Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA HIT

Maju Rodrigues: 'A pandemia só aumentou a desigualdade social'

No 'Diário da quarentena', atriz comenta que não estamos no mesmo barco, mas na mesma tempestade


postado em 04/07/2020 04:00


Estamos vivendo um período importantíssimo da história do nosso planeta. A pandemia da COVID-19 pegou todos de surpresa. Com isso, tudo mudou. Se falássemos numa reunião do Natal passado, por exemplo, que em maio de 2020 o mundo estaria sob alerta por causa de um vírus, um inimigo invisível, você acreditaria? Todos com novos hábitos, preocupações e anseios. Aulas presenciais começaram a ser on-line, festas canceladas, reuniões de família, aeroportos fechados e, por fim, o distanciamento social!

Pessoas começaram a ficar ansiosas, não temos uma data para que tudo passe e acabe. Incertezas fazem parte do nosso cotidiano como nunca aconteceu, a escola aumentou as tarefas de casa, adolescentes cansados de ficar sem ver os amigos, sentindo-se pressionados com tudo o que estão ouvindo falar.

É assustador. Acredito que não tenha ninguém que “não esteja ligando”, mas muitos dizem que estamos todos no mesmo barco, apesar de essa não ser a minha opinião. Estamos é na mesma tempestade! Acredito que a pandemia só aumentou e externou ainda mais a desigualdade social no Brasil. Muitas pessoas saem para trabalhar, pois dependem daquele dinheiro para servir comida para os filhos, enquanto outras têm o privilégio de poder ficar em casa, sem passar necessidades financeiras.

Temos que ressignificar a quarentena. Ela não é uma prisão, é um privilégio. E é necessária! Fomos “obrigados” a olhar para o próximo, a nos preocupar com aqueles que amamos e até mesmo com aqueles que nem conhecemos! Recebi um discurso do presidente de Uganda e quero destacar dois pontos: “Durante uma guerra, você não insiste em sua liberdade, você voluntariamente desiste em troca de sobrevivência. Durante uma guerra, você é grato a Deus por ter visto outro dia na terra dos vivos...” Somente numa ação coletiva, com muita disciplina, paciência, distanciamento físico e social, poderemos sobreviver a esse vírus.

Em meio a tudo isso, temos os profissionais da saúde, que arriscam diariamente a vida para salvar outras. Vidas de pessoas que eles, muitas vezes, não conhecem. Vamos ver o amor que ainda circula no mundo por meio dessas atitudes. Nem tudo está perdido, como alguns acham. Ainda dá tempo de mudar. Ainda dá tempo de ficar em casa e de ajudar o amigo que está ansioso. Ainda dá tempo de recomeçar.

Quando tudo isso acabar, o mundo nunca mais será o mesmo. Não vamos ter as mesmas atitudes, pois foram elas que nos trouxeram até aqui. Não é hora de “voltar & quot”, é hora de recomeçar. Recomeço por um mundo mais justo, com menos desigualdade, com mais solidariedade e amor.

Fiquem bem e em casa, se puderem. Isso vai passar e nós vamos recomeçar. O mundo vai ser melhor. Só depende de nós.

Maju Rodrigues, atriz



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade