Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

BH homenageou todos os estados em seu mapa. Cadê a Rua Pará?

Na região delimitada pela Avenida do Contorno, vias ganharam nomes do Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Norte, Paraíba e Amazonas. Faltou o estado nortista.


postado em 29/11/2019 04:00 / atualizado em 28/11/2019 19:48

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

Pará
Onde está a rua?

Como se sabe, na planta original da cidade de Belo Horizonte foi estabelecido que algumas das principais ruas do Centro da capital mineira, dentro do espaço delimitado pela Avenida do Contorno, seriam batizadas com nomes dos estados brasileiros. Assim foi. Boa parte das vias públicas de maior tráfego e de maior incidência habitacional têm nomes de estados, tais como ruas Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Norte, Paraíba, Avenida Amazonas, etc. Pois bem. Vai dai que leitor nascido em Belém, no Pará, que mora em BH há algum tempo, enviou e-mail à coluna para reclamar que seu estado natal foi esquecido pela comissão construtora da capital. De fato, ele tem razão. Não existe Rua Pará na região delimitada pela Avenida do Contorno. No entanto, existe em Santa Efigênia a Rua Grão Pará, que era o nome do estado no tempo do Império. Aí, o leitor paraense diz que esse nome não vale. Gostaria de ver ressuscitada uma Rua Pará em BH, que também merece a homenagem. De fato, merece.

Áreas ambientais
Ocupações irregulares

Em São Paulo, a ocupação de áreas ambientais por construções irregulares está tão grande que até associações de corretores de imóveis, membros de entidades ambientais, de moradores de bairros e de sindicatos foram convocados para participar de uma força-tarefa criada prefeitura, Polícia Militar e Polícia Federal para combater a onda de invasões de terrenos da União, do estado e do município. Invasões em áreas de mananciais e de terrenos protegidos são realizadas há muito tempo, inclusive com auxílio de corretores ilegais, que iludem pessoas ingênuas. Em Belo Horizonte, o problema também existe e é antigo. Invasões irregulares vêm acontecendo de maneira constante, principalmente por meio de loteamentos clandestinos.

***

Áreas à beira das rodovias são alvo constante dessas invasões, originárias tanto da falta de moradias como também do crescimento desordenado da cidade. Com as contínuas crises hídricas, invasões de terrenos vizinhos aos mananciais podem criar focos de contaminação da água, comprometendo o abastecimento de Belo Horizonte. Sem deixar de considerar os direitos humanos na resolução dos problemas, é preciso fazer um mapeamento geral do que está ocorrendo nessas regiões de risco, para evitar grandes danos futuros. Nesse setor, qualquer descuido pode ser fatal.

Torcedores 
Choro livre 

Em discreta mesa no Bar do Primo, dois torcedores do Cruzeiro, democraticamente reunidos com um do Atlético, na falta do que falar opinavam que as comemorações da turma do Flamengo em torno dos dois títulos máximos conquistados pelo clube, um atrás do outro, estavam muito exageradas. Aí, retruca o atleticano: “Que exageradas que nada. São muito justas. Conquistar o título do Brasileirão é muito difícil. Eles só têm é que comemorar”. E completava: “Veja o caso do Atlético. Não são 10, nem são 20, nem 30 e nem 40, mas são quase 50 anos que o clube não ganha o título do Brasileirão. É muito tempo, meu Deus do céu!”. E mais não disse.


Flash
O cônsul de Portugal em Minas Gerais, Rui Almeida, e a advogada Maria Inês Vasconcelos, agraciados com a medalha Cap sur L'École, pela organização internacional Erasmus (foto: Rose Leoni/Divulgação)
O cônsul de Portugal em Minas Gerais, Rui Almeida, e a advogada Maria Inês Vasconcelos, agraciados com a medalha Cap sur L'École, pela organização internacional Erasmus (foto: Rose Leoni/Divulgação)



Belvedere
Jantar de aniversário

A advogada Maria Inês Vasconcelos e o promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Marco Antônio Borges, abrem hoje os salões de seu apartamento no Belvedere para jantar destinado a comemorar o aniversário da anfitriã. No grupo de convidados, figuras do mundo jurídico e social de BH. A reunião servirá também para festejar a recente condecoração recebida por Maria Inês, a Cap sur L'École, da organização internacional europeia Erasmus, que trata de projetos sociais de relevância.

Casa Bernardi
comemoração de aniversário

A Casa Bernardi foi o local escolhido por Terezinha e o desembargador Orlando Carvalho, ex-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, para sediar o jantar comemorativo do aniversário de dona Terezinha, a se realizar em 14 de dezembro. No grupo de convidados, além de figuras da magistratura, mundo jurídico e social de BH, colegas das constantes viagens internacionais que o casal realiza.

Diamantina
50 anos do Lions

Fundado em novembro de 1969, o Lions Clube de Diamantina comemorou este mês seus 50 anos de existência, promovendo uma série de eventos que agitaram a cidade. A programação incluiu a celebração de uma missa em ação de graças pelo arcebispo dom José Darci, uma romântica vesperata, jantar para os ex-presidentes e um baile de gala no Real D'Ávila Hall. Os festejos foram comandados pela presidente do clube, Shirley Terezinha de Oliveira. A haute gomme diamantinense prestigiou.

Direitos autorais 
Hoteleiros aplaudem 

A eliminação da cobrança de direitos autorais de músicas tocadas nos quartos de hotéis e motéis, e até mesmo em cabines de navios de passageiros, constante do projeto enviado pelo governo ao Congresso, representa uma velha aspiração dos hoteleiros brasileiros, que consideravam a cobrança uma taxa abusiva e indevida. Muitos hoteleiros já tinham suspendido a execução de músicas nos quartos. O Ecad, o órgão arrecadador dos direitos autorais, já reagiu. Enquanto isso, o ministro do Turismo, o mineiro Marcelo Antônio, e o presidente da Embratur, Gilson Neto, continuam defendendo a liberação do jogo.

Mochileiros 
Campanha contra 

As medidas anunciadas pelas cidades de Amsterdã, na Holanda, e Barcelona, na Espanha, que sofrem com o excesso de turistas, de propor meios para reduzir o turismo dos chamados mochileiros, que em grandes quantidades, principalmente no verão, tumultuam a vida dos moradores, sujam as ruas e poluem o ambiente, já estão sendo tratadas como ações antidemocráticas e que ferem os direitos humanos. Em Veneza, existem há muito tempo restrições contra os mochileiros, mas que não dão resultado. Os moradores de cidades europeias, afogadas pelo turismo de massa, não sabem mais o que fazer. Em Barcelona, de cada 12 pessoas em suas ruas, 10 são estrangeiros. Querem criar altas taxas para os turistas circularem nas regiões centrais. É difícil.

Colégio Arnaldo 
Antecipando o Natal 

A Faculdade e o Colégio Arnaldo, tradicionais unidades de ensino de BH, já estão em clima natalino. Tanto que hoje inauguram, em sua sede centenária – no encontro das avenidas Carandaí, Brasil e Bernardo Monteiro –, uma grande iluminação de Natal. Serão 4.500 metros de lâmpadas de LED a brilhar no local, dando mais alegria ao entroncamento das três avenidas. Inauguração às 17h45, com uma antecipada cantata de Natal.

Lula 
Cosas del bandoneón

Vejam vocês. O julgamento de Lula no caso do sítio de Atibaia pela 8ª Turma do Tribunal Federal da 4ª Região acabou funcionando na base da fábula, em que o cidadão foi buscar lã e saiu tosquiado. Lula obviamente deve estar cuspindo fogo com ao resultado da apelação, cujo resultado foi o aumento da pena de 12 anos para 17. A sentença veio também apoiar a decisão anterior, proferida pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal, em Curitiba.



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade