Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Quais os erros mais comuns dentro de uma franquia?


postado em 29/09/2019 04:00

(foto: Carlos Muza/Divulgação)
(foto: Carlos Muza/Divulgação)

 
Investidores de todos os segmentos se sentem cada dia mais motivados a entrar no mercado de franquias devido aos diversos benefícios oferecidos pelo modelo de negócio e resultados apresentados, principalmente, em épocas de crise.
 
Em contrapartida, a segurança de um negócio que já foi testado pode dar aos investidores a falsa sensação de que não há risco. A falta de experiência dos novos empreendedores pode gerar contratempos e, consequentemente, quebra de resultados e insatisfação. Então, o que fazer para evitar estes transtornos?
 
O primeiro passo é identificar o que pode dar errado. Por esse motivo, a pesquisa é fundamental. A falta de conhecimento é um dos principais vilões no mercado de franquias. Portanto, pesquisar todos os pontos referentes ao investimento e ao segmento no qual pretende entrar é importante.
Um ponto de partida é começar a responder perguntas como: “Qual o meu perfil?”, “Qual segmento tem mais a ver comigo?”, “Quais os dados e projeções desse meio?”, “Qual o prazo de retorno?”, “Terei minhas expectativas atendidas?”, entre outras questões.
 
A partir daí, quando o investidor já estiver familiarizado com o meio que pretende seguir, é importante planejar. Ao escolher uma marca para trabalhar, mesmo que ela já esteja estabelecida no mercado, o planejamento é fundamental para que tudo saia bem. Portanto, elaborar um plano, conhecer o público-alvo, se posicionar em um ponto estratégico e calcular os gastos previamente vai evitar imprevistos desnecessários. Em alguns casos, esses imprevistos podem comprometer os resultados do negócio.
 
Gestão financeira

Um dos principais pilares para uma boa gestão é o planejamento financeiro. O franqueado precisa controlar gastos fixos planejados e não planejados, uma tarefa que pode ser feita com o suporte da franqueadora, mas que é responsabilidade do próprio gestor. Falta de organização e de controle de números é comum pelo perfil pouco administrativo da maioria dos franqueados e pode ser um grande risco para o sucesso da franquia.
 
O capital de giro mal administrado pode ser um dos maiores problemas nesse caso, pois esse valor é planejado para suprir os custos de operação durante o período de maturação do negócio, antes de gerar lucro. Por isso, para elaborar um planejamento financeiro eficiente, é preciso conhecer sobre a empresa e também sobre o sistema de impostos brasileiro e gestão financeira. Dicas importantes nesse caso são: sempre pensar em reinvestir no negócio e traçar estratégias para otimizar os resultados, antecipar problemas e garantir a sustentabilidade do negócio.
 
Falta de registros sobre estoque, controle de mercadorias, saldo de caixa, total de contas a pagar e a receber, falta de conhecimento de custos de financiamento, falta de integração de políticas de venda, falta de elaboração de DRE (Demonstração de Resultados do Exercício), falta de precificação adequada, são alguns dos erros que podem comprometer o desempenho da unidade.
 
Uma vantagem do sistema de franquias nesse caso é que, muitas vezes, a franqueadora tem um software especializado para ajudar os franqueados no controle dos gastos e na gestão financeira do negócio, e isso facilita a organização. Outro ponto interessante a ser discutido é a peculiaridade de cada negócio. Muitos empresários se esquecem de que cada unidade precisa ter um planejamento financeiro específico, por mais que exista um direcionamento da franqueadora. Nesses casos, procurar a ajuda de profissionais especializados, como contadores, pode ser boa opção. Isso oferece mais segurança e maior liberdade para a gestão do negócio, garantindo que a documentação da empresa esteja em conformidade com as leis, separação patrimonial (pessoa física e pessoa jurídica), entre outros. 
 
 
Você sabia?

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), a taxa de mortalidade de franquias gira em torno de 5% para unidades com até 24 meses. Enquanto isso, segundo o Sebrae, as empresas comuns têm índice de mortalidade de cerca de 23%. Os dados ainda revelam que a maioria das empresas fechadas nesse período, geralmente, são prejudicadas pela falta de planejamento e gestão indevida.


Como se manter atualizado?

Umas das principais dicas para evitar erros no processo de franquias resume-se em se atualizar. E as melhores formas de fazer isso é por meio de leitura, cursos, eventos do universo de franquias, palestras, estudo de cases de sucesso e outros. Por isso, investir em conhecimento nunca é demais!


Reinvente-se!

Sua franquia está passando por um mau momento e você não sabe o que fazer para melhorar a situação? Talvez o seu negócio tenha sido vítima de algum dos erros citados anteriormente. Neste momento, vale a pena analisar e tentar reverter o problema. O ideal é traçar um novo plano e reparar os erros para que os resultados voltem a fluir. 
 
 
 


Publicidade