Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas coluna do Jaeci

Após ataques de patrocinador, Enderson deveria pedir o boné

Técnico do Cruzeiro foi desmoralizado pelo empresário Pedro Lourenço, que tem sido fundamental para os cofres do clube


02/09/2020 04:00

Na partida anterior, o Cruzeiro foi derrotado no clássico com o América: patinando na tabela da Série B(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Na partida anterior, o Cruzeiro foi derrotado no clássico com o América: patinando na tabela da Série B (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O patrocinador pediu a cabeça do técnico Enderson Moreira. O presidente Sérgio Rodrigues disse que “não é assim e que dará tempo ao treinador”. Porém, no futebol não há verdade que dure 1 minuto. Se o Cruzeiro for derrotado pelo Brasil de Pelotas nesta noite, no Sul, dificilmente Enderson se manterá no cargo. Embora não seja o único culpado, pois o time é fraquíssimo, é sabido que ele não consegue dar padrão de jogo, que não há qualidade, que o time pouco chuta a gol. Defeitos que o treinador não tem conseguido resolver. Eu sempre disse que ele é técnico de time de Série B, pois quando teve oportunidades em grandes clubes, como Santos e Grêmio, foi muito mal. Como o Cruzeiro é um gigante que, eventualmente, está na B, precisaria de um técnico que pense grande, de Série A de verdade. Lembro-me quando o Flu caiu da B para a C e Carlos Alberto Parreira, campeão do mundo com o Brasil, se manteve no cargo para fazer o Flu voltar à elite. É verdade que o tricolor subiu da C para a A numa maracutaia jamais vista. Porém, o técnico era de primeira linha. Acho que o Cruzeiro pensou pequeno quando contratou Enderson. Entendo que, pelo salário que pagam, técnico nenhum da Primeira Divisão aceitaria. Porém, era preciso mais ousadia de quem contratou o treinador.

Por falar nisso, lembro-me de uma entrevista de alguém do Conselho Gestor, dizendo que o dinheiro para o pagamento da parcela do jogador Denílson, na Fifa, já estava garantido. Não era verdade. Não havia dinheiro e o Cruzeiro foi punido com perda de 6 pontos pela entidade. Não é fácil começar uma competição devendo 6 pontos, e isso está gerando essa crise no time azul, pois se estivesse com os 10 pontos que ganhou em campo, seria um dos ponteiros da competição. Entendo que o Conselho Gestor entrou para salvar o clube e não deixar que sucumbisse, mas não deveriam ter dito que havia um dinheiro que não estava lá. Isso foi irresponsabilidade, que deixa o clube numa situação grave na tabela. Sei que chorar sobre o leite derramado não vai resolver o problema atual, mas é preciso lembrar o motivo de o Cruzeiro estar nessa situação. Vejo uma diretoria empenhada em fazer o possível para devolver o clube à elite. Mas os mecanismos usados não estão funcionando. Pela conta dos matemáticos – e eu detesto matemática no futebol, pois o esporte bretão não é ciência exata –, o clube azul precisaria de mais 60 pontos para subir. Seriam mais 20 vitórias, um número expressivo para um time tão ruim, tão combalido e tão desestruturado.

O apelo de dois gigantes, Fábio e Marcelo Moreno, para que o torcedor apoie é importante demais. Entretanto, a diretoria tem de agir e contratar. Venho cobrando isso desde janeiro, pois não me iludo e não iludo ninguém. Esse time é fraquíssimo. Ariel Cabral e Henrique no meio têm sido um vexame. O argentino, diferentemente de seus compatriotas, não tem garra. Tem até qualidade técnica, mas muito pouco para o que o Cruzeiro precisa. Já Henrique tem a garra, mas falta-lhe qualidade. Não há um camisa 10 e um atacante para dialogar com Marcelo Moreno. Isso é visível e não adianta as pessoas fecharem os olhos. A Série B implica em jogar em campos ruins, contra equipes que usam a garra como elemento primordial. E com um detalhe: o Cruzeiro debuta na competição, ao passo que a maioria está nela há tempos. Outros sobem e descem na mesma velocidade, haja vista América, Figueirense e outros. Portanto, é preciso mudar a filosofia agora. Não dá mais para esperar, sob o risco de as rodadas se sucederem e o Cruzeiro ficar para trás, perto dos que vão brigar para não cair. Se eu fosse Enderson Moreira, pediria demissão. Ficou muito ruim para ele ser exposto pelo patrocinador, em entrevista que viralizou ao grande repórter Artur Moraes. O Cruzeiro tem de acordar agora ou será tarde demais quando chegar ao ano do seu centenário e tiver de amargar a manutenção na B. O torcedor não vai admitir essa possibilidade.

VAR da vergonha

O Árbitro de Vídeo no Brasil é uma vergonha. Meteu a mão no Botafogo no jogo contra o Internacional, e no Santos, no jogo contra o Flamengo. A demora de 10 minutos para decidir um lance foi absurda. Pior que isso é ver ex-árbitros, que cometeram erros graves na carreira, comentando arbitragem na TV. Eles não têm a menor credibilidade junto ao torcedor. Há gente que inverteu título Brasileiro, deixou de marcar pênalti claro e outras barbaridades. Espero que o torcedor não dê ouvidos a esses caras. Foram vergonha quando apitavam e agora querem ser os donos da verdade na TV. Se o VAR continuar assim no Brasil, é melhor pedir licença à Fifa e acabar com ele. Os árbitros brasileiros não querem assumir a responsabilidade pela partida e a transferem para o Árbitro de Vídeo. Desse jeito não está correto. E o VAR só deveria interferir em lances cruciais. Não deveriam atormentar o árbitro de campo a todo momento em lances que o próprio árbitro pode decidir.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade