Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas coluna do jaeci

Jogar na Arena do Jacaré vai ser prejuízo técnico ao Cruzeiro

Na Série B, adversários que não estão à altura do clube celeste irão se igualar a ele. Mais diálogo resolveria a volta ao Mineirão


09/09/2021 04:00 - atualizado 08/09/2021 19:16

Equipe celeste fez em Sete Lagoas partida pelo Estadual deste ano, vencendo a URT: mas estádio não é de boas lembranças para a Raposa(foto: GUSTAVO ALEIXO/CRUZEIRO - 6/3/21)
Equipe celeste fez em Sete Lagoas partida pelo Estadual deste ano, vencendo a URT: mas estádio não é de boas lembranças para a Raposa (foto: GUSTAVO ALEIXO/CRUZEIRO - 6/3/21)

O Cruzeiro jogará contra a Ponte Preta na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela presença da torcida. O time mineiro se esqueceu do prejuízo financeiro e técnico que teve quando o Mineirão foi fechado para reformas para a Copa do Mundo de 2014. Foram anos de sofrimento e decepções. Foi lá, por exemplo, que o Cruzeiro foi eliminado pelo Once Caldas da Copa Libertadores da América. Venceu o jogo de ida na Colômbia por 2 a 1 e tomou 2 a 0 no lombo na Arena do Jacaré no jogo de volta, em 2011, nas oitavas de final. O prejuízo financeiro foi gigantesco. Somente num semestre o clube perdeu R$ 12 milhões, segundo seus dirigentes.

Será que não há um dirigente no Cruzeiro lúcido, capaz de conversar com os gestores do Mineirão? Tenho absoluta certeza que eles estão dialogando com as autoridades médicas e sanitárias para resolver a questão da volta do público. A Prefeitura de BH é amiga dos clubes e sabe o que representa o Mineirão em termos de arrecadação. Ela não se furtará a permitir a volta da torcida, desde que os protocolos médicos e sanitários com relação à COVID-19 sejam cumpridos. Agora mesmo, o Atlético já está em entendimentos para a volta do público em seus jogos no Mineirão. Uso de máscara, distanciamento social e testes PCR. Simples assim. O problema do brasileiro é querer mentir, levar vantagem. Há indícios de que houve testes burlados, vimos torcedores se aglomerando, sem nenhum constrangimento. Facções organizadas sem respeitar o distanciamento social e por aí afora. Foram dois eventos-teste que não passaram no teste.

A Arena do Jacaré, com todo respeito ao povo de Sete Lagoas, e tenho lá um grande amigo e companheiro de profissão, o craque Chico Maia – fizemos muitas Copas do Mundo e Olimpíadas juntos –, é um retrocesso para o Cruzeiro. Mesmo na Série B ele não deve se apequenar. É um gigante do nosso futebol, que está temporariamente na Segundona. Ao se refugiar na Arena do Jacaré, o Cruzeiro vai se igualar aos adversários que não estão à sua altura, e isso será uma vantagem para eles.

Em 2010, O Galo jogou na Arena do Jacaré, tendo como técnico Vanderlei Luxemburgo, hoje de volta ao Cruzeiro. Ele sofreu e viu o Galo ficar muito mal na tabela do Brasileirão. Isso custou o seu emprego. E olha que ele tinha um grupo com Ricardinho, Diego Souza, Daniel Carvalho, Réver e Diego Tardelli. Ele foi demitido com apenas 21 pontos em 24 jogos no Brasileirão. Realmente, a Arena do Jacaré não é uma boa pedida. Os clubes grandes têm de pensar grande. O Mineirão é a casa de Cruzeiro e Atlético – até que o alvinegro inaugure o seu estádio, ano que vem.

Não entendi a Federação Mineira não brigar para que o Cruzeiro mande seus jogos no Mineirão. Será que o presidente está trabalhando contra o futebol mineiro? Ele deveria ser o primeiro a procurar os gestores do Mineirão e a prefeitura para buscar uma solução viável para a volta dos torcedores. Uma boa conversa resolveria a questão. Nesses momentos que a gente vê o peso de um grande dirigente. Fosse o doutor Castellar Guimarães Neto o presidente da entidade, tenho a certeza de que tudo seria resolvido no diálogo. Ele sempre trabalhou e trabalha pelo nosso futebol.

Espero que a torcida do Cruzeiro faça protestos pacíficos e nas redes sociais exigindo a volta do clube ao Mineirão. Ali ele teve suas maiores conquistas, suas glórias, troféus e taças. Voltar a jogar em Sete Lagoas é um retrocesso sem precedentes e os prejuízos virão, com certeza. Será que não aprenderam em 2010 e 2011? Chega de amadorismo. Que os dirigentes procurem os gestores do Mineirão, peçam uma reunião na prefeitura e que o time azul volte ao seu palco. Porém, os torcedores têm de colaborar e seguir as determinações das autoridades médicas e sanitárias. Se o Cruzeiro jogar na Arena do Jacaré, vai se apequenar e as chances de voltar à elite, que já são remotas, não existirão mais. Estou avisando agora, antes que seja tarde.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade