Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ''NOVO NORMAL''

Irreverência na noite de BH criou um dos eventos mais disputados da cidade

Carnachalé nasceu da brincadeira de dois amigos, fãs de axé. Suspensa pela pandemia, a festa deve retornar em 2022, no Clube do Chalezinho


04/12/2021 04:00

Ilustração da coluna HIT
.

Elzio Pereira
Produtor

Em 26 setembro de 2002, nascia o Clube do Chalezinho – bar de jogos com música um pouco mais alta. O começo foi difícil, até que foram chegando os amigos, que ali se sentiam em casa, e depois os amigos dos amigos. De uma forma muito orgânica, 10 viraram 20 e assim a história seguiu se multiplicando.

Ao longo de quase 20 anos tivemos vários recomeços. Temos a certeza de que agora teremos mais um para ser escrito, sempre acreditando que os amigos, as pessoas, os laços, são a base e a essência do Clube, como o próprio nome diz.

São várias as histórias deste lugar feito por amigos. Uma delas marcou e continua marcando nosso calendário anual.

Todos os finais de noite, vários clientes amigos ficavam até de manhã na casa. Quando o DJ desligava o som, eles pediam música ao Juninho, residente da época. Certo dia, o DJ perguntou ao gerente se poderia tocar pelo menos mais meia hora para aquele grupo. Foi um sucesso.

Na semana seguinte, o grupo aumentou. Aqueles 30 minutos logo viraram mais tempo, sempre atendendo a pedidos dos clientes. Como a música baiana estava em em alta e BH era a capital do axé, com o Festival Axé Brasil, o fim de noite deixou de ser after para virar carnaval, o Carnachalé.

O movimento tomou proporção muito grande. Clientes ligavam, perguntando a que horas a festa começava. Num final de noite, dois deles pediram ao gerente licença para ir até o carro pegar algo muito importante. Já eram sete da manhã... Quando voltaram, traziam um carrinho de supermercado. Um deles lá dentro, o outro empurrando.

Espantado, o gerente perguntou o que era aquela “invenção de moda”. E ouviu: “É o nosso trio elétrico do Carnachalé!”

Eram dois clientes muito queridos. Quando entraram na casa com aquele carrinho, foi um delírio geral! O movimento cresceu tanto que no ano seguinte, em 2009, realizamos o primeiro Carnachalé, que entrou para o calendário do Clube e da capital.

Desde então, o evento acontece todos os anos, sempre pós-folia. É uma espécie de ressaca de carnaval, com lotação máxima, alegria e abadá. Por coincidência, o último evento realizado pelo Clube antes da pandemia foi o Carnachalé. Edição histórica, a maior de todas.

Em 2022, a festa já tem data marcada: 19 março.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade