Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

O Galo demitiu Levir pelo péssimo trabalho que ele fez

Demonstrando toda a sua inveja, em tom irônico, disse que 'Sampaoli será o próximo técnico da Seleção Brasileira, por ter tatuagem, andar em bicicleta e ser argentino'


postado em 08/05/2019 05:07 / atualizado em 08/05/2019 07:20

No programa Bem Amigos, do meu irmãozinho Galvão Bueno, segunda-feira, o senhor Levir Culpi quis dar a impressão ao Brasil de que sua demissão do Atlético fora algo injusto e injustificável. Balela! Ele foi mandado embora por ter jogado o Galo aos leões, pelo péssimo trabalho, por não ter dado padrão de jogo, qualidade, esquema tático. Por estar ultrapassado como técnico, que, em mais de 30 anos de carreira, ganhou duas Copas do Brasil – com o Cruzeiro em 1996 e com o alvinegro, em 2014 – e nada mais. Ele rebaixou o Palmeiras e o Botafogo e não deu nenhuma contribuição positiva ao nosso futebol. E, para fechar, demonstrando toda a sua inveja, em tom irônico, disse que “Sampaoli será o próximo técnico da Seleção Brasileira, por ter tatuagem, andar em bicicleta e ser argentino”. Sampaoli é um baita treinador, campeão da Copa América com o Chile, e merece respeito. Levir está ultrapassado e senil. Lamentável um programa de tanta qualidade e audiência levar um cara desses lá. Já basta o Muricy Ramalho, com péssimo português e aquela cara amarrada, que parece estar sempre de mau humor. As pessoas esquecem que quando ele era técnico vivia dando patadas na imprensa e, hoje, ganha dinheiro comentando ao lado de quem sempre ironizou.

Dito isto, o Cruzeiro vai em busca dos 18 pontos na Libertadores na fase de grupos diante do Emelec esta noite, no Mineirão, com certeza, lotado. Não me lembro de ter visto uma equipe fazer 100% de aproveitamento, se bem que bastará ao time azul o empate para garantir a vantagem de decidir em casa até a semifinal. Confesso que não tenho conceito formado sobre isso. Não sei se é melhor decidir fora ou em casa, mas sei que o Cruzeiro tem time e grupo fortes para seguir na competição e buscar o tricampeonato. Não se iludam com futebol bonito. Isso, Mano Menezes, jamais praticará. É apenas, e tão somente, eficiente. O que já basta no futebol brasileiro, tão carente, tecnicamente. O Cruzeiro tem um grupo muito forte, com peças de reposição à altura. Vai ser legal ver o Mineirão lotado e o “Cruzeirão Cabuloso” faturando mais três pontos, escrevendo uma bela história na Libertadores.


Edu Gaspar

O coordenador da Seleção Brasileira está indo para o Arsenal, conforme notícia de um site de São Paulo, logo após a Copa América. Acho uma ótima oportunidade para ele e para a Seleção. Edu não acrescenta nada ao time Canarinho, haja vista que não tem história com a nossa camisa, que nunca disputou uma Copa do Mundo como jogador, nunca venceu um título de expressão. Caiu de paraquedas ali e fez um péssimo trabalho no comando da equipe, na Rússia. Se for realmente embora, já vai tarde e não deixará saudades. Resta saber quem será o novo coordenador e se ele se alinhará a Tite, como faz Edu. O Brasil precisa de um coordenador de peso, conhecimento e qualidade. De preferência, algum ex-jogador que tenha disputado e vencido Copa do Mundo, pois é fundamental ter, numa equipe, vencedores, com carisma e competência.


Fábio
A convocação para a Copa América será dia 17, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. A torcida brasileira espera ver o nome do goleiro Fábio, do Cruzeiro, na lista. Se futebol é momento, o “Paredão Azul” vive esse bom momento há 10 anos, com uma qualidade ímpar e defesas impossíveis. Alisson, Éderson e Cássio não chegam aos seus pés. O titular, Alisson, só faz defesas fáceis. Como diz um dos maiores gênios que vi jogar, e que não vou revelar o nome aqui, Alisson, “braço curto”, é um goleiro que “chama gol”.


Publicidade