Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Mais que símbolo de esperança, a vacina contra a COVID é símbolo de luta

Com essa premissa, a designer Letícia Naves assina arte da campanha Vacina para Todos, publicada às sextas na Coluna Hit


16/07/2021 04:00

A designer Letícia Naves(foto: Arquivo pessoal)
A designer Letícia Naves (foto: Arquivo pessoal)


“Diante dos absurdos do desgoverno do miliciano que está no comando do país, a vacina se tornou um símbolo de esperança, mas também de luta. Lutar pela manutenção e melhoria do SUS é um dever de todos nós, bem como sonhar com um futuro com cada vez mais igualdade e civilidade.” 
 
• • •
 
Letícia Naves é designer, letrista e ilustradora (www.leticianaves.com e @navesleticia). Formou-se em design gráfico pela UEMG em 2016 e, desde então, trabalha como autônoma, criando projetos comerciais e pessoais. Seu trabalho é permeado pelo desenho de letras, cores vibrantes e ilustrações, em constante mudança e evolução.  

NA EUROPA
A ARTE DE MAZZA

É do artista belo-horizontino Thiago Mazza mural pintado em Civitacampomarano, na Itália, que faz parte do festival CVTà Street Fest. Ele, que está na Europa desde o mês passado, participou também do festival Muro LX, em Lisboa, e segue na Itália em residência artística na Sardenha, no centro de experimentação artística Campidarte. Autodidata em pintura, Mazza teve contato com o grafite em 2010 e depois começou a pintar murais. O mineiro é destaque no muralismo contemporâneo brasileiro. Ele tem participações em festivais como Artscape (Suécia), Vukovart (Croácia), UpFest (Reino Unido), Stenograffia (Rússia), IPAF (México) e CURA (Brasil).
 
RECONHECIMENTO
LER É VIVER

Mesmo com a pandemia, o Instituto Gil Nogueira (IGN) não interrompeu seu trabalho educacional e, em formato on-line, lançou o primeiro Concurso Cultural Ler é Viver. 910 alunos do primeiro ao quinto anos de seis escolas de Belo Horizonte foram desafiados a gravar um vídeo contando a história (entre os 1.800 livros distribuídos). Coube à banca julgadora avaliar 76 vídeos, levando em consideração criatividade, oralidade, desenvoltura e estrutura (começo, meio e fim). A premiação dos três primeiros colocados está marcada para o próximo dia 20, na sede do Instituto Gil Nogueira. Os demais 27 ganhadores serão premiados nas respectivas escolas, seguindo os protocolos de segurança. Participaram do concurso alunos das escolas estaduais Cabana do Pai Tomaz, Dr. Antonio Augusto Soares Canedo, Alzira Albuquerque Mosqueira, José Mesquita de Carvalho e Afrânio de Melo Franco.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade