Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

Hulk sai do banco e dá vitória ao Atlético na Libertadores

Atacante entrou no segundo tempo e marcou os gols do triunfo por 2 a 1 sobre o América de Cáli


27/04/2021 21:23

Hulk entrou no segundo tempo e marcou os gols do triunfo por 2 a 1 sobre o América de Cáli(foto: Washington Alves/AFP)
Hulk entrou no segundo tempo e marcou os gols do triunfo por 2 a 1 sobre o América de Cáli (foto: Washington Alves/AFP)
Cuca manteve Hulk no banco. O colocou em campo no segundo tempo. E foi ele quem fez os dois gols da primeira vitória do Atlético por 2 a 1 na Copa Libertadores. Se ele e Cuca se amam ou se odeiam, pouco importa. São dois profissionais do clube, e o atacante deve satisfação ao treinador. Hierarquia existe para ser respeitada. O Galo foi mal no começo da partida, cresceu dos 25 minutos em diante, começou bem o segundo tempo e marcou seus gols. Mas levou um gol numa bobeada de Tchê Tchê. Hulk sai de vilão a herói, pelo menos, na partida contra o América de Cáli. Semana quem vem é o Cerro Porteño. Só a vitória interessa ao Galo.

O Atlético continua confuso. Não tem velocidade com os laterais, tabela pouco e falta aquele cara para por a bola para dentro. Nos primeiros minutos, não conseguiu nada, e quase levou um gol do América de Cáli. Porém, a partir dos 25 minutos, quando resolveu pôr a bola no chão, as chances começaram a aparecer. A trave foi uma grande aliada do goleiro Graterol, que fez também algumas boas defesas. O Atlético cometeu o mesmo erro do jogo anterior, ao rifar as bolas, com cruzamentos desnecessários na área, já que os atacantes alvinegros são baixinhos e os zagueiros colombianos, muito alto e fortes. Nesse quesito, o adversário ganhou todas.

Uma pena Diego Tardelli não estar em condições de jogo. Ele é o cara para empurrar a bola para dentro quando ela chega. Vargas é péssimo. Nunca foi eficiente em clube nenhum. Savarino faz algumas boas jogadas, mas é irregular. Mariano é aquele lateral experiente, mas sem explosão, sem condições de ser titular. Como Guga é pior, Cuca deveria improvisar Tchê Tchê por ali. Era um jogo decisivo para o Galo. Um empate seria terrível, pois perdeu pontos irrecuperáveis na estreia contra o Deportivo La Guaira.

É bem verdade que o Galo deu pressão no fim do primeiro tempo. Foi mais intenso, criou situações com a bola no chão, mas o gol não saiu. Cuquinha, que substitui o irmão, suspenso, olhava para o banco e via Sasha e Hulk. Normalmente, troca seis por meia dúzia. Confesso que esperava mais de Nacho Fernández. Ele ainda não está mostrando o talento que tinha no Ríver. Claro que precisa ser ajudado. Ninguém joga sozinho. Não adianta cobrar de um técnico que chegou agora, sem tempo para implantar sua filosofia.

Eu digo há tempos. A torcida se iludiu com um time mediano. Contratações equivocadas e muito dinheiro jogado no lixo. E olha que o Atlético já emprestou uns 30 jogadores, mas é preciso limpar mais uns 10. Muito jogador de mediano para baixo. Quando você olha seu ataque e encontra Sasha, Savarino, Vargas e Hulk, realmente tem algo errado. Me digam onde esses caras foram destaques. Até mesmo Keno, que ano passado encaixou, não está em boa fase. Vale lembrar que os jogadores foram contratados por Sampaoli e pela gestão anterior. Apenas Hulk, Dodô e Nacho são investimentos do atual presidente. Realmente um time muito comum. Excesso de jogadores medianos. Essa é a realidade.

Hulk entrou no segundo tempo no lugar de Vargas. E ele protagonizou um grande lance em chute forte, que passou perto. Nacho cobrou falta por cima da barreira, no canto esquerdo, mas o goleiro Graterol mandou a escanteio. O Atlético voltou mais intenso. Zaracho levou uma pancada no tornozelo e saiu de campo chorando. Nathan entrou na vaga dele. Pela intensidade do Galo nos minutos finais do primeiro tempo e pelo começo do segundo, o gol deveria ter acontecido. O Galo era melhor.

Nathan lançou Hulk, que foi derrubado pelo goleiro. Pênalti claro. Hulk mesmo se encarregou da cobrança e fez Galo 1 a 0. Merecido pelo que a equipe estava apresentando. Hulk, contestado pela torcida, que entrou em atrito com Cuca, será idolatrado. O torcedor é assim. O jogador vai do inferno ao céu em 90 minutos.

Aos 17 minutos, o atacante fez o segundo. Keno enfiou a bola, Savarino tocou de calcanhar, e Hulk chutou de primeira, no canto direito. 2 a 0. Só dava Galo. 

O América se tornava presa fácil. Era a chance de golear e fazer um bom saldo. Mas isso não aconteceu. Tchê Tchê perdeu a bola para Sanchez, que chutou forte e diminuiu. 2 a 1. Que bobeira do Galo! 

Savarino saiu para a entrada de Dodô. Vergara soltou a bomba, e a bola passou raspando a trave. Quase o empate do time colombiano. O Galo precisava fazer os 3 pontos e conseguiu. Mereceu por tudo o que fez no fim do primeiro tempo e no começo do segundo. Chega aos 4 pontos em 2 jogos e melhora sua situação. Porém, ainda falta muito. O time continua pecando e precisa melhorar para encarar o Cerro Porteño, na semana que vem, no Mineirão, e chegar aos 7 pontos. 

Hulk foi o herói desse jogo, mas nem tudo são flores. Ele terá que trabalhar muito e falar menos. De vilão, desde que chegou ao Galo, a herói, em apenas um jogo. O futebol é assim. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade