Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA HIT

Rodrigo Paiva, empresário do ramo de restaurantes, põe fé no futuro

No período mais pesado da pandemia, ele e a mulher, Carolina Caram, enfrentaram desafios para realizar o sonho de abrir sua segunda casa em BH


14/11/2021 04:00

Ilustração da coluna Hit

Rodrigo Paiva
Empresário

Eu acredito que o futuro será melhor do que o passado. Com a pandemia, as pessoas passaram a valorizar mais os momentos de lazer e isso influenciou nossa reestruturação, com a criação do el MAI, de forma marcante.

Foram meses de muitas restrições e incertezas, já que o setor de bares e restaurantes foi um dos mais afetados – em geral, todos sofreram muito com o abre e fecha. Somos também proprietários da Koneteria e, em meio à obra do novo empreendimento, ainda tínhamos todos os custos fixos da operação do outro negócio. Posso dizer que foram momentos de intensa reflexão e reinvenção, o que acabou, de certa forma, expondo certas oportunidades de mercado e influenciando o resultado até mesmo da nossa obra, assinada pela arquiteta Isabela Vecci.

O projeto precisou ser adaptado durante esse processo devido às dificuldades que foram surgindo, tanto de acesso ao material quanto relacionadas à insegurança de acompanhar estabelecimentos fechando as portas.

Realmente, foi um momento de acreditar que tudo passaria e entender como tantas mudanças impactariam o mundo. O el MAI acabou sendo desenvolvido durante esse processo, o que definiu de uma forma intensa a proposta e o foco do nosso estabelecimento: um ambiente descolado e aconchegante oferecendo novo conceito em gastronomia.

Depois de tanto tempo isolados, esse sonho se concretizou, promovendo também uma ode aos encontros e democratizando não só a culinária, mas os espaços para receber da melhor forma possível. A arquiteta soube trazer o rigor que a parte técnica demanda da cozinha e preparo dos alimentos e, ao mesmo tempo, criar espaços com propostas diversas dentro do restaurante. O clima do lugar aberto e arejado também foi pensado de forma estratégica, buscando receber de forma segura os clientes.

Eu e Carolina Caram, minha sócia e esposa, estamos no ramo há 15 anos. Acredito que encontramos no desenvolvimento do projeto do el MAI, durante quatro anos, algo que nos representasse de forma fidedigna.

A interessante mistura das culinárias contemporânea e oriental, além do variado cardápio de drinques, reflete o que sempre buscamos depois de todos esses anos: oferecer a melhor experiência gastronômica possível em um ambiente despretensioso, com música diferenciada e ambiente cool.

Aproveitamos a cidade fechada para elaborar com muita calma e cuidado cada canto daquele espaço, sempre atentos à demanda do público. Contamos com a experiência de 30 anos do chef Flávio Silva, do Taste Vin, além do renomado expert em cozinha japonesa John Oliveira, de São Paulo.

E hoje, com as portas abertas e recebendo feedback muito positivo dos clientes, posso dizer que o empenho para colocar esse sonho antigo em prática não foi em vão. A abertura aconteceu oficialmente em 8 de outubro – desde então, temos acompanhado com muita alegria a fidelização de novos clientes e o retorno importante sobre a inovação e a criatividade presentes em alguns dos nossos pratos. Esse retorno em tão pouco tempo de casa aberta deixa claro que os momentos de incerteza ficaram no passado.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade