsas de valores de todo o mundo, vale dizer da Europa, Ásia e Estados Unidos, estão analisando a paralisação temporária das bolsas tendo em vista acabar com o pânico que as quedas contínuas de suas operações estão causando no meio econômico mundial. A Bovespa, a maior bolsa do Brasil, estaria inclinada a aceitar a ideia. O problema é que, teoricamente, a compra e venda de ações não pode sofrer solução de continuidade.

Exames
Falta de reagentes

O Laboratório Hermes Pardini, que tem seu principal centro de operações em BH, é um dos laboratórios do país que, no momento, foi obrigado a paralisar seus exames de coronavírus devido à falta de reagentes químicos, que são importados, falta provocada pelo aumento extraordinário da demanda. Técnicos do laboratório estão empenhados agora em descobrir novas tecnologias de análise, a fim de superar a crise. Ao mesmo tempo, junto com as demais empresas, está solicitando ao governo facilitação da importação (desembaraço alfandegário) de reagentes e redução temporária a zero do imposto de importação. O mar realmente não está para peixe.

TJMG
10ª Câmara Cível

Na remoção da desembargadora Valéria Rodrigues Queiroz da 10ª Câmara Cível para a recém-instalada 2ª Câmara Criminal no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, foi aberta uma vaga na câmara cível. O lugar acaba de ser preenchido pelo presidente do tribunal, desembargador Nelson Missias, com a nomeação do juiz de Direito Fabiano Rubinger como desembargador substituto. Rubinger veio transferido para BH direto de Uberaba, onde era o titular da Vara Cível da comarca. O juiz Rubinger já tomou posse, com o tribunal mergulhado nas medidas contra o coronavírus.

Velinhas
Alemães e automóveis

Ontem, completaram-se 186 anos do nascimento de Gottlieb Daimler, inventor do automóvel com motor a combustão a gasolina junto com Karl Benz, os criadores do automóvel moderno. Para acompanhar os dois nas invenções no setor, hoje é a data de nascimento de Rudolf Diesel, inventor do motor a diesel. Um veio atrás do outro. Os três alemães são os responsáveis por esse extraordinário equipamento de conforto para o homem – o automóvel –, que está se transformando em uma das máquinas de maior opressão da humanidade, que ameaça paralisar as cidades e envenenar o clima. A propósito, a data de hoje marca o 124º aniversário de nascimento do barão alemão Lothar von Arnauld de la Perière, considerado o maior ás da história da guerra submarina de todos os tempos. Na 1ª Guerra Mundial, Von Arnauld afundou nada menos do que 194 navios aliados, total incrível de se acreditar, somando cerca de 500 mil toneladas. Viveu 50 anos no mar, mas morreu em 1941, em um desastre de avião em Paris. Ironia. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade