Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Casa da Ópera de Ouro Preto comemora 250 anos em 2020

Inaugurado em 6 de julho de 1770 para festejar o aniversário de dom José I, rei de Portugal, é o teatro mais antigo das Américas


postado em 22/01/2020 04:00

A Casa da Ópera de Ouro Preto, impávida, comemora seus 250 anos em 2020. É o teatro mais antigo em atividade nas Américas (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)
A Casa da Ópera de Ouro Preto, impávida, comemora seus 250 anos em 2020. É o teatro mais antigo em atividade nas Américas (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

250 ANOS
CASA DA ÓPERA

Entre os destaques das instituições artísticas civis de Ouro Preto preservadas, ao lado das maravilhosas igrejas e monumentos sacros, está a Casa da Ópera, o teatro municipal inaugurado em 6 de julho de 1770 para festejar o aniversário de dom José I, rei de Portugal. Mantendo sua estrutura original, a Casa da Ópera comemora 250 anos, o que lhe dá o título de teatro mais antigo em atividade das três Américas. Durante todo o ano, a casa deve apresentar uma série de espetáculos alusivos à data.

***

A prefeitura vem realizando obras de restauração no edifício, com destaque para a fachada e o mobiliário, além da renovação dos sistemas de iluminação e sonorização e do tratamento do piso do palco e dos camarotes. Os 250 anos da Casa da Ópera serão comemorados junto ao aniversário de 40 anos do título de patrimônio cultural da humanidade, dado à cidade pela Unesco em 1980. Salve a Casa da Ópera!

ARBORIZAÇÃO
ESTAMOS EM FALTA

A falta de reposição das árvores das vias públicas de Belo Horizonte, que tem um dos sistemas de arborização mais elogiados do país, já está chamando a atenção e sendo motivo de reparos mesmo por parte dos mais desinteressados na área. As árvores antigas são eliminadas, mas não há replantio, muito antes pelo contrário. O grave é que muitas das covas circulares onde as árvores desaparecidas floresciam são cimentadas ou foram engolidas pelo passeio. É bom notar que a bela arborização de Belo Horizonte é um dos grandes trunfos da metrópole, iniciada quando ainda tomava a forma de cidade. A prefeitura não pode descuidar de um setor tão vital.

CULTURA
MINISTRO NÃO OPINOU

A respeito da tumultuada demissão de Roberto Alvim da Secretaria da Cultura do governo federal, devido ao plágio do discurso nazista de Joseph Goebbels, verificou-se que o ministro do Turismo, o mineiro Marcelo Álvaro Antônio, ao qual a secretaria é subordinada, passou em branco tanto no conturbado episódio quanto na escolha da atriz Regina Duarte para substituir Alvim. O Palácio do Planalto não quis nem saber de qual pasta a secretaria faz parte. Mandou brasa e continua a comandar o processo. A novidade é que a Cultura poderá sair do Ministério do Turismo e passar a ser subordinada diretamente à Presidência da República.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA
NOVOS DESEMBARGADORES

Até agora, o governador Romeu Zema não se dignou a escolher os dois novos desembargadores que irão integrar o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, indicados em duas listas tríplices que lhe foram enviadas em dezembro. Ambas trazem nomes de membros do Ministério Público, pois as duas vagas fazem parte da cota destinada ao MP pelo quinto constitucional. Para a vaga deixada pela desembargadora Hilda Teixeira foram indicados a procuradora de Justiça Maria Inês Rodrigues de Souza e os promotores de Justiça Antônio Henrique Franco Lopes e Leonardo Castelo Branco.

***

Para a vaga surgida com a criação da 8ª Câmara Criminal, as indicadas são as procuradoras de Justiça Adelaide de Carvalho Machado e Lilian Maria Marotta Moreira e a promotora de Justiça Paula Cunha e Silva. Anote-se que essa lista é formada apenas por mulheres, o que é raro.

VALE
RETORNO DA SAMARCO

A mineradora Samarco, controlada pela Vale, cujas atividades estão paralisadas desde o trágico rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, em novembro de 2015, deve voltar a funcionar este ano, possivelmente a partir de julho. Essa é a notícia fornecida pela Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais, que acrescentou dois itens importantes na comunicação. As operações em Mariana serão realizadas com beneficiamento a seco, o que elimina a necessidade de barragens para limpeza e descontaminação do minério. Já a produção será de apenas 30% da operação anterior. A entidade informou ainda que a Vale fez nova doação de R$ 65 milhões às 10 cidades impactadas pela paralisação das atividades em suas minas.

MINEIROS
AGÊNCIAS REGULADORAS

Entre os inúmeros cargos que o presidente Jair Bolsonaro tem à disposição para nomear titulares estão os de oito agências reguladoras, órgãos de grande importância que incluem a administração de atividades vitais da República.

***

Aí, então, o leitor, por curiosidade, pode perguntar que mineiro estaria cotado ou teria a simpatia de Bolsonaro para ocupar uma delas. A resposta, infelizmente, é que nenhum conta com cacife para tal proeza. Minas Gerais continua numa baixa dos diabos nos altos escalões de República.

DOM JOÃO VI
INÍCIO DO DESENVOLVIMENTO

A data de hoje marca o aniversário de 212 anos da chegada de dom João VI e sua corte ao Brasil, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal. O fato, não há por onde negar, marca o início do desenvolvimento do nosso país. Dom João VI desembarcou em Salvador, e em apenas um mês na capital baiana mandou brasa. Inicialmente, promulgou o decreto de abertura dos portos do Brasil a todas as nações. Em seguida, liberou as restrições impostas à alfândega brasileira. Em Salvador, fundou a primeira faculdade de medicina do país, além de autorizar a criação de fábricas de pólvora, vidro, tabaco, fiação de algodão e outras mais. Depois de passar 34 dias na Bahia, o rei se mandou para o Rio de Janeiro, onde ficou até 1821. Deixou o trono para seu filho Pedro I.

PELO AR
O MAIOR BI DO MUNDO

Está programado para amanhã o primeiro voo de teste do Boeing 777X, o maior birreator do mundo, com capacidade para cerca de 500 passageiros. É um dos trunfos da Boeing para fazer esquecer o fracasso do 737MAX, cuja fabricação foi paralisada. A propósito, a data de hoje assinala o cinquentenário da estreia em voos comerciais do Boeing 747,  o famoso quadrirreator Jumbo Jet. O voo inaugural se deu com a bandeira da extinta Pan American na rota Nova York-Londres, em 22 de janeiro de 1970.



Publicidade